Cristã de 83 anos é espancada por extremistas ao acolher ex-islâmicos que se converteram

Após semanas do ataque, Harriet Namuganza continua hospitalizada. A anciã costumava abrigar cristãos perseguidos por suas famílias muçulmanas.

Fonte: Guiame, com informações de Morning Star NewsAtualizado: segunda-feira, 27 de setembro de 2021 17:45
Após o ataque, a idosa recebeu atendimento médico por lesões nas costas, costela e tórax e ainda continua hospitalizada. (Foto: Morning Star News).
Após o ataque, a idosa recebeu atendimento médico por lesões nas costas, costela e tórax e ainda continua hospitalizada. (Foto: Morning Star News).

Uma viúva cristã, de 83 anos, foi espancada por extremistas islâmicos no leste de Uganda, após acolher ex-muçulmanos que se converteram ao cristianismo. Depois de duas semanas do ataque, Harriet Namuganza continua hospitalizada, recebendo tratamento médico.

A anciã havia recebido em sua casa dois jovens recém convertidos, um de 22 anos e outro de 18, que deixaram o islã e sofriam ameaças de suas famílias, no distrito de Iganga. No dia 4 de agosto, o jovem mais velho recebeu um telefonema de um suposto pastor que ajudava cristãos perseguidos. 

O recém convertido, não identificado por razões de segurança, disse que a pessoa que ligou enviou 30.000 xelins (8,50 de dólares) para seu telefone como parte do apoio oferecido.  “Ele ligou novamente informando sobre seus planos de nos visitar”, disse o jovem ao Morning Star News.

No dia 8 de setembro, por volta das 22 horas, um homem bateu na porta da casa de Harriet, dizendo que era o pastor que havia oferecido ajuda. “Quando ele mencionou que era pastor, abrimos apenas para ver vários homens do lado de fora. Corremos para um dos quartos e nos escondemos em cima do teto”, contou o cristão.

Então, não encontrando os jovens, os extremistas afirmaram que iriam matar Harriet. Um deles alertou que a mulher era idosa e a cristã implorou para que a não machucassem, dizendo que já era de idade avançada. 

“Um agressor começou a espancá-la e chutá-la enquanto ela gritava por socorro”, disse ele ao Morning Star News. “Outro disse: 'Vamos deixá-la, voltaremos para procurar os meninos que escaparam misteriosamente’”.

Depois que os muçulmanos foram embora, os jovens desceram do teto e socorrem Harriet. “Quando percebemos que os agressores haviam partido, trancamos a porta e telefonamos para amigos que chegaram imediatamente, e nossa avó espiritual foi levada às pressas para uma clínica próxima para tratamento”, relatou o jovem mais novo. 

A idosa recebeu atendimento médico por lesões nas costas, costelas e tórax e na última terça-feira (21) foi transferida para um hospital maior a fim de receber melhores cuidados.

Abrigando cristãos perseguidos

Harriet Namuganza e seu marido se converteram ao cristianismo em 2010 durante um evento evangelístico na cidade de Iganga e desde então, sua família tem apoiado obreiros da igreja e também acolhido convertidos do islã, ameaçados e perseguidos por seguirem a Jesus.

No dia 20 de maio deste ano, a anciã recebeu os dois jovens em sua casa, a pedido de um pastor local. De acordo com Harriet, os familiares dos recém convertidos procuravam os jovens para puní-los por terem deixado o islã.  “Os meninos me ajudaram muito e moraram na minha casa de quatro quartos”, disse Namuganza. 

O pastor da idosa relatou a agressão ao conselho local e afirmou que, assim que Harriet melhorar, irá discutir com ela e com o presidente local se devem fazer uma denúncia à polícia. 

 

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame