Presidiária recebe Jesus através de cartas de missionária por 6 anos: "Guiada por Deus”

O projeto Grão de Mostarda já enviou mais de 450 cartas a 60 penitenciárias brasileiras.

Fonte: Guiame, com informações das Missões NacionaisAtualizado: quarta-feira, 26 de maio de 2021 17:00
Marcia Mendes é coordenadora do Grão de Mostarda, que envia cartas a presídios. (Foto: Missões Nacionais)
Marcia Mendes é coordenadora do Grão de Mostarda, que envia cartas a presídios. (Foto: Missões Nacionais)

Uma presidiária foi alcançada pelo amor de Deus e recebeu uma nova esperança através das cartas da missionária Marcia Mendes, que durante 6 anos, semeou o Evangelho por escrito mesmo pelas grades.

Marcia Mendes é coordenadora do Grão de Mostarda, que faz parte da Capelania Prisional Batista. Através do projeto, presidiários têm estudado a Palavra de Deus por meio de cartas de missionários e voluntários por todo o Brasil. 

A ação visa alcançar unidades prisionais que ainda não contam com uma equipe missionária. A ex-presidiária foi assistida pelo projeto e hoje encontra-se livre da prisão e liberta em Deus.

“Estive privada de liberdade por 13 anos. Durante seis anos, eu tive o privilégio e a honra de receber a carta de uma missionária guiada por Deus”, conta Vânia ao site das Missões Nacionais.

“Eu não tinha visita, eu não tinha nada e nem alguém ao meu lado, e chegou uma carta. Essa carta me emocionou, me fez ser a pessoa mais importante do mundo. A carta é uma visita para um preso ou uma presa. Eu louvo ao Senhor por esse projeto e pela vida de vocês”, acrescenta Vânia.

Para Marcia, este projeto permite com que os presos recebam uma “visita de próprio punho” da igreja.

“Somos voluntários dedicados a esta causa: voluntários do nosso tempo, dos nossos recursos, da nossa atenção. Temos nos lembrado dos presos, temos orado por suas vidas e acreditado que Deus pode transformá-los”, afirma a missionária.

O projeto Grão de Mostarda alcança 60 penitenciárias, em cinco estados brasileiros, e conta com a parceria de 33 igrejas e de 120 voluntários. Até hoje, 450 cartas já foram recebidas e respondidas pelos colaboradores.

Siga-nos

Mais do Guiame