Pais à procura de socorro

As dores pelas quais milhares de pais estão passando são, muitas vezes, inenarráveis.

Fonte: Guiame, Edmilson Ferreira MendesAtualizado: quinta-feira, 19 de agosto de 2021 15:53
(Foto: Canva)
(Foto: Canva)

Já está acontecendo. Textos que entendíamos proféticos, que anunciavam catástrofes para o tempo do fim, estão se realizando bem diante de nossos olhos. Se ler atentamente o sermão de Jesus em Mateus 24, e paralelamente pesquisar para conhecer o desenrolar dos últimos dois milênios, de Cristo pra cá, facilmente descobrirá que sempre existiram terremotos, guerras, fomes, epidemias, conflitos familiares, heresias. Então, qual a diferença de séculos de história para este tempo? Volume.

Assusta o volume. Assusta a intensidade. Assusta a complexidade. Todas as áreas, todas as classes, todos os setores, todas as culturas, é um desempenho sistemático, orquestrado e estrategicamente despejado na vida das nações, sufocando e fazendo sofrer toda uma geração.

Citarei apenas uma área, a família. As dores pelas quais milhares de pais estão passando são, muitas vezes, inenarráveis. São casos que assustam. Pouco tempo atrás, relatos de brigas, desvios, violências, anarquias e rebeldias nas famílias, via de regra eram resultados de ambientes disfuncionais, pais ausentes, falta de temor a Deus, valores totalmente distantes do evangelho de Cristo. Esses perfis ainda existem aos montes. Mas não só.

Hoje os relatos também chegam de famílias funcionais, famílias que não deram brecha para a formação de nenhum tipo de trauma desses que arrebentam com toda uma vida. E o volume cresce. Não poucas vezes tenho ouvido e chorado junto com famílias que embalaram seus filhos, nutriram com amor, ensinaram os caminhos da fé, discursaram através do exemplo, enfim, famílias que foram lideradas por pais presentes, tementes a Deus, que fizeram sua parte com louvor, mas que agora amargam o esfacelamento de seus lares.

O “pais contra filhos, filhos contra pais, nora contra sogra, irmão contra irmão”, revelando que “os inimigos do homem são os da sua própria casa”, está mais atual e em pleno desenvolvimento do que se pode imaginar. É inescapável, taí pra quem quiser ver, basta abrir só um pouquinho os olhos e dar uma observada em volta.

Gente de fé autêntica, de ótimo testemunho, tem chegado a mesma conclusão, “pastor, é inacreditável o que está acontecendo lá em casa, nunca pensei que isso fosse acontecer com a minha família...as ideologias atuais odeiam a família, pregam contra a família e conseguiram fazer meus filhos desprezarem e odiarem a nossa família... é surreal pastor, é como se nossos braços e pernas tivessem sido arrancados sem anestesia, a sangue frio...”

Orar junto às lágrimas destas famílias tem sido parte do meu pastorado, pois minha fé continua convicta no poder da oração. A boa notícia é que o Senhor continua tendo os seus escolhidos e continua ouvindo com graça e misericórdia o clamor daqueles que não desistem de crer e confiar.

No próprio sermão de Mateus 24, Jesus ensina o que não pode faltar em meio às provas, aflições e perseguições que já estão acontecendo com toda força e violência. O que não pode faltar é perseverança. Pais, não desistam, não se entreguem, não se rendam aos caprichos, provocações, ameaças e afrontas deste velho mundo, pois em Mateus 24:13 Jesus é absolutamente claro: “Aquele que perseverar até o fim, será salvo.” Sua casa e família estão nas mãos de Deus, não desista de esperar, clamar e confiar.

Edmilson Ferreira Mendes é escritor, pastor, teólogo, observador da vida.

* O conteúdo do texto acima é uma colaboração voluntária, de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: A conclusão de tudo

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame