Estado Islâmico mata quatro cristãos afegãos, relatam missionários

Depois que informaram que eram cristãos, quatro homens foram mortos no Afeganistão não pelo Talibã, mas pelo Estado Islâmico.

Fonte: Guiame, com informações do Mission Network NewsAtualizado: quinta-feira, 23 de setembro de 2021 11:26
Membros do Estado Islâmico (EI) em Jalalabad, no Afeganistão, em foto tirada em 2019. (Foto: AFP)
Membros do Estado Islâmico (EI) em Jalalabad, no Afeganistão, em foto tirada em 2019. (Foto: AFP)

Quatro homens cristãos foram mortos no Afeganistão; não pelo Talibã, mas pelo Estado Islâmico (EI), informou uma fonte da Mission Network News nesta quarta-feira (22).

A organização missionária Forgotten Missionaries International (FMI) relatou que o ataque foi contra uma família que tentava se juntar a um comboio para escapar do Afeganistão.

“O EI perguntou a eles: ‘Temos uma gravação sobre vocês de que não são mais muçulmanos. É verdade que vocês nãos são muçulmano?’ Eles disseram: ‘Sim, não somos mais muçulmanos. Somos cristãos’. Então os homens desta família foram mortos no local. As crianças e mulheres, eles deixaram ir”, disse o missionário Neemias à MNN.

Neemias perguntou a seus contatos como eles sabiam que era o Estado Islâmico que havia executado os cristãos. “A família disse que [os homens] estavam segurando a bandeira do EI e usavam uniformes pretos”, explicou.

O FMI tem atuado por mais de 30 anos em nações de difícil acesso, como Paquistão, Indonésia, Bangladesh, Quênia e Turquia. Com a crise no Afeganistão, a organização tem organizado comboios para ajudar famílias a escaparem do país.

O Estado Islâmico, no entanto, não tem como alvo apenas os cristãos. Eles assumiram a responsabilidade pelo ataque ao aeroporto de Cabul nos últimos dias da evacuação e, dias depois, detonaram vários explosivos na cidade de Jalalabad, no leste do Afeganistão, deixando mortos e feridos.

As pessoas que se aliam ao Estado Islâmico acreditam que o Talibã não é extremo o suficiente, explica Neemias. Ele diz ainda que os dois grupos não estão recrutando ativamente — são as pessoas que se identificam com suas crenças.

“O EI está em toda parte. E quando falamos sobre o Estado Islâmico e o Talibã, quero que saibam que o EI é, na verdade, um grupo de pessoas com uma mentalidade específica. Qualquer pessoa [de fora] pode ter essa mentalidade”, alerta.

Por fim, Neemias pede orações para que o resto do comboio chegue ao Paquistão com segurança. Ele também orienta: “Peça a Deus para ser um pai para os filhos órfãos. Ore para que Ele traga mensageiros de esperança a essas crianças, que falem a eles sobre Jesus, que entendam seu sofrimento.”

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame