O significado da palavra Elohim

A questão diz respeito a quem é que D-us está se referindo quando ele diz “Façamos”.

Fonte: Guiame, Mário MorenoAtualizado: terça-feira, 13 de julho de 2021 17:12
(Foto: Canva)
(Foto: Canva)

A palavra “Elohim” é também um nome do Eterno? Esta palavra está no plural indicando o quê? Vejamos alguns aspectos muito interessantes relacionados a esta palavra tão importante nas Escrituras.

Uma questão ocasionalmente surge: “Elohim refere-se a mais de uma pessoa na Bíblia Hebraica?” A raiz da questão vem de Sefer Bereshit / Gênesis 1:26 que diz que D-us disse: “Vamos fazer o homem a nossa imagem, de acordo com nossa semelhança; e deixe-o governar sobre os peixes do mar e sobre as aves do céu e sobre o gado e sobre toda a terra, e sobre todas as coisas rastejantes que se arrastam na terra.” A questão refere-se a quem é que D-us está se referindo quando ele diz “Vamos” fazer o homem a “nossa imagem”. O hebraico na Escritura diz: וַיֹּאמֶר אֱלֹהִים נַעֲשֶֹה אָדָם בְּצַלְמֵנוּ כִּדְמוּתֵנוּ וְיִרְדּוּ בִדְגַת הַיָּם וּבְעוֹף הַשָּׁמַיִם וּבַבְּהֵמָה וּבְכָל-הָאָרֶץ וּבְכָל-הָרֶמֶשֹ הָרֹמֵשֹ עַל-הָאָרֶץ: texto hebraico usa os sufixos pronominais “נו” nas palavras בְּצַלְמֵנוּ כִּדְמוּתֵנוּ que significa “à nossa imagem como nós.” Os cristãos tipicamente argumentam que Elohim é plural para o que significa D-us e, portanto, prova que D-us é três: Pai, o Filho e o Ruach Hakodesh (Espírito o Santo). Esse tipo de raciocínio é o que eu chamo de “técnica exegética pobre”, já que uma doutrina inteira na Trindade é feita e resumida com base em uma palavra (Elohim). Agora, olhando para os comentários rabínicos do rabino Shlomo Ben Yitzchak (Rashi) nós lemos:

Aqui, cito todas as declarações de Rashi em Bereshit / Gênesis 1:26. Rashi afirma שהאדם הוא בדמות המלאכים dizendo “aquele homem está na forma de anjos”. Com base no comentário rabínico, D-us (Elohim) falava com os anjos e aquele homem foi criado na forma dos anjos. Nota, a justificação de Rashi é baseada em declarações de outras fontes no Tanach, o profeta Micah viu o Senhor sentado em seu trono e todo os anfitriões dos céus em pé à sua esquerda e direita (II Cr 8.18) (שאמר לו מיכה ראיתי את ה’יושב על כסאו וכל צבא השמים עומדים עליו מימינו ומשמאלו). Portanto, o judaísmo, pelo menos da perspectiva de Rashi, afirma que os anjos tinham parte neste processo criativo, que é em sua imagem que D-us fez o homem. Então, quem está certo e como devemos entender por que Elohim está escrito na forma plural?

De acordo com a Sintaxe Hebraica de Williams, a Terceira Edição, da Universidade de Toronto, a divisão de publicação acadêmica, 264 páginas, a forma plural da palavra hebraica é usada para indicar pluralidade simples, como “rei” (מלכים), composição como “prata” כסכסים), “lenha” (צצים), para indicar produtos naturais em um estado antinatural ou fabricado como “cevada” grãos (שעורים), para indicar extensão quando um objeto consiste em partes separadas, como “juventude” em relação ao tempo (נעורים ), e “sangue derramado” (דמים), para indicar ideias abstratas como “fidelidade” (מאמינים), “virgindade” (בתולים), “expiação” (ככרים) e, finalmente, para indicar respeito “D-us” (אלוהים), Senhor “Adonim” (אדונים) e “rei” (מלכים). Nosso entendimento sobre esses usos plurais das palavras hebraicas vem da análise da sentença hebraica, contexto e sintaxe que essas formas plurais produzem um significado singular porque os adjetivos e verbos atributivos que vão com a forma plural são escritos na forma singular e não a forma plural. Nas Escrituras Hebraicas, Elohim em sua forma plural é o plural de respeito, plural da majestade, plural de potencialidade ou plural de eminência. Elohim, portanto, refere-se ao “um D-us” e é usado para mostrar a completa majestade e magnificência de D-us e sua santidade. É assim que entendemos que D-us é “um D-us” sendo soletrado na forma plural Elohim. Ao entender a Trindade ou a Divindade (o Pai, Filho e Ruach) não podemos e não devem justificar nossa crença baseada em uma palavra. Nós absolutamente devemos entender quem D-us é baseado em todas as escrituras e não da única palavra (Elohim). Assim, qualquer um que usa a palavra Elohim para substanciar seu caso para a Trindade está usando uma técnica exegética muito pobre (má exegese). Sendo muito direto: não existem três deuses! Há somente um D-us e o Filho que age com toda a autoridade do Pai e o Espírito que foi comissionado para agir na terra em lugar do Rei Ieshua enquanto Ele prepara o momento de sua vinda. Quando levamos todas as escrituras em consideração, sabemos que D-us o Pai se senta no trono no céu. A palavra de D-us procede do Pai, e o Ruach (Espírito de D-us) procede do Pai. Portanto, o filho (a Palavra de D-us), e o Ruach (Espírito) não poderia existir sem o Pai, é assim que conhecemos D-us ser um de acordo com Devarim / Deuteronômio 6:4 e permanecer consistente com as Escrituras sobre quem D-us é. Ieshua é a palavra de D-us que se torna carne (João 1:1-14) e o Ruach Hakodesh (Espírito o Santo) é o Espírito de D-us que vem a fazer sua morada em nossos corpos (I Coríntios). O ponto principal para este artigo curto é isso, absolutamente precisamos levar todas as escrituras ao tentar entender quem é D-us, qual seria a sua vontade para nossas vidas, e como devemos viver nossas vidas por ele. Não devemos e não podemos usar uma palavra para basear nossas crenças teológicas. Esta é uma coisa muito perigosa e pode levar ao engano e ao desenvolvimento da tradição e doutrina de homens que se mantêm contra a verdade de D-us encontrados na Palavra de D-us.

O significado por trás da raiz da palavra

Vamos analisar agora uma raiz da palavra “Elohim”. Esta palavra vem da raiz hebraica “אול” – ´ul – que significa: “poderoso, líder, nobre”. Temos também na raiz a palavra “איל” – ´ayil – que significa “carneiro, porta, líder, carvalho”.

Então esta raiz que compõe o termo Elohim nos mostra que existem alguns segredos muito fascinantes que comentaremos a seguir.

Vamos analisar a primeira ocorrência do termo Elohim:

“בראשית ברא אלהים את השמים ואת הארץ”

O que temos aqui é a apresentação do Eterno como Criador de todas as coisas. Neste verso esta palavra é traduzida como “D´us Criador”. Mas vamos entrar um pouco mais a fundo nesta interpretação. Vamos nos utilizar dos três primeiros significados da raiz; então teremos:

“No princípio criou Elohim os céus e a terra” – tradução original.

“No princípio criou o Poderoso os céus e a terra”

“No princípio criou o Líder os céus e a terra”

“No princípio criou o Nobre os céus e a terra”.

Estas três características estão de pleno acordo com o restante das palavras deste verso, pois o termo “bereshit” traz em si “reshit” que significa “cabeça”. Somente uma mente Poderosa poderia primeiro conceber a criação como nós a conhecemos – e sabemos muito pouco sobre as estruturas do Universo e do além – e depois trazer a existência o que foi imaginado de forma tão detalhada e bela. Esta pessoa certamente é o Líder de toda a criação, haja visto que tudo provêm d´Ele é natural que isso o torne o Líder – Cabeça – de tudo o que foi criado. Em consequência podemos afirmar que esta pessoa é também o Rei de todo o Universo em todas as dimensões. Tudo o que foi dito acerca do Criador aqui é repetido por diversas vezes nas Escrituras nos levando a entender que de fato esta pessoa está muito além de qualquer padrão ou imagem que busquemos fazer d´Ele.

Vamos dar alguns exemplos disso:

“Pois o IHVH vosso Elohim é o El dos deuses, e o Senhor dos senhores, o El grande, poderoso e terrível, que não faz acepção de pessoas, nem aceita recompensas” Dt 10.17 – grifo nosso.

“Alegrem-se os céus, e regozije-se a terra; e diga-se entre as nações: O IHVH reina” I Cr 16.31. – Líder.

“Tua é, IHVH, a magnificência, e o poder, e a honra, e a vitória, e a majestade; porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra; teu é IHVH, o reino, e tu te exaltaste sobre todos como chefe” I Cr 29.11 – Nobre.

Existem muitos outros exemplos que poderiam ser dados aqui, mas estes servem para demonstrar que o Eterno carrega todas estas características contidas na raiz da palavra “Elohim”.

Agora vamos adentrar ao desdobramento da raiz na palavra “´ayil” – que ainda está ligada a Elohim – e vamos aplicar as demais palavras. Em primeiro lugar vãos falar sobre “carneiro”.  O que este animal tem a ver com a Criação – ou o Criador? Quando a Criação se deu já havia a necessidade de um projeto de redenção do ser criado – o homem. Para isso o Criador institui na figura do carneiro aquele que funcionará como a expiação dos pecados do povo de Israel e mais tarde apontaria para a figura do Redentor que num primeiro momento agiria como um Carneiro: com mansidão e doçura mesmo sendo atacado e levado à morte. É através do sangue deste animal que os pecados do povo seriam perdoados; da mesma forma foi através do sacrifício do Inocente que veio a redenção para toda a humanidade.

Logo depois aparece a figura da “porta” e aqui temos algo fascinante: a porta dá acesso a algum lugar e é controlada por quem está do lado de dentro. Neste caso “a porta” refere-se ao Ungido e esta palavra em hebraico é “sha´ar” e significa “porta – de uma cidade”. Então esta pessoa é também a porta que dá acesso a uma cidade – e neste caso nos céus – e Ele é quem controla quem poderá ter acesso a este lugar.

Ele também é o “Líder”, pois sua atuação como Criador e mantenedor de todas as coisas dão a Ele um status de liderança tanto no âmbito espiritual quanto no material – físico. Nada acontece sem a sua permissão e tudo depende de sua aprovação.  Até mesmo uma ação do reino das trevas está sujeita à sua aquiescência, pois caso contrário aquela ação demoníaca não poderá ser realizada de maneira alguma!

Finalmente temos a palavra “carvalho”. Mas o que esta árvore tem a ver com a Criação – ou melhor, com o Criador? A tradução usual para este termo em português é “terebintos” e suas ocorrências são muito interessantes:

    Lugar em que Ia´aqov escondeu os ídolos estrangeiros (Gn 35.4);

    Onde um anjo encontra-se com Gideon (Jz 6.11; 19);

    Onde David lutou com Golias (I Sm 17.2; 19);

    Onde Absalão ficou preso pelos cabelos (II Sm 18.9);

    Onde o profeta de Betel descansou (I Rs 13.14);

    Onde os ossos de Sha´ul foram sepultados (I Cr 10.12).

Em todas estas ocorrências temos algo em comum: juízo.

Podemos então afirmar que este “carvalho” é também Aquele que trará juízo contra todos os que desobedecem e praticam a iniquidade. Este aspecto o coloca como Juiz em toda a terra e em todos os tempos.

Agora quando tomamos este primeiro verso da Torah como exemplo podemos então perceber que existem diversas dimensões dentro da palavra e que apontam para outros caminhos que devem ser trilhados por aqueles que conhecem as Escrituras.

Então concluindo posso afirmar que o Criador é: “poderoso, líder, nobre”, “carneiro, porta, líder, carvalho”. Então como conciliar isso com as informações que temos hoje? Basta lembrar que toda a Criação foi executada através de Ieshua como está dito: “O qual nos tirou da potestade das trevas e nos transportou ao Reino do filho do seu amor, em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados; o qual é imagem do Elohim invisível, o primogênito de toda a criação; porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por meio dele e após ele. E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem em ele. E ele é a cabeça do corpo da congregação, sendo o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência, porque foi do agrado do pai que toda a plenitude nele habitasse: e que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra como as que estão nos céus” Cl 1.13-20.

Ao lermos estes vermos podemos então identificar neles praticamente todas estas ideias relacionadas a palavras “Elohim”. Com esta explanação então temos a solução para um problema teológico imenso que já gerou discussões e levou pessoas a conclusões que destoam completamente do restante das Escrituras. Refiro-me ao verso que diz: “Viram os filhos de D-us que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram” Gn 6.2. Aqui a palavra “D-us” é Elohim, e como ela não é precedida por um verbo, não se aplica ao Criador. Então faremos uso da raiz para entendermos a real tradução:  a raiz ´ul – que significa: “poderoso, líder, nobre”. A tradução deste verso então ficaria assim: “Viram os filhos dos poderosos (ou líderes ou nobres) que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram”. Esta tradução se alinha com a próxima ocorrência que diz: “Havia naqueles dias gigantes na terra; e também depois, quando os filhos dos poderosos entraram às filhas dos homens, e delas geraram filhos: estes eram os valentes que houve na antiguidade, os varões de fama” Gn 6.4. Perceba que a palavra “poderoso” se encaixa perfeitamente com o restante do verso que diz: “estes eram os valentes que houve na antiguidade, os varões de fama”.

Quando consideramos uma tradução precisamos de duas coisas: conhecimento da língua e também a percepção do contexto, pois sem estas duas condições existe uma grande chance de cometer-se erros.

Finalizando ficamos felizes em poder demonstrar através dos originais mais uma forma de interpretarmos as Escrituras e também de conseguir uma maior compreensão dos textos mesmo em situações difíceis como em Genesis capítulo 6. Oxalá tenhamos a condição de desbravarmos cada vez mais estes caminhos das Escrituras e seus originais para dividirmos com nossos irmãos o conhecimento do Eterno.

Baruch ha Shem!

Mário Moreno.

Por Rav. Mário Moreno, fundador e líder do Ministério Profético Shema Israel e da Congregação Judaico Messiânica Shema Israel na cidade de Votorantim. Escritor, autor de diversas obras, tradutor da Brit Hadasha – Novo Testamento e conferencista atuando na área de Restauração da Noiva.

*O conteúdo do texto acima é de colaboração voluntária, seu teor é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: Temor e amor ao Eterno

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame