Que tal uma limonada!?!?

Deve ser terrível resmungar pelo que não se tem e não ser grato a Deus pelo que se tem.

Fonte: Guiame, Ubirajara CrespoAtualizado: quarta-feira, 13 de maio de 2020 15:45
(Foto: Unsplash)
(Foto: Unsplash)

Os descaminhos governamentais vêm de longe e parece impregnar a alma do nosso povo. Estamos pagando caro por isso, pois poucos governantes lutaram contra isso. Entendo que nossa tendência é de achar, que o atual governo, não é diferente dos outros, mas continuo torcendo para que seja. As quadrilhas partidaristas fazem o que estão acostumadas a fazer: conservar aberta a sua boquinha rica.

Certamente os atuais governantes são tentados a entrar no esquema, mas oro para que isto não aconteça

Dependendo do pé que faz a bola rolar, a sujeira do jogo político pode ser grande. Esta herança é nacional e está encravada na alma do povo.

Infelizmente, quem carrega uma trave no seu olho, tem muita facilidade para ver um cisquinho no olho alheio. Já vi gente reclamando até dos passeios de jet-ski do presidente. Ele está esmagado sob alta pressão e precisa de um momento de fuga e solidão. Vamos dar a ele este momento. Se dou isso a mim mesmo, por qual motivo não daria para os outros.

Sou idoso, aposentado, pensão pequena, paciente de risco, mas uso os recursos que tenho para aliviar minhas tensões assistindo filmes, trancado dentro de casa, dando milho para as galinhas, regando o jardim, preparando sermões, aulas bíblicas, estudando a Palavra e fazendo caminhadas, pois não tenho Jet-ski, nem estou sob a mira de uma nação inteira. Também não cultivo a paranoia de me ver rodeado de inimigos procurando algum defeito em mim.

Há milhões de outros seres humanos, que possuem menos do que eu. Me divirto com o que tenho nas mãos. Se eu tivesse, pelo menos um caiaque ou uma prancha de surfe para aliviar meus pesos particulares, certamente os usaria. Deve ser terrível resmungar pelo que não se tem e não ser grato a Deus pelo que se tem. Obrigado, meu Deus, por eu poder me sentar na minha varanda para ver as borboletas, ouvir os pássaros cantando ao meu redor, beija flor planando diante das flores que cultivei, pelo lindo por do sol de todos os dias.

Te agradeço, Jesus por colher tomate, capim cidreira, hortelã, agrião, limão e por comer jabuticaba e acerola no pé.

Contemplar a beleza de meu Senhor Jesus Cristo é simplesmente fascinante. Seus ensinamentos ainda me comovem aos 72 anos de idade.

Ora, culpar uma autoridade por ter jet-ski é demais. Tenho coisas mais importantes com que me preocupar. Afinal, o pão nosso de cada dia nunca faltou na mesa deste filho de Deus. Também me divirto orando, meditando na Palavra e procurando não me revoltar porque tem gente com mais recursos do que eu.

Eu sou feliz, apesar do filho, das noras e netos com o Covid-19, mas grato porque foram contaminados enquanto minhas noras desempenhavam a sagrada missão de salvar vidas no hospital. Lamento apenas por não poder sequer me aproximar deles. Choro sim, de saudades, preocupado e me sentindo inútil como protetor. Mas oro sem cessar por eles e por vocês, meus amigos e leitores.

Em tudo há um propósito e por tudo dou graças, mesmo para o limão amargo, que colho no meu quintal, pois posso transformá-lo em uma deliciosa limonada, cheia de vitamina C, para reforçar minha imunidade.

Procure motivos para se alegrar e não para se entristecer.

Por Ubirajara Crespo, pastor, conferencista, editor, autor das notas de rodapé da Bíblia do Guerreiro e dos livros “Qual o limite para o sofrimento” e “Rota de colisão”.

* O conteúdo do texto acima é uma colaboração voluntária, de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: Cristão ou reformador?

Siga-nos

Mais do Guiame