‘Recebi o toque de Jesus’, diz Vitor Belfort em meio à dor pelo desaparecimento da irmã

A história de fé do lutador brasileiro em meio ao sofrimento causado por uma lesão e pelo sequestro de Priscila.

Fonte: Guiame, com informações do GOD TVAtualizado: quinta-feira, 23 de setembro de 2021 14:30
Vitor Belfort em tradicional pose de manifestação de sua fé em Jesus. (Foto: Reprodução / Pinterest)
Vitor Belfort em tradicional pose de manifestação de sua fé em Jesus. (Foto: Reprodução / Pinterest)

O lutador brasileiro Vitor Belfort fez de seu testemunho com Deus uma das histórias mais conhecidas. Recentemente, ele deixou seu depoimento no site “I am Second”, onde relata que sua busca por Deus aconteceu no sofrimento. “Há duas maneiras de chegar a Deus, por meio da dor ou do amor”, diz ele em um vídeo de. "O meu foi por causa da dor."

Belfort é conhecido como “o Fenômeno”, por ter sido o lutador mais jovem a vencer uma luta do Ultimate Fighting Championship, aos 19 anos. Morador da Flórida, nos EUA, o boxeador de 44 anos já lutou em todos os tipos de lutas, sendo o boxe o mais recente.

Por conhecer Deus desde a infância, Belfort prometeu servi-lo fielmente, em sua primeira luta oficial, caso Deus o permitisse vencer. Ele triunfou, mas esqueceu sua promessa. “Assim que ganhei o campeonato, não segui a Deus logo de cara”, lembra.

Aos 20 anos, Belfort sofreu uma lesão no pescoço. Os médicos foram severos dizendo que ele teria que desistir de seu esporte e encontrar outra carreira. “Eu estava chorando, estava desesperado”, conta.

Um pesadelo

Um dia, enquanto dirigia em seu carro de luxo, viu um homem sem pernas que andava de skate. Ele ficou tão impressionado com aquele mendigo que começou a conversar com ele.

“Muitas pessoas que passam por aqui pensam que não valho nada porque não tenho pernas”, disse-lhe o mendigo. “Mas garanto, Vitor, sou mais feliz do que muita gente que passa por aqui em seus carros grandes. Eu tenho Jesus e Jesus pode transformar sua vida.”

Foi nesse momento que Vitor sentiu Deus falando ao seu coração. “Mas mesmo assim, eu não segui a Deus”, diz.

Seria preciso passar por um pesadelo, o sequestro de sua irmã em 2004, para fazer com que Belfort buscasse a Deus.

O caso de Priscila é um mistério até hoje. Ela desapareceu e a família nada soube sobre ela durante três anos. Uma mulher que supostamente foi presa para saldar dívidas de drogas, Elaine Paiva, confessou ter ajudado traficantes a sequestrar e matar Priscila. Mas o caso não está esclarecido.

Vitor Belford e sua família com camisetas estampadas com a foto de Priscila Belford, desaparecida desde 2004 (Crédito: Reprodução / IstoÉ)

Alguns familiares duvidam que a versão de Paiva seja verdadeira e acham que Priscila está viva porque a polícia nunca encontrou o corpo, supostamente enterrado na selva fora do Rio de Janeiro.

A informação de que sua irmã havia sido repetidamente estuprada por horríveis assassinos enfureceu Belfort. “Se você perdeu seu marido, você é uma viúva. Se você perdeu seu pai, você é um órfão. Mas se você perdeu seu filho, não temos nome para isso”, diz Vitor. “É tão doloroso. É tão doloroso que eles nem têm um nome para isso.”

A amargura curada pela voz de Deus

Belfort conta os momentos dolorosos que passou e a amargura que sofreu. “Meu coração estava ficando duro e eu comecei a ficar amargo”, conta. “Tudo o que vejo, só quero vingança, vingança. Eu estava ferido. Eu queria uma solução para minha dor. Eu queria remédio”.

Em meio à angústia, ele começou a buscar a Deus. “Comecei a orar. Comecei uma grande fogueira com Deus”.

Então Deus falou ao seu coração: “Filho, não importa o que você pensa ou como você pensa sobre sua vida. Sua irmã me pertence.”

Aquelas palavras o ajudaram.

“Esse foi o maior toque de um relacionamento verdadeiro com Jesus e o Espírito Santo”, diz ele.

Belfort se casou com a ex-dançarina Joana Prado, que fazia a famosa persona “Feiticeira”. Ela e Belfort se conheceram em um evento e tempos depois começaram a namorar. Joana se converteu ao cristianismo e hoje se diz apaixonada por Jesus. O casal tem três filhos.

O lutador atribui a Jesus a família e a vida feliz que eles têm.

“Tenho uma ótima família e um ótimo relacionamento com Deus”, diz ele. “Meu coração está em paz. Através dessa tribulação, sou um novo homem. Eu sou um homem forte [mas] não sou perfeito. Eu ainda luto com muitas coisas. Estou no meio do processo. Todos os dias tento lutar contra esse processo”.

A luta no ringue é uma imagem da luta espiritual em que ele se envolve. “Você vai perder, você vai ganhar. Não se preocupe”, diz ele. “O principal é ser um vencedor.”

Belfort x Holyfield

Vitor tem 26 vitórias e 14 derrotas na carreira profissional. O jogador de 44 anos demoliu Evander Holyfield, 58, com um nocaute técnico na primeira rodada de uma luta de boxe do Triller Fight Club.

“Eu simplesmente agradeço a Deus todos os dias. Eu estou feliz. Sou saudável. O ponto principal é que é apenas a maneira como você trata a vida e a vida o tratará de volta. Fique feliz com o que está acontecendo na sua vida”, disse ele no MMA Weekly.

“Acho que a chave da vida é ser feliz com o que está diante de você e a decisão da minha vida está sob a autoridade de Deus e Deus sabe o que é melhor para mim”, concluiu.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame