Medalhista paralímpica quer honrar a Deus em Tóquio: “Quero levar a mensagem Dele”

Grace Norman, paratleta do triatlo feminino, está em Tóquio em busca de uma medalha e oportunidades de glorificar a Deus.

Fonte: Guiame, com informações do Sports SpectrumAtualizado: sexta-feira, 27 de agosto de 2021 13:36
A americana Grace Norman é paratleta do triatlo feminino. (Foto: World Triathlon)
A americana Grace Norman é paratleta do triatlo feminino. (Foto: World Triathlon)

A americana Grace Norman ganhou a primeira medalha de ouro do paratriatlo feminino na história dos Jogos Paralímpicos, em 2016. Este ano, ela está em Tóquio em busca não só de uma medalha, mas glorificar a Deus através de seu dom.

“O melhor que posso fazer é glorificar a Deus, usar Seus dons, dar o meu melhor e divulgar o amor e a mensagem Dele. Isso é realmente o que tem me motivado”, disse a paratleta de 23 anos ao Sports Spectrum Podcast.

Nascida com uma malformação congênita provocada pela Síndrome da Banda Amniótica, Norman teve sua perna esquerda e o dedão do pé direito amputados. A deficiência não a impediu de crescer praticando esportes, mas foi na corrida que ela encontrou sua maior paixão.

O triatlo a atraiu porque era uma oportunidade de se destacar em três áreas atléticas, em vez de uma.

Norman foi a mais jovem competidora aos 18 anos no triatlo nos Jogos do Rio 2016, onde o esporte fez sua estreia paralímpica. Norman também conquistou o bronze nos 400m T44 feminino do Rio e conquistou dois Campeonatos Mundiais, em 2016 e 2017.

Influência da fé cristã

Seus pais foram responsáveis ​​por apresentá-la à fé cristã. Ela cresceu indo à igreja e desde cedo aprendeu os valores bíblicos.

“Não fui só eu que ganhei a medalha de ouro”, disse Norman no podcast. “Eu tinha uma equipe de pessoas por trás de mim, me ajudando a alcançar isso, e eles continuam me ajudando a lidar com isso. Meus pais têm sido grandiosos”.

Norman revela que teve uma verdadeira convicção de sua fé cristã durante a faculdade, mas ainda enfrentou algumas lutas internas em sua caminhada com Deus. Ela diz que Deus voltou a ser o centro de sua vida com “força total” no ano passado e que a meta em Tóquio é honrá-Lo.

“Ele tem tudo planejado em Seu tempo e Sua vontade”, disse ela. 

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame