"Eles tentam me ingorar", diz sobrevivente de um aborto sobre a grande mídia

Como relatado anteriormente, Jessen - que agora é uma militante pró-vida - é sobrevivente de uma tentativa de aborto por solução salina. Ela ganhou notoriedade em todo o mundo, ao compartilhar sua história, ao longo dos anos e chegou a inspirar o filme "Bebê de Outubro".

Fonte: Guiame, com informações da MRC TVAtualizado: sexta-feira, 11 de março de 2016 14:20
Gianna Jessen testemunha diante do Comitê Judiciário no Tennessee (EUA), ao tentar que o financiamento público à 'Planned Parenthood' seja cancelado (Foto: Pablo Martinez Monsivais / AP)
Gianna Jessen testemunha diante do Comitê Judiciário no Tennessee (EUA), ao tentar que o financiamento público à 'Planned Parenthood' seja cancelado (Foto: Pablo Martinez Monsivais / AP)

Quando a sobrevivente de uma aborto, chamada Gianna Jessen foi questionada recentemente durante uma entrevista no encontro CPAC 2016 (conservadores), sobre como a mídia reage ao seu testemunho, ela foi clara em afirmar que grande parte dos grupos de comunicação simplesmente optam por ignorá-la.

"Eles apenas tentam me ignorar. Essa tem sido a sua estratégia, porque eu não acho que eles podem realmente dizer nada para mim", disse Jessen à 'MRC TV'. "Então, a sua estratégia tem sido, 'Vamos apenas não falar com ela praticamente sobre tudo".

Ela continuou: "Mas eu ainda não desisti".

Como relatado anteriormente, Jessen - que agora é uma militante pró-vida - é sobrevivente de uma tentativa de aborto por solução salina. Ela ganhou notoriedade em todo o mundo, ao compartilhar sua história, ao longo dos anos e chegou a inspirar o filme "Bebê de Outubro".

"Gianna foi banhada em uma solução salina que causa queimaduras graves, mas ela superou isso e veio ao mundo", aponta parte de sua biografia. "Nasceu prematura (faltando 2 meses) e pesando menos de 1kg, ela passou seus primeiros meses em um hospital. A partir daí, ela entrou no sistema de assistência social".

Em setembro passado, Jessen testemunhou perante o Comitê Judiciário da Câmara, em um esforço para tentar retirar o financiamento federal à gigantesca rede de clínicas de aborto 'Planned Parenthood', compartilhando a história de como sua mãe havia tentado abortá-la, sem sucesso.

A rede de clínicas de aborto foi recentemente flagrada com alguns de seus diretores envolvidos no comércio ilegal de tecidos fetais. Desde então, muitos parlamentares e organizações pró-vida têm pressionado o governo Obama a cancelar o financimento público, dado à 'Planned Parenthood'. Em alguns estados norte-americanos, este objetivo já tem sido alcançado.

"Não me diga que eles [fetos] não são crianças. Um batimento cardíaco comprova isso", ela disse durante a audiência. "Eu também".

"Este método de aborto queima o bebê por dentro e por fora, cegando e sufocando a criança, que então, geralmente nasce morta, dentro de 24 horas. Foi a isto que eu sobrevivi. Em vez de morrer, após 18 horas sendo queimada no ventre de minha mãe, eu nasci viva", disse Jessen ao Comitê Judiciário da Câmara.

Devido a uma falta de oxigênio durante a tentativa de aborto, Jessen foi diagnosticada com paralisia cerebral, logo após nascer.

"Normalmente eu nunca conseguiria manter firmes minha cabeça ou meus pés. Mas eu o faço", ela continuou. "A paralisia cerebral, Senhoras e Senhores Deputados, é um tremendo presente para mim".

Em sua recente entrevista à MRC TV, Jessen descreveu sua paixão por ajudar os outros a entender mais sobre as complexidades da questão do aborto, dizendo que ela enfatiza a compaixão, deixando as pessoas cientes que faz isso, exatamente por se preocupar com elas.

"Acredito que as pessoas estão se sentindo cada vez mais inúteis na sociedade", disse ela. "Eu começo com: 'Ei, você sabe o quão importante você é?".

 

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame