Contribuições financeiras como apoio ao ministério

Um novo caminho vai se abrir para sua vida financeira, e contribuir em sua igreja local se tornará um prazer e um privilégio.

Fonte: Guiame, Paulo de TarsoAtualizado: quarta-feira, 29 de setembro de 2021 16:03
(Foto: Canva)
(Foto: Canva)

A contribuição financeira para as pessoas que cuidam de nosso bem-estar espiritual é um assunto muito importante na Palavra de Deus.

Você cuida financeiramente daqueles que investem em sua formação espiritual? Se não, é hora para esta transforma­ção que Deus tanto deseja para você e sua família.

Muitas pessoas acham que o dízimo ficou lá no Antigo Testamento, mas eu quero mostrar a você na Palavra de Deus como o princípio de dizimar é permanente. Se você entender o princípio que está na base de tudo, um novo caminho vai se abrir para sua vida financeira, e contribuir em sua igreja local se tornará um prazer e um privilégio para você.

Abra sua Bíblia no capítulo 18 de Números. A partir do verso 8, Deus confere a Arão a responsabilidade de admi­nistrar as ofertas para o sustento dos sacerdotes. Veja o que consta ali: O Senhor Deus disse a Arão: Agora estou lhe dando todas as ofertas especiais que forem trazidas a mim. ... Eu dou essas ofertas a você e aos seus descendentes” (Números 18.8). Continue lendo até o verso 20 para ver como os sacerdotes deveriam receber vários tipos de ofertas que seriam usadas para o seu sustento financeiro.

Agora, pergunto: O que você faz para sustentar aqueles que investem em sua formação espiritual? Saiba que é sua responsabilidade fazer isso.

Muito bem, voltemos ao texto de Números para obser­var mais uma vez o cuidado de Deus com os levitas.

A tribo de Levi não ganhou uma parte da terra que tinha sido divi­dida entre as outras tribos. Eles serviriam na Tenda Sagrada.

Assim, Deus deu as seguintes instruções a Arão: “Dou aos levitas todos os dízimos que o povo de Israel me oferece. Isso é o pagamento pelo serviço de cuidar da Tenda Sagrada” (Núme­ros 18.21). E disse mais: “Eu lhes dei, para serem propriedade deles, os dízimos que os israelitas me apresentam como oferta especial. Foi por isso que eu lhes disse que não teriam proprie­dades em Israel” (Números 18.24).

Então, veja: os levitas ajudariam os sacerdotes em todo o serviço realizado na Tenda Sagrada. Mas como é que essas pessoas se sustentariam? Como o próprio texto esclarece, seria por meio dos dízimos recolhidos entre os israelitas.

Agora vem o mais importante: mesmo que não exista mais essa estrutura de apoio espiritual como havia no Antigo Tes­tamento, também hoje temos pessoas que se dedicam a nos dar o apoio espiritual de que ainda necessitamos. Pessoas que se dedicam inteiramente ao ministério, tais como pas­tores, ministros, missionários. Ou seja, todas as pessoas que se dedicam parcial ou integralmente a apoiar a igreja em sua formação espiritual.

Conclusão: Mesmo que não existam mais sacerdo­tes e levitas, existem pastores, ministros, missionários e outras pessoas que investem parcial ou integralmente seu tempo em nossa formação espiritual.

Dê uma olhada no seu plano de gastos e coloque na pri­meira linha sua contribuição para a igreja local.

Por Paulo de Tarso, pastor, engenheiro e mestre em Teologia. Fundador do Ministério Finanças para a Vida, que ensina pessoas de todas as idades a administrar o dinheiro de acordo com a Bíblia. É autor dos livros “Sucesso Financeiro” e da série “Finanças em Ação”.

*O conteúdo do texto acima é uma colaboração voluntária, de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: O princípio da oferta das Primícias

 

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame