Igreja é queimada no interior de Uganda: 'Terrível e trágico'

O prédio de mais de 32 anos foi envolvido pelas chamas às 4h de quarta-feira, 15 de setembro.

Fonte: Guiame, com informações do UGCNAtualizado: sexta-feira, 24 de setembro de 2021 15:16
Igreja Bukomero Miracle Center envolta em chamas às 4h da manhã de quarta-feira (15). (Foto: Reprodução / UGCN)
Igreja Bukomero Miracle Center envolta em chamas às 4h da manhã de quarta-feira (15). (Foto: Reprodução / UGCN)

Criminosos não identificados incendiaram um edifício da Igreja Bukomero Miracle Centre, que fica no sub-condado de Bukomero, distrito de Kiboga, durante as primeiras horas da manhã de quarta-feira (15).

Em declarações ao Uganda Christian News, o líder da igreja, John Asaph Sserugga, disse que o ataque ao prédio da igreja ocorreu às 4h do dia 15 de setembro, mas não houve vítimas.

Pastor do local há mais de 27 anos, ele acredita que o incêndio foi causado intencionalmente e afirmou que há uma investigação em andamento.

“Alguém queimou”, explicou ele durante a entrevista.

O Bispo Sserugga afirmou que o edifício da Igreja, com mais de 32 anos, foi 'o lar' de vários cristãos na área, encerrado temporariamente devido às políticas governamentais prevalecentes para limitar a propagação do Covid-19.

O Pr. John Asaph Sserugga em frente ao prédio, antes do incêndio. (Foto: Reprodução / UGCN)

A liderança da Igreja afirmou, no entanto, que não perderam as esperanças após o trágico incidente.

Vários líderes cristãos, pastores de louvor e frequentadores de igrejas online responderam ao desenvolvimento, chamando-o de “terrível e trágico”.

“Isso é muito triste”, observou o adorador Isaac Serukenya. O artista Jackie Senyonjo também lamentou o incidente.

O presidente de Uganda, Yoweri Museveni, em 30 de julho de 2021, anunciou o levantamento de um bloqueio de 42 dias após uma queda nos casos de Covid-19 no país da África Oriental. No entanto, ele pediu que as igrejas, mesquitas e outros locais de culto permaneçam fechados por mais 60 dias, após o que uma nova revisão começará.

 

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame