Existe alguma relação entre ética e inteligência emocional?

A boa notícia é que tanto a ética como a inteligência emocional podem ser aprendidos e desenvolvidos.

Fonte: Guiame, Cristiano R. CostaAtualizado: quarta-feira, 8 de dezembro de 2021 17:31
(Foto: Pixabay)
(Foto: Pixabay)

Ética e inteligência emocional são dois assuntos muito importantes, principalmente nos dias atuais. Para entendermos um pouco sobre eles, precisamos conceituá-los.

A palavra “Inteligência” tem a sua origem no latim, vem de INTELLEGENTIA: “capacidade de entender”, de INTELLIGERE, formada por INTER-: “entre” e LEGERE: “escolher”. Podemos resumir que a inteligência é a capacidade de compreender, perceber, conhecer e saber discernir sobre determinadas questões, ou seja, a capacidade de fazer as melhores escolhas.

De acordo com a teoria das inteligências múltiplas de Howard Gardner, os tipos de inteligência são:

  • Inteligência Linguística 29%
  • Inteligência Lógica 29%
  • Inteligência Motora 16%
  • Inteligência Espacial 14%
  • Inteligência Musical 6%
  • Inteligência Interpessoal 4 %
  • Inteligência Intrapessoal 2 %

Daniel Goleman, autor de Inteligência Emocional (IE), se concentrou na Intrapessoal e Interpessoal e cunhou o vocábulo Quociente Emocional (QE). Pode-se perceber que apenas 6% da população possuem naturalmente uma predominância de QE.

De acordo com o autor, nossa performance na vida é determinada principalmente pelo QE; o intelecto não pode dar o melhor de si sem a IE, uma vez que são indissociáveis mentalmente.

Geralmente, pessoas com déficit em IE possuem os seguintes comportamentos:

  • Não conseguem lidar bem com desafios ou qualquer tipo de problema que surja em sua vida.
  • Costumam ser bastante confusas e criam “dificuldades” em diferentes situações ao longo da vida e no ambiente de trabalho.
  • Não possuem equilíbrio e por isso acreditam que não podem ser “felizes” em tudo, não podem conquistar tudo o que almejam.
  • Encaram tudo como obstáculo e deixam de aproveitar oportunidades importantes para o nosso crescimento pessoal.
  • Não possuem empatia
  • Culpam a outros pelos seus sentimentos
  • Tem medo de expressar emoções
  • Levam tudo para o pessoal.

E a ética? Ao nos referirmos à capacidade de cuidar da vida coletiva, estamos falando de Ética.

A palavra 'Ética' vem do grego ethos, que até o século VI a.C. significava “morada do humano”.

Ética é o conjunto de princípios e valores que regem nossa conduta na vida em grupo.

A falta de ética pode ser percebida em comportamentos como:

  • Intenção em prejudicar alguém
  • Cometer atos ilícitos
  • Mentir
  • Desrespeitar a hierarquia

A boa notícia é que tanto a ética como a inteligência emocional podem ser aprendidos e desenvolvidos. De acordo com Goleman, existem duas competências e duas áreas que se correlacionam para ajudar nesse desenvolvimento:

 

Penso que todos devemos cotidianamente buscar o desenvolvimento dessas competências: pessoal e relacional; pois, afinal de contas, o mais importante em nossas vidas são os relacionamentos.

E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.

Este é o primeiro e grande mandamento.

E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.

Mateus 22:37-39

Tudo se baseia em relacionamentos. A ética e a inteligência emocional devem ser aprimoradas justamente para termos os melhores relacionamentos uns com os outros de forma a vivermos de forma verdadeira no Reino de Deus.

Ainda há tempo, escolha a excelência.

Cristiano R. Costa é coach emocional, palestrante, escritor, professor, consultor e mentor. Sua área principal de atuação é em liderança emocional e empresarial. Possui capacitação pelo Instituto Menthes do Dr. Augusto Cury, é bacharel em Ciência da Computação e Especialista Executivo em Gestão de Empresas e de Projetos. Tem um chamado para ajudar pessoas a se auto liderarem e de acreditarem em si mesmas e principalmente em Deus.

* O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: 5 formas de proteger suas emoções

 

Siga-nos

Mais do Guiame