‘Se todos vivessem seu chamado, transformaríamos o planeta’, diz Tom Jones

O conferencista internacional Tom Jones, ministrou na “Voz dos Apóstolos” sobre a jornada para o nosso destino profético, ensinando como viver o chamado de Deus.

Fonte: Guiame, Cássia de OliveiraAtualizado: sexta-feira, 8 de outubro de 2021 15:01
Tom Jones durante ministração na Voz dos Apóstolos 2021. (Foto: Marcos Paulo Correa/Guiame).
Tom Jones durante ministração na Voz dos Apóstolos 2021. (Foto: Marcos Paulo Correa/Guiame).

A conferência Voz dos Apóstolos acontece há 20 anos, com o propósito de reunir a liderança atual da Igreja para transmitir ensino, capacitação e unção. Pela primeira vez no Brasil, o evento contou com a participação do conferencista internacional Tom Jones, que ministrou sobre a jornada para o nosso destino profético, ensinando como viver o chamado que Deus nos entregou, nesta quarta-feira (7).

Baseado na passagem da inspeção dos 12 espiões do povo de Israel à terra prometida de Canaã, Jones pregou que todos os cristãos receberam um sonho do Reino e foram chamados ao ministério.

“Fomos criados em Cristo Jesus para fazer boas obras a qual ele preparou antecipadamente. Há coisas que Deus já preparou para que você faça. Há uma promessa profética sobre cada um de vocês”, disse o pastor.

Tom destacou a importância do cristão viver o seu chamado, a fim de impactar o mundo com o Evangelho do Reino. “Deus não te vê como você é agora, Deus te vê como você pode ser. Ele reconhece o potencial em sua vida. Se todos nós vivêssemos os nossos potenciais e a nossa posição em Cristo, seríamos a maior fonte de transformação do planeta”, declarou.

Durante a jornada para o destino profético, há três tipos de pessoas chamadas, segundo o conferencista: aquelas que conhecem o seu chamado e o estão vivendo; aquelas que não sabem qual o seu chamado, mas sentem que Deus as chamou; e aquelas que sabem, mas ainda não conseguem viver o seu propósito.

Renovando as sementes proféticas


Tom Jones durante ministração na Voz dos Apóstolos 2021. (Foto: Marcos Paulo Correa/Guiame).

As pessoas desta última categoria, acabam ficando desapontadas e frustradas quando a promessa profética demora a se cumprir e desistem do chamado que receberam. “Há um tempo para você ver o cumprimento desta palavra”, ressaltou Tom Jones, observando que há cristãos que falham no teste do tempo.

O pastor deu o exemplo desta verdade com seu próprio testemunho, contando que no passado, ele duvidou de suas promessas ministeriais ao demorarem a cumprir.  E deixou de acreditar nas palavras proféticas e no dom de profecia. “Senhor eu não vou mais fazer isso, as suas palavras não se cumprem”, disse Tom, na época.

Porém, em 1999, o pastor Jones foi tocado por Deus durante os avivamentos de Brownsville, no Texas, e de Toronto, no Canadá, reavivando as promessas de sua chamada. Após 20 anos, o líder contemplou os planos do Senhor se cumprindo em seu ministério.

Jones ensinou que, muitas vezes, será necessário renovar as sementes proféticas para que possam brotar e crescer sobrenaturalmente.  “Se apegue às palavras liberadas sobre sua vida, não largue elas. Não deixe o inimigo roubar essas palavras. Apesar do que você vê com seus olhos naturais, creia na Palavra de Deus. Deus é fiel à sua palavra”, exortou.

“O que Deus colocou no seu coração, Ele pode fazer. Nós precisamos nos manter fiéis e deixar Ele cuidar das circunstâncias. Deus quer te usar poderosamente”.

Segundo Tom, assim como aconteceu entre o povo de Israel quando avistaram a terra prometida, há aqueles que creem no que Deus fala e há aqueles que creem mais nas dificuldades que enxergam. Dos 12 espias que viram Canaã, somente Josué e Calebe creram que o Senhor os daria a promessa.  

“Nós visitamos o lugar da promessa, mas não queremos pagar o preço para viver lá. Há aqueles que focam nas possibilidades, e há os que focam nos problemas”, concluiu o pastor. 

Derrubando os gigantes dentro de nós


Tom Jones durante ministração na Voz dos Apóstolos 2021. (Foto: Marcos Paulo Correa/Guiame).

Tom Jones advertiu que durante a jornada para o nosso destino profético haverá desafios. “Quando você corre atrás de seu destino, você coloca um alvo no seu peito, o inimigo vai atrás de você. Todos os que, hoje, têm um ministério frutífero, tiveram desafios para enfrentar”, disse.

Refletindo sobre os doze espias que não creram na palavra do Senhor, Jones questionou: “O que os afastou de entrar? Por que eles não tomaram posse dos sonhos de Deus?”. Para o conferencista, os gigantes interiores os impediram de entrar. 

“Há momentos que precisamos lidar com gigantes que estão dentro de nós, antes de lidarmos com gigantes que estão lá fora. Antes de pisar no nosso destino, temos que permitir que o Senhor trabalhe conosco”, ensinou.

Outro fator que impediu os 10 espias a não entrarem em Canaã foi a incredulidade, de acordo com Jones. “Sem essa confiança em Deus não somos capazes de dar um passo fora da zona de conforto. A falta de fé vai nos impedir de arriscar e essa jornada para o sonho do Reino é cheio de riscos”.

“Há momentos que você tem que deixar tudo o que você tem, para receber o que Deus quer te dar”, declarou o pastor.

Concluindo, Tom Jones indicou que durante a jornada até o nosso destino profético, seremos tentados a ouvir as mentiras do inimigo ao invés das verdade do Espírito Santo.

“Há duas vozes sussurrando no seu ouvido, uma é a voz do inimigo, lhe dizendo que você nunca viverá seu destino, nunca será ungido o suficiente. A outra é a voz do Espírito, que diz que você vai viver o seu sonho, que as promessas irão se cumprir. Qual a voz estamos ouvindo?”, questionou o pastor Jones.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame