Jesus avisou

Apenas distraídos, desavisados e que não leem a Bíblia é que desconhecem o claro aviso deixado pelo Mestre em João 16:33.

Fonte: Guiame, Edmilson Ferreira MendesAtualizado: quinta-feira, 23 de setembro de 2021 17:48
(Foto: Canva)
(Foto: Canva)

O momento dos pedidos de orações sempre chega, seja no presencial ou no on-line. Os problemas, as doenças, os sonhos, as frustrações, os conflitos familiares, a rebeldia dos filhos, as crises entre os pais, as carências profissionais, enfim, é quase certo que esta lista no seu todo ou em parte, vai aparecer. Então oramos uns pelos outros, em maior ou menor grau todos sentimos de forma empática as dores que os demais estão sentindo e... oramos.

E quem faz estes pedidos? Em sua maioria são os próprios crentes que os fazem. Gente que já se rendeu a proposta do Evangelho. Gente comprada e lavada pelo sangue do Cordeiro. Gente da fé. Mas como?, perguntariam os defensores e seguidores das teologias da prosperidade e coaching, entre outras teologias que igualmente disputam preferências e um lugar ao sol nas “vitrines” do mercado gospel. Afinal, como pode um crente em Jesus passar por tantos perrengues?

Jesus avisou. Apenas distraídos, desavisados e que não leem a Bíblia é que desconhecem o claro aviso deixado pelo Mestre em João 16:33, “... no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, Eu venci o mundo.” A frase de Cristo é clara. Não é necessário desenhar pra que entendamos. Nela, o que mais assusta, é o plural: aflições. Não são poucas, a expressão passa a ideia de que aflições de todos os tipos e intensidades estarão presentes em diversas fases da vida.

Já vi muitos cristãos, e até pastores, citarem este versículo com um acréscimo que não existe no texto. Depois do “Eu venci o mundo”, que é a conclusão do versículo, muitos acrescentam “...e vós também vencereis.” Sim, existe promessa de vitória para os discípulos de Cristo. Mas é sempre bom lembrar o que está implícito no texto: Jesus enfrentou duras aflições. Duras a ponto de ser levado a cruz. Seus discípulos, cada um a sua forma, também tiveram suas biografias concluídas com muitas aflições.

As aflições estão intensas nestes tempos. Devemos nos apegar ao conselho dEle: “Tende bom ânimo”, e a garantia que nos deixou: “Eu venci o mundo”. Uma das dicas é olharmos para o relacionamento entre o Filho e o Pai. Jesus venceu com oração constante, disciplinada, perseverante. Foi assim que suportou injustiças e humilhações. Este é o nosso turno. Chegou a nossa vez de crer, confiar e suportar.

O Salmo 34:19, escrito bem antes das palavras de Cristo, também usou o plural assustador, mas também os encheu de consolo e esperança para tempos de lutas: “Os bons passam por muitas aflições, mas o Senhor os livra de todas elas.” Repare na afirmação “passam”, ou seja, Deus não nos livra DAS aflições, mas nos livra NAS aflições. Ele sabe até onde nossas forças são capazes de suportar, Ele sabe a hora e o modo sobre como nos livrar, Ele, enfim, está no controle das nossas vidas, seja nos períodos de paz, seja nos períodos de aflições.

Edmilson Ferreira Mendes é escritor, pastor, teólogo, observador da vida.

* O conteúdo do texto acima é uma colaboração voluntária, de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: E se Cristo não for com a gente?

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame