E se Cristo não for com a gente?

Existe um amigo que é amigo para todas as horas. É amigo pro que der e vier.

Fonte: Guiame, Edmilson Ferreira MendesAtualizado: quinta-feira, 16 de setembro de 2021 16:24
(Foto: Canva)
(Foto: Canva)

Se o José for, eu vou. O José, no caso, é um personagem hipotético. Porém bem real na vida de todos nós. Quantos já não disseram esta frase? Quantos já não estabeleceram exatamente esta condição para dar prosseguimento a um projeto, uma viagem, um debate, um sonho, quantos? Todos nós temos os “Josés” nos quais confiamos, sentimos firmeza e sabemos que podemos contar. São pessoas idôneas, talentosas, gente que nos encoraja a caminhar e encarar desafios.

Porém os “Josés” desta vida são limitados. São bons em determinadas áreas. Não conseguem ser bons em tudo, ninguém consegue. Por exemplo, se eu for numa pescaria em alto mar, eu sei quem eu faço questão que esteja no grupo, por outro lado, se eu for para um debate sobre as profecias de Daniel a pessoa que farei questão de levar já será outra. Enfim, necessidades específicas pedem habilidades específicas.

Mas existe um amigo que é amigo para todas as horas. É amigo pro que der e vier. É amigo na pobreza, na doença, na derrota, na tragédia, no caos. É amigo quando todos viram as costas. É amigo que nos diz somente a verdade, nos aconselha, nos orienta, nos livra do mal. É amigo, enfim, que só quer o nosso bem. Esse amigo é Jesus, o único amigo que preenche as categorias de Senhor e Salvador de nossas vidas.

Quando começamos a andar com Ele, descobrimos que já não dá mais pra andar sem Ele. Na verdade nos perguntamos, como consegui andar tanto tempo sem a presença dEle? Porque Jesus quando entra na dinâmica de uma vida Ele simplesmente quebra todos os paradigmas que nos faziam andar, muda rumos, muda interesses, estabelece valores, fortalece princípios, amplia nossa visão, nos enche do Espírito, invade nosso coração de uma paz e um amor que excedem todo o entendimento.

Então, na beleza desse relacionamento entre o humano e o divino, a gente percebe que sem a presença dEle corremos um enorme risco de voltar a andar em círculos viciosos, tropeçando em nossos antigos pecados, em nossas miseráveis fraquezas. É quando chegamos na triste pergunta: e se Cristo não for com a gente? Como será? Como desenvolveremos nossos passos sem a segurança dos passos dEle ao nosso lado?

Moisés enfrentou este dilema. Devido a comportamentos inadequados, Deus decide que não iria caminhar junto ao povo, eles deveriam continuar sem a presença do Eterno. A reação de Moisés foi pedagógica. No versículo 15 de Êxodo 33, o líder que Deus levantou pra conduzir aquele povo, Moisés, foi objetivo e assertivo em sua oração: “Se não fores com o teu povo, não nos faças sair deste lugar”.

Por que Moisés pôde orar com tanta ousadia? Simples, porque ele tinha um profundo e sincero relacionamento com Deus. E também porque naquela altura das experiências de sua vida, ele também já sabia que sem Deus não daria pra ir a qualquer lugar parecido com “terra prometida”. Perder tempo está fora de questão, é hora de nos entregarmos a um profundo relacionamento com Deus e focarmos nossa palavra junto ao trono: Sem o Senhor não iremos! Não temos como caminhar sem a companhia e direção dAquele que é o caminho, a verdade e a vida. Nosso caminho está em Suas mãos! Guia-nos, Senhor!

Edmilson Ferreira Mendes é escritor, pastor, teólogo, observador da vida.

* O conteúdo do texto acima é uma colaboração voluntária, de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: Os ETs estão aqui

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame