MENU

Saúde

Secretário da saúde explica o uso das máscaras contra a gripe suína, no programa Roda Viva

Secretário da saúde explica o uso das máscaras contra a gripe suína, no programa Roda Viva

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:30

Em entrevista ao programa Roda Viva, transmitido ao vivo pela internet (www.iptvcultura.com.br), o secretário de Estado da Saúde de São Paulo, Luiz Roberto Barradas Barata, foi abordado pelos entrevistados sobre como a população brasileira deve lidar com a gripe suína: "As autoridades da saúde do país estão em alerta. Se a gripe suína chegar ao Brasil nós iremos combatê-la. O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, faz bem em dizer: prudência sim, pane não".

Questionado sobre a possibilidade de uma pandemia, Barradas disse que existe sim essa possibilidade: "É um vírus novo, ele está se disseminando com rapidez. Essa possibilidade não está descartada", opinou. Sobre a mudança de nome de gripe suína para gripe H1N1, o secretário comentou que é "como apelidar um cidadão de Chico. Para voltar a chamar de Francisco fica difícil. O nome que pegou mesmo é gripe suína".

Durante o programa, o secretário da saúde também falou a respeito do uso das máscaras para se evitar a transmissão do vírus. "Essas máscaras não impedem o contágio, mas elas auxiliam a impedir que as pessoas transmitam a gripe a outras. As pessoas devem saber que elas não estão se protegendo, elas estão protegendo que outras pessoas se infectem".

Lei antifumo

A proibição do fumo em lugares fechados, em São Paulo, também foi abordada durante entrevista com secretário da Saúde que, junto com governador de São Paulo, José Serra, é um dos autores da lei. "O que nos estamos tratando de fazer aqui em São Paulo é o que já foi feito em vários países do mundo. Paris já fez isso, Nova York, Buenos Aires. Nossos irmãos argentinos já fizeram isso, que é proibir o fumo em lugares fechados para proteger a saúde dos não fumantes. Os fumantes são bem vindos, o que não é bem vindo é o cigarro que eles trazem junto com eles", enfatizou.

Ainda sobre o cigarro, Barradas disse que cerca de 20% da população paulista são fumantes e aumentar o preço do cigarro não é o suficiente, porque pode estimular o contrabando. Segundo o secretário, "as pessoas irão se acostumar muito bem à lei. Basta lembrar que antigamente podia-se fumar em aviões e shoppings centers. Hoje já está embutido na cabeça das pessoas que não pode. Será a mesma coisa".

Dilma Roussef e SUS:

O secretário Barradas Barata também falou sobre a batalha enfrentada pela ministra Dilma Roussef contra o câncer: "eu torço pela ministra Dilma, a qual tenho o maior respeito, o maior carinho. É uma batalhadora e está enfrentando um problema de saúde. Tem o direito de divulgar ou não, é uma questão interna dela. Agora, ela é uma figura pública e eu acho que fez bem em divulgar a doença que tinha. Eu torço e acho que a gente não deve fazer disso um espetáculo nem ficar divulgando a doença da ministra", ressaltou.

Questionado sobre os políticos se tratarem no SUS, o secretário comentou que os políticos deveriam sim se tratar no Sistema Único de Saúde: "eu acho que o SUS devia atender os políticos e a população atual. Eu, por exemplo, tenho plano de saúde e também me trato pelo SUS", declarou.

Postado por: Felipe Pinheiro

Siga-nos

Mais do Guiame