Os ETs estão aqui

Nossas forças podem estar sendo direcionadas para o alvo errado.

Fonte: Guiame, Edmilson Ferreira MendesAtualizado: quinta-feira, 2 de setembro de 2021 15:57
(Foto: Canva)
(Foto: Canva)

Steven Spielberg embalou a imaginação de gerações em 1982, quando lançou um de seus filmes mais icônicos: E.T. - O Extraterrestre. A ficção povoou a mente de milhões pelo mundo, fazendo emocionar crianças e adultos com o pequeno E.T. que queria apenas uma coisa, voltar para sua casa.

Outro tanto de filmes com alienígenas também fez sucesso por aqui. Alguns fofos como o do E.T., outros assustadores, outros nada a ver. Enfim, cinéfilos do mundo inteiro têm recebido uma farta oferta de filmes de ficção que tentam contar narrativas de outros mundos diferentes do nosso.

A luta, porém, está acontecendo. ETs estão entre nós. Mas não têm a aparência que tantos filmes tentaram mostrar. Nada de naves espaciais, nada de armas estranhas soltando laser pra todo lado, nada de homenzinhos verdes com linguagem indecifrável, nada. Discos voadores então, nem pensar, o máximo que a nossa tecnologia conseguiu, foi povoar os ares com drones, mas não é coisa de outro mundo, é apenas tecnologia nossa, de humanos.

Então qual a aparência dos ETs? Onde eles estão? Quantos são? Vamos começar pelas lutas que vemos, sentimos e sabemos onde estão, como são e quem delas participa. Se prestar atenção não será difícil notar que hoje, praticamente todas as instituições, incluindo até determinadas igrejas, têm lutado sistematicamente e sem qualquer disfarce, contra a família. Se também observar para além das luzes, cenários e desempenhos perfeitos de artistas e celebridades da TV e do cinema, assim como da esmagadora maioria da imprensa, verá um movimento orquestrado para consolidar como normal o anormal, como certo o errado, como santo o profano.

Essas são lutas perceptíveis. Ou não? Vou insistir. Caso não tenha notado, ore, abra bem os olhos, e então observe com a máxima atenção. Feito isso, faça perguntas básicas como “Isto agrada a Deus?”, “Este comportamento concorda com a bíblia?”, “Esta lei afronta a lei de Deus?”, “Esta graça da qual estão falando produz liberdade ou libertinagem?”, “Neste ambiente e com este conteúdo as crianças estão sendo respeitadas?”, “Tenho liberdade e respeito dos outros para crer conforme a liberdade da minha consciência?”. Depois de responder sem paixões ou preferências, apenas tendo o livro de Deus como sua direção, responda para você mesmo, estamos ou não em luta? E se estamos, você verá que é fácil perceber contra quem lutamos.

Esta, no entanto, é a luta que a gente vê, percebe, se incomoda, e enfrenta. O foco, porém, pode estar errado. Nossas forças podem estar sendo direcionadas para o alvo errado. Afinal, não é o que a gente vê, mas sim os “ETs” entre nós que a gente não vê. Quem afirma isso é Paulo aos Efésios 6:12, “Pois nós não estamos lutando contra seres humanos, mas contra as forças espirituais do mal que vivem nas alturas, isto é, os governos, as autoridades e os poderes que dominam completamente este mundo de escuridão.”

Em outras traduções as palavras são que “nossa luta não é contra carne ou sangue, mas contra potestades do mal...” Pelo texto de Paulo, estas forças do mal são organizadas e respeitam suas hierarquias: governos, autoridades e poderes. Com nossos olhos carnais não vemos tais seres, mas estão entre nós, agindo nos sistemas, nos seres sem Deus, nas lideranças mundiais, nos fracos e escravizados por todo tipo de pecado, são estes os E.Ts que estão entre nós, Endemoniados Tentadores.

Chamo-os assim porque têm sua teologia própria, profana, baixa, suja, herética. Tudo que satã sempre quis foi ser adorado como deus, ter seus seguidores, aqueles que o idolatram e que realizam suas carnais e más vontades. Penso que a maioria dos seres humanos que são usados pelas trevas, nem sabem que o são. Na verdade, são pessoas que precisam de nossa oração e clamor, a fim de que correntes sejam quebradas no poder do nome de Jesus.

É hora de visitar com temor e tremor Efésios 6. É hora de vestirmos toda a armadura de Deus ali explicada e orientada pelo apóstolo Paulo. Não se vai pra guerra sem as devidas armas, eficazes, poderosas, capazes. O problema é que já estamos numa guerra e, para lutar a luta certa e combater o inimigo certo, precisamos mais do que nunca da orientação do nosso comandante, Aquele que já veio, conosco está e que virá. Quem tem ouvidos, e fé, entenda.

Edmilson Ferreira Mendes é escritor, pastor, teólogo, observador da vida.

* O conteúdo do texto acima é uma colaboração voluntária, de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: Tempo de tolos e sábios

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame