Igreja da Argélia convoca cristãos a orar pela reabertura de templos lacrados há 1 ano

Um pedido para reabrir locais de culto foi recentemente rejeitado sem justificativa.

Fonte: Guiame, com informações do Evangelical FocusAtualizado: terça-feira, 20 de outubro de 2020 13:16
Policiais fecham portas da igreja em Boudjima, Argélia, em 22 de maio de 2019. (Foto: Reproduç
Policiais fecham portas da igreja em Boudjima, Argélia, em 22 de maio de 2019. (Foto: Reproduç

A Igreja Protestante da Argélia (EPA) emitiu um comunicado, pedindo oração, enquanto a igreja comemora o aniversário do fechamento das maiores igrejas do país.

Foi “um ano desde que a crise do fechamento arbitrário de igrejas na Argélia atingiu seu clímax, com o fechamento das igrejas de Tizi-Ouzou (1.200 membros) e Makouda (800 membros) pela polícia e pela gendarmaria”, Lembra a EPA.

A entidade protestante destaca que “no dia 27 de agosto, o pedido de reabertura de locais de culto foi indeferido sem motivo aparente pelo tribunal administrativo de Tizi-Ouzou”.

“Hoje, 13 igrejas permanecem fechadas e lacradas; privando assim milhares de cristãos dos seus locais de culto”, acrescentam.

No entanto, “apesar das dificuldades e da Covid-19, confiamos em nosso Senhor Jesus Cristo e recorremos à oração para sermos pacificadores da nossa nação”, sublinham os cristãos argelinos.

“Os cristãos na Argélia são gratos e profundamente tocados pelas expressões de afeto e pelas muitas mensagens de encorajamento e apoio enviadas desde o início desta crise”, sublinha o comunicado.

“Ore pela Argélia”

No Dia Internacional de Oração pelos Cristãos na Argélia, que aconteceu no domingo (18), foi feito um apelo para que os cristãos de todo o mundo orem pelo país.

A EPA pede para orar pela “reabertura de igrejas fechadas e pela proteção e sabedoria de pastores e líderes durante este tempo difícil”.

Eles conclamam a orar pela “revogação da portaria 03/06”, que obriga os locais de culto das minorias religiosas a terem uma licença especial. Os cristãos denunciaram que as autoridades não emitem tais licenças, embora a maioria das igrejas tenha apresentado os pedidos para regularizar seu status.

Os cristãos argelinos também “oram pelo fim da intimidação e da humilhação dos líderes cristãos; as autoridades argelinas e os argelinos em geral”, e “graças a Deus pela resiliência dos cristãos argelinos”.

Siga-nos

Mais do Guiame