Livros de Spurgeon e Billy Graham são considerados "extremistas" em região da Ucrânia

As obras foram apreendidas do Conselho das Igrejas Batistas na cidade de Sverdlovsk (conhecida na Ucrânia como Dovzhansk).

Fonte: Guiame, com informações do Artigo 18Atualizado: quinta-feira, 12 de agosto de 2021 13:33
O evangelista Billy Graham e o teólogo Charles Spurgeon. (Foto: Reprodução / IMDB / Wikipedia)
O evangelista Billy Graham e o teólogo Charles Spurgeon. (Foto: Reprodução / IMDB / Wikipedia)

O governo da autodeclarada República Popular de Lugansk acrescentou quatro livros cristãos a uma lista oficial de “materiais extremistas”. Antes disso, literatura cristã de batistas locais já havia sido apreendida.

De acordo com o Fórum 18, um tribunal em Lugansk decidiu em maio de 2021 que os livros eram “extremistas” e em julho eles foram adicionados à lista pelo Ministério da Justiça de Lugansk e, portanto, proibidos.

A última adição significa que há 18 obras cristãs na lista de “materiais extremistas”, incluindo uma versão russa do Evangelho de João publicada pelo Conselho de Igrejas Batistas.

Os quatro livros são “A Porta Está Aberta”, do pregador batista do século 19, Charles Spurgeon, “Born to Die”, do evangelista americano Billy Graham, “Jesus Nosso Destino”, do pastor alemão do século 19, Wilhelm Busch e “Cursed to Be?” do evangelista alemão Wolfgang Bühne.

Os livros foram apreendidos do Conselho das Igrejas Batistas na cidade de Sverdlovsk (conhecida na Ucrânia como Dovzhansk).

Conteúdo de “discórdia religiosa”

O Gabinete do Procurador-Geral de Lugansk afirmou que o Conselho “utiliza e distribui ativamente materiais impressos que contêm elementos de extremismo”.

Os livros, argumentou o Ministério Público, "incitam a discórdia religiosa", contêm "propaganda de excepcionalismo, superioridade e inadequação do indivíduo com base na adesão religiosa ou atitude para com a religião" e, portanto, "violam os direitos, liberdades e interesses legais" de outros.

A proibição dos livros era necessária, acrescentou, para “defender os interesses da geração mais jovem e garantir a segurança da República”.

A República Popular de Lugansk é uma região do leste da Ucrânia que se declarou independente em 2014, mas não é reconhecida internacionalmente como um Estado soberano.

Lugansk e a República Popular de Donetsk, que declarou independência da Ucrânia ao mesmo tempo, são regiões de língua russa que se consideram essencialmente russas. A Ucrânia, em contraste, é mais orientada para o Ocidente, com ucranianos no oeste do país apoiando a adesão tanto à OTAN quanto à UE.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame