Cruz que havia sido ‘confiscada’ retorna à igreja evangélica na China: ‘Deus devolveu’

Sob o governo do presidente comunista da China, Xi Jinping, as cruzes foram removidas de igrejas em várias partes do país.

Fonte: Guiame, com informações do BosNewsLifeAtualizado: sexta-feira, 21 de maio de 2021 14:32
Objetos pertenciam à Early Rain Covenant, em Chengdu. (Foto: Reprodução / BosNewsLife)
Objetos pertenciam à Early Rain Covenant, em Chengdu. (Foto: Reprodução / BosNewsLife)

A Early Rain Covenant Church (Igreja do Pacto da Primeira Chuva), de Chengdu, na província de Sichuan, relatou que indivíduos não identificados entregaram uma cruz e alguns objetos tirados do templo. Segundo relataram, os itens foram devolvidos misteriosamente" em 9 de abril.

O grupo de defesa ChinaAid, que está em contato próximo com a igreja, disse a BosNewsLife que uma cristã que varria uma estrada obteve os itens.

“A irmã Zhang cumpria seu dever varrendo a estrada no distrito de Pidu quando um carro amarelo parou a poucos metros dela. Ela fez uma pausa e observou duas pessoas retirando vários itens do carro e deixando-os no acostamento”, relatou a ChinaAid.

“Pensando que o carro pertencia à empresa dela, a irmã Zhang se aproximou para ajudar. O motorista do carro foi embora rapidamente, antes que ela pudesse se comunicar com ele ou seus passageiros”, disseram.

Quando “a irmã Zhang examinou a cena, encontrou uma cruz de aparência familiar, uma caixa de ofertas e uma caixa com as vestes do coro da igreja. Ela enviou fotos dos itens para o grupo de bate-papo [online] da Igreja Early Rain Covenant de Chengdu (ERCC). Os membros confirmaram que os objetos pertenciam ao Linxishu Evangelical Center da igreja.”

De volta à casa de Deus

As imagens vistas pelo BosNewsLife incluíam uma caixa com as vestes do coro da igreja, uma cruz e uma caixa de ofertas que a irmã Zhang encontrou na beira da estrada.

Os oficiais de Chengdu confiscaram muitos dos pertences da igreja durante sua "repressão massiva" às igrejas domésticas em 9 de dezembro de 2018, disseram os cristãos.

“Embora os oficiais do PCC tenham devolvido algumas estantes, várias cadeiras e mesas para a igreja em outubro de 2020, eles explicitamente mantiveram que não devolveriam nada que tivesse uma cruz”, explicou a ChinaAid. “As autoridades planejaram transportar esses itens do distrito de Jinniu para o distrito de Pidu e descartá-los lá.”

Sob o governo do presidente comunista da China, Xi Jinping, as cruzes foram removidas de igrejas em várias partes do país.

Em uma declaração distribuída pela ChinaAid, os membros da Igreja de Chengdu agradeceram a Deus pelo que consideram um milagre. “Nosso maravilhoso Deus transformou o esquema dos oficiais em uma bênção. Ele devolveu os itens que o PCC havia confiscado ilegalmente para a casa de Deus na Terra: a Igreja da Aliança da Primeira Chuva.”

A ChinaAid disse que os lembrava do versículo bíblico Salmo 33:10: “O Senhor reduz o conselho das nações a nada; Ele torna os planos dos povos sem efeito.”

As autoridades comunistas expressam preocupação com a disseminação do cristianismo na China, que consideram uma ameaça ao sistema comunista. As autoridades sugerem que existem cerca de 130 milhões de cristãos devotos no país de 1,4 bilhão de pessoas.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame