Líder diz que jovens deixam igreja por não ver referência em adultos: “Querem uma família”

Pastor acredita que jovens que se conectam com adultos, em oração, têm mais probabilidade de permanecer no corpo de Cristo.

Fonte: Guiame, com informações de Christian PostAtualizado: quarta-feira, 25 de agosto de 2021 12:15
Tony Souder, líder do movimento Pray For Me. (Foto: Reprodução/Facebook)
Tony Souder, líder do movimento Pray For Me. (Foto: Reprodução/Facebook)

Enquanto a Geração Z (nascidos entre 1997 a 2010) marca a primeira geração verdadeiramente “pós-cristã”, no Tennessee, EUA, um movimento se espalhou por centenas de igrejas para promover relacionamentos intergeracionais na esperança de manter os jovens na Igreja

O pós-cristianismo acontece quando a fé não é mais um elemento crucial e não interage mais em nível cultural e público. Alguns especialistas acreditam que houve uma crise na Igreja quando analisam a diminuição da afiliação religiosa entre os jovens. 

De acordo com Tony Souder, CEO do ministério “Cem Anos” e fundador da Campanha Pray For Me (Ore por Mim), a necessidade de relacionamentos intergeracionais dentro do Corpo de Cristo nunca foi tão grande.

Em entrevista ao Christian Post, Souder disse que os jovens que estão extremamente conectados com adultos na Igreja têm uma porcentagem muito maior de permanecer firme em sua fé. 

“A Igreja é uma família”

“Os jovens estão deixando a Igreja porque é fácil deixar uma instituição”, explicou Souder, que serviu na pastoral juvenil por quase três décadas. “Mas, não é fácil deixar uma família. Os jovens precisam experimentar que o Corpo de Cristo é uma família, não apenas uma instituição”, alertou.

“Infelizmente, a maioria dos jovens não está experimentando isso. Eles não obtêm a plenitude do que o corpo de Cristo tem a oferecer a eles porque não sabem que podem ter adultos em sua equipe”, continuou.

“Estamos tentando mudar isso porque investir na vida de um jovem é um verdadeiro catalisador para que ele permaneça conectado à Igreja e floresça em sua fé”, destacou.

Para ajudar a promover a unidade através das gerações, Souder criou a campanha “Ore por mim”, uma iniciativa para que toda a Igreja prepare crentes adultos para orar por crianças e jovens.

“Ore por mim”

Desde 2014, o ministério ajudou mais de 650 igrejas de várias denominações, que criaram mais de 150 mil relacionamentos intergeracionais. 

A forma como a campanha funciona é simples: uma Igreja local realiza um evento de lançamento onde uma criança ou jovem estudante pede a três crentes adultos de diferentes gerações para serem seus “campeões de oração” durante seu ano escolar. 

Esses adultos — todos examinados e aprovados previamente por sua igreja local — usam o guia de oração fornecido pelo ministério para ajudá-los enquanto fazem orações baseadas nas Escrituras, pela vida do aluno. As orações enfocam os princípios bíblicos encontrados em Lucas 2.52 (sabedoria, estatura e graça) e 1 Timóteo 4.12 (procedimento, amor, fé e pureza).

Quando a oração é invertida, no caso de crianças ou jovens orarem por adultos, pode haver certo constrangimento e alguma barreira para criar relacionamentos. “Mas há algo de lindo quando um jovem estende o convite”, disse Souder. 

“Do lado dos jovens, muitas vezes, eles simplesmente não sabem como abordar os adultos, mas anseiam por esse tipo de relacionamento”, continuou.

A campanha tem efeitos duradouros, disse Souder, explicando que uma criança que começa a campanha Ore por Mim aos 5 anos, pode ter até 45 adultos orando por ela quando se formar no ensino médio. 

Ao longo dos anos, Souder disse que ouviu inúmeras histórias de como a campanha transformou a vida de quem participa.


Tony Souder falando ao jovens. (Foto: Reprodução/Instagram Pray For Me)

Testemunhos

Em um dos casos, um homem idoso que orou por um jovem estudante durante anos foi às lágrimas quando soube que o estudante também estava orando por ele, enquanto lutava contra o câncer. 

Em outra situação, um jovem que lutava para pagar a mensalidade da faculdade ficou chocado quando soube que sua dívida havia sido paga por seus campeões da oração.

“Aqui estão duas pessoas que não teriam nenhuma razão para se conectar. Mas porque eles estavam fazendo a campanha Ore por Mim, isso lhes ofereceu uma maneira simples de mudar radicalmente suas vidas”, relacionou.

“Há algo poderoso e claramente sobrenatural quando as pessoas oram. Quando oro por você, Deus não está apenas mudando você, mas Ele está me mudando”, frisou.

Orando pelos netos

Este ano, o ministério lançou a edição Grandparent Legacy (Legado dos Avós) do “Guia de Oração Ore por Mim” para ajudar os avós a deixarem um legado espiritual para as gerações futuras. 

“Todo jovem na Igreja é neto de alguém”, disse Souder. “E se pudermos ajudar os avós a orar por seus netos, então poderemos realmente ser fundamentais para ajudar a mudar as próximas gerações”, continuou.

“Quando eles se vão, a oração que eles fizeram por seus netos não vai embora, porque eles estavam enraizados em Deus”, defendeu.

“Os jovens enfrentam problemas sem precedentes”

Souder é pai de duas filhas adultas e disse que os problemas que os jovens enfrentam hoje não têm precedentes — desde o surgimento das mídias sociais até a confusão de gênero que gira em torno da cultura.

Cabe à Igreja, disse ele, ensinar os jovens a “pensar de forma diferente” da cultura tradicional. “É um mundo tão complicado em que vivemos. O que o torna tão preocupante é que este é o único mundo que eles já conheceram. Os jovens estão sendo discipulados por seus telefones”, destacou.

“Se não fizermos algo diferente, perderemos uma geração inteira. Temos que criar relacionamentos intergeracionais para que eles tenham os recursos de que precisam para florescer na fé e na vida”, disse.

Além disso, segundo Souder, os jovens também estão lutando contra doenças mentais, como nunca antes. Estudos mostram que adolescentes e adultos jovens são os mais ansiosos e deprimidos da história. 

Por meio da campanha Ore por Mim, o líder disse que seu objetivo é que uma geração fale da grandeza de Deus às próximas gerações. 

“Queremos que os crentes cresçam dizendo: ‘Provei Deus desde a minha juventude’. Nosso objetivo é que não haja uma Igreja ou ministério cristão que não tenha acesso à Campanha Ore por Mim para ajudá-los a construir relacionamentos naturais e cativantes dentro da Igreja entre jovens e adultos”, concluiu.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame