Ministérios perdem contato com cristãos que não conseguiram fugir do Afeganistão

As comunidades cristãs no país são extremamente secretas e permanecem clandestinas por conta da intensa pressão e perseguição.

Fonte: Guiame, com informações de International Christian ConcernAtualizado: terça-feira, 14 de setembro de 2021 13:27
Mães e filhos tentam entrar no aeroporto Hamid Karzai, em Cabul, para fugir do país. (Foto: Reuters)
Mães e filhos tentam entrar no aeroporto Hamid Karzai, em Cabul, para fugir do país. (Foto: Reuters)

A International Christian Concern (ICC) fez um alerta sobre a situação dos cristãos que não conseguiram fugir do Afeganistão depois da tomada de governo por parte do Talibã.

É possível que a Igreja no país passe a ser perseguida de forma ainda mais severa e violenta. A Mission Network News (MMN) disse que ministérios clandestinos estão perdendo contato com suas redes dentro do país.

Abdar, um cristão afegão que estuda no Paquistão, esteve no Afeganistão no mês passado para fazer evangelismo e, há mais de uma semana, não há notícias dele. “Ele esteve conosco nos últimos meses, mas perdemos contato”, disse Neemias que trabalha para o Forgotten Missionaries International (FMI).

Segundo ele, desde que o Talibã retomou o controle do Afeganistão, em meados de agosto, muitos ministérios que trabalham com a igreja clandestina do país têm tentado evacuar os cristãos em risco. 

“Em muitos casos, no entanto, os ministérios perderam o contato com suas redes e parceiros no país”, comentou.


Militantes do Talibã se reúnem em praças e dominam as ruas após tomar o controle de Kandahar, Afeganistão, 13 de agosto de 2021. (Foto: EFE/EPA/Stringer)

Cristãos estão sendo ameaçados

De acordo com a MMN, o Afeganistão tem muito pouco em termos de igreja organizada. Muitas comunidades cristãs são extremamente secretas e permanecem clandestinas devido à opressão e perseguição generalizadas.

O FMI relata que o Talibã está de olho nos cristãos, até mesmo enviando cartas ameaçadoras alertando-os para não se encontrarem. “Um homem recebeu uma carta dizendo que sua casa agora pertence ao Talibã”, disse Neemias.

“Ele é um homem simples que faz artesanato, e todas as suas economias estão em sua casa. O Talibã tomará a propriedade e os bens dos cristãos”, continuou.

A comunidade cristã do Afeganistão é quase exclusivamente composta de convertidos do Islã. Alguns estimam que haja entre 8.000 e 12.000 cristãos, tornando-se um dos maiores grupos religiosos minoritários do país.

O status de “convertidos” torna os cristãos afegãos alvos diretos de perseguição tanto por grupos extremistas quanto pela sociedade em geral. No Afeganistão, deixar o Islã é considerado extremamente vergonhoso e os convertidos podem enfrentar terríveis consequências se sua conversão for descoberta.

De acordo com a ideologia do Talibã, o Afeganistão é um país muçulmano e os não-muçulmanos devem deixar o Afeganistão ou aceitar o status de segunda classe. Para o Talibã eles são apóstatas e sujeitos às consequências mais mortais da Sharia (Lei Islâmica). 

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame