Acrobata de circo encontra Jesus, após sobreviver a acidente durante apresentação

“Enquanto o circo andava pelo Brasil, comecei a buscar a Deus. Entrava em várias igrejas”, conta Michelly Campelo.

Fonte: Guiame, com informações de Notícias AdventistasAtualizado: quinta-feira, 23 de setembro de 2021 12:52
Por mais de 30 anos, Michelly Campelo trabalhou no circo, viajando por todo o Brasil. (Foto: Arquivo pessoal).
Por mais de 30 anos, Michelly Campelo trabalhou no circo, viajando por todo o Brasil. (Foto: Arquivo pessoal).

Vinda de família circense, Michelly Campelo cresceu no circo, acostumada em se apresentar para multidões entre holofotes e palmas. Durante mais de três décadas, ela atuou como acrobata, viajando por todo o Brasil.

Já durante sua infância, Michelly tinha um forte desejo de conhecer Deus. A menina pediu ao pai uma Bíblia ilustrada de presente, que lia todos os dias. “Eu sempre fui apaixonada por Jesus. Quando criança, queria ser freira, pois falavam que elas eram casadas com Jesus. Sempre tive vontade de estar perto dele”, lembra.

Michelly cresceu no picadeiro (local de apresentações do circo) e se tornou uma jovem acrobata muito talentosa, que brilhava nas apresentações. Porém, o que ela mais precisava era de equilíbrio espiritual e assim começou uma busca incessante por aquele que poderia aquietar seu coração.

“Enquanto o circo andava pelo Brasil, comecei a buscar a Deus. Entrava em várias igrejas evangélicas”, contou a mulher, de 31 anos, ao Notícias Adventistas.

Em 2014, já adulta e mãe de dois filhos, caminhando por Brasília com uma colega de circo, Michelly encontrou uma Igreja Adventista. “Minha amiga perguntou se eu conhecia aquela igreja. Eu não conhecia. Então, ela contou que os cultos eram aos sábados e me convidou para ir. Aceitei, pois além de cuidar da saúde física, eu precisava cuidar também da saúde espiritual”, disse.

No culto, a recepção calorosa dos irmãos conquistou o coração de Michelly. “Me apaixonei pela recepção e pelos louvores. Foi algo que me deixou maravilhada. A Escola Sabatina, tudo me deixou deslumbrada”, falou.

Porém, a acrobata só tomou uma decisão por seguir a Cristo depois de sofrer um acidente durante uma apresentação no circo. “Eu só senti que realmente precisava tomar uma decisão quando sofri um acidente em um número que fazia com meu enteado. Ele ficou em estado grave, mas graças a Deus não teve sequelas. Fomos à igreja agradecer”, conta.

Estudando a Bíblia por todo Brasil


Michelly e o esposo se batizaram nas águas em 2018. (Foto: Arquivo pessoal).

Então, com o desejo de saber mais sobre a Palavra de Deus, Michelly iniciou um estudo bíblico na Igreja Adventista na Bahia, cidade onde estava na época. Depois que o circo foi embora dali, ela continuou estudando a Bíblia com os irmãos da denominação, nas cidades em que visitava. 

“Eu chegava em outra cidade e explicava onde tinha parado nos estudos e assim demos continuidade, em várias cidades diferentes até eu concluir”, explicou. A equipe de discipulado ia até o circo para ensinar a acrobata e, com o tempo, toda família passou a participar do estudo bíblico.

Logo depois, Michelly e o esposo passaram a ser acompanhados pelo pastor Joaquim Rocha. O casal recebeu Jesus e se batizou nas águas em março de 2018, dando testemunho público de sua fé cristã.  

Na nova fase de sua vida, Michelly se envolveu no ministério de sua igreja local e tem compartilhado as boas novas, que um dia lhe alcançaram ela e sua família. “Sempre estou envolvida na missão, como Escola Sabatina e Aventureiros. Amo demais! Os irmãos me receberam com muito carinho e acreditaram em mim. Comecei a pregar e a fazer a obra de Deus”, testemunhou a ex-acrobata.

Hoje, a cristã deixou o palco do circo para trabalhar na venda de literatura cristã. 

“Atualmente faço faculdade de Educação Física e presto consultoria familiar. Isso tem enchido meu coração de alegria”, contou.

Olhando para trás, Michelly afirma que Deus a guiou para que ela o encontrasse e pudesse desfrutar de sua paz. “Desde a época em que estava no picadeiro, Deus já me preparava para esta transição. Eu era apaixonada por isso, por receber os aplausos, brilhos e holofotes. Mas não tem como eu comparar isso com o meu amor por Jesus”, refletiu.

E concluiu: “Eu passaria por tudo novamente. A certeza de que Jesus vai voltar e nos levar para um lugar lindo não tem comparação nem mesmo com todos os aplausos de um picadeiro”.



Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame