Após viagem, roupa de frio merece tratamento especial

Após viagem, roupa de frio merece tratamento especial

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:27

No title A estudante Natalia Pedrosa, 22, voltou no mês passado a São Paulo, depois de viver um ano e meio em Chicago, nos EUA. Voltou com o inglês afiado e a mala um tanto mais pesada.

É que, para enfrentar o frio, ela comprou peças que sabe que nunca vai usar no Brasil. "Cheguei a comprar um casaco que protege de temperaturas abaixo de zero. E por um preço ótimo: só US$ 30 (R$ 55)", diz.

"Agora vou guardar todas essas roupas num armário onde eu não mexa muito, porque aqui, com certeza, eu não irei usar nada disso", conta. Mesmo assim, ela não pensa em se desfazer das peças. "Vou guardar para quando for esquiar."

Para quem está de viagem marcada a uma cidade de inverno rigoroso, fica a dica: "É melhor pedir coisas emprestadas aos familiares ou amigos. Além de esse tipo de roupa ser pesado, é grande, difícil de acomodar na mala e, depois, no guarda-roupa. Investir só para uma viagem eu acho que não compensa, não", diz Natalia.

Encontrando espaço

Para quem, como Natália, está lutando com cabides e gavetas na tentativa de encontrar um espacinho --ou espação-- extra no guarda-roupa para acomodar as suas roupas de frio, a personal organizer Viviane Vicca dá algumas dicas.

"Se você não tiver espaço no armário, as roupas de frio podem ser armazenadas em caixas plásticas transparentes", diz. As caixas são fáceis de encontrar em casas de decoração --e até naquelas lojas de R$ 1,99. Mas como a opção, apesar de prática, pode não ser muito bonita, vale fazer mais um esforço e continuar a busca de um lugar no seu guarda-roupa.

Espaço encontrado, é hora de envolver os casacos em uma capa de TNT. "É bom para proteger as peças do pó, sem impedir que elas respirem", diz a Viviane. Quem tiver um desumidificador elétrico pode usá-lo para evitar aquele cheiro de mofo, típico das peças que passam muito tempo guardadas. Com as peças de couro, tenha um cuidado especial: elas devem ser hidratadas periodicamente. O ideal é, segundo Viviane, a cada seis meses.

Por Luisa Alcântara e Silva e Priscila Pastre Rossi

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame