“Desejo ver todas as pessoas adorando a Deus juntas”, diz Jamie Foxx

Ator, que estrela o novo filme "Just Mercy", falou sobre sua fé cristã em recente entrevista.

fonte: Guiame, com informações do Metro Voice

Atualizado: Sexta-feira, 17 Janeiro de 2020 as 4:43

Jamie Foxx, em evento de premiação do cinema. (Foto: Reprodução/AOL)
Jamie Foxx, em evento de premiação do cinema. (Foto: Reprodução/AOL)

Jamie Foxx, que estrela o novo filme "Just Mercy", diz que quer ver o cristianismo unir as pessoas em vez de dividi-las. Sua "visão", disse ele, é ver pessoas de todas as raças adorando a Deus juntas sob o mesmo teto.

Em recente entrevista, o ator conta que crescer no Texas, frequentar a igreja aos domingos e vários outros dias da semana, era seu modo de vida. Todo domingo, ele tocava piano na igreja, ajudando a congregação na adoração.

"Eu cresci na igreja. Quero dizer, igreja, todos os dias. Igreja, igreja, igreja, igreja”, disse o ator vencedor do Oscar.

Mas algumas experiências fizeram com que Foxx pensasse a respeito da comunhão entre os cristãos. Ele conta que muitos de seus companheiros de igreja durante a semana o tratavam de forma que “não refletia exatamente a compaixão, a graça e a bondade exemplificadas pelo Cristo que professavam”.

Foxx diz que achava estranho quando as pessoas que iam à igreja oe tratavam mal quando estavam em outro ambient. “As [mesma] pessoas que iam à igreja e nos ensinavam a Bíblia", disse.

“Na minha cabeça, pensei: 'Sim, algo está errado. Porque se existe um paraíso, eu não vou sair com eles. Então eles terão que separar meu paraíso, porque eu não quero estar perto de pessoas que me chamavam daquelas coisas”, disse.

Influência

Foxx contou que sua avó, uma mulher devota, insistia que ele memorizasse a Bíblia. Foi ela quem o ensinou a ser gentil com os outros e a ter compaixão, mesmo com aqueles com quem ele discordava.

"Minha avó, que criou nossa cidade, fez questão de entender os livros da Bíblia: Gênesis, Êxodo etc.", disse ele. “[E] ela me explicou o ‘guarda-chuva’ do cristianismo.”

O ator falou sobre a geração do milênio e outras gerações jovens que têm dificuldade em abraçar o cristianismo por causa da mentalidade "nós contra eles" promovida, inclusive, por alguns cristãos.

"Minha filha teve dificuldade em entender a religião", disse ele. "Quando ela tinha 13, 14 anos, ela falou: 'Pai, tudo o que vocês falam é sobre quem é diferente e quem não é. Não queremos fazer isso. 'Então aprecio o jovem milênio que tem uma mentalidade diferente e ainda está apegado à fé deles, porque é disso que precisamos. Precisa ser integrado.”

Novo filme

Foxx estreia no próximo filme “Just Mercy”, ao lado de Michael B. Jordan e Brie Larson, baseado no livro premiado Just Mercy, que acompanha o jovem advogado Bryan Stevenson (Jordan) e sua batalha pela justiça. Depois de se formar em Harvard, Bryan viaja para o Alabama para defender os condenados indevidamente, com o apoio da advogada local Eva Ansley (Larson).

Lá, ele assume o caso de Walter McMillian (Foxx), que, em 1987, foi condenado a morrer pelo notório assassinato de uma menina de 18 anos, apesar de poucas evidências chocantes que provam sua culpa. Nos anos seguintes, Bryan luta por Walter e outros como ele, com as probabilidades - e o sistema - contra eles.

Com seus temas de misericórdia, igualdade e defesa dos "menos", Foxx disse ao CP "Just Mercy" um filme "necessário" que, com sorte, ajudará a derrubar alguns dos muros do preconceito e do racismo predominantes na sociedade.

"É o filme mais importante ao qual já participei", disse Foxx. "Nada contra qualquer outro filme, mas este é um filme muito importante", disse ele. “Acho que hoje em dia, nas redes sociais, é diferente, ou pelo menos podemos ver esses tipos de problemas com mais visibilidade do que, não sei, há 20 anos, quando era impossível descobrir esse tipo de casos .

Um cristão franco, Stevenson disse à CP que sua defesa dos marginalizados é motivada por sua fé, motivada por Miquéias 8: 8: “Ele mostrou a você, ó mortal, o que é bom. E o que o SENHOR exige de você? Agir com justiça, amar a misericórdia e andar humildemente com o seu Deus.”

Referências à fé

Como resultado, "Just Mercy" é polvilhado com temas espirituais e referências à fé, algo que Foxx disse ser cultural e um reflexo preciso do coração de Stevenson.

“A fé está em nossa cultura; especialmente como negros, você sabe, você vai à igreja”, disse Foxx. "Não consigo pensar em muitos negros que não dizem" amém "no domingo, não importa o que fazemos de segunda a sábado."

"Mas quando fomos ao set, foi um acordo coletivo e tácito que era espiritual", continuou ele. “A música que tocamos, onde estávamos, a maneira como conversamos e interagimos. Eu acho que isso realmente aparece no filme.”

Foxx acrescentou que Jordan, que estrelou e co-produziu "Just Mercy", foi "prático" para garantir que a dedicação de Stevenson à sua fé fosse trazida à vida.

"Michael B estava na frente e atrás da câmera, garantindo que tivéssemos a atmosfera para fazer o que precisávamos fazer, a atmosfera espiritual", disse ele. "E, ao mesmo tempo, mantivemos nossos olhos no prêmio quando se tratava de Bryan Stevenson e quem ele era, o que ele era e como precisamos contar a história".

"Just Mercy" foi filmado no local e em torno de Atlanta, Geórgia, com algumas sequências externas estabelecendo também realizadas em Montgomery, Alabama.

O filme foi produzido por Gil Netter, indicado ao Oscar duas vezes ("Life of Pi", "The Blind Side"), Asher Goldstein ("Short Term 12") e Jordan.

"Just Mercy" estreia em cinemas selecionados em 25 de dezembro e será lançado em todo o país em 10 de janeiro de 2020.

veja também