MENU

Saúde

Refrigerante pode fazer mal à saúde

Refrigerante pode fazer mal à saúde

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:30

A cada dia uma certeza vai ganhando força entre os pesquisadores. O consumo de refrigerante pode fazer muito faz mal à saúde. E a tese ganhou mais força com a pesquisa divulgada recentemente pela Pró-Teste - Associação Brasileira de Defesa do Consumidor - depois de analisar 24 marcas de refigerantes versões tradicionais, light e zero. Em sete delas, constatou-se a presença de benzeno, uma substância cancerígena encontrada no ar e provocada pela queima de carvão e óleo. O benzeno pode ser formado em substâncias que contêm benzoato de sódio e ácido ascórbico (vitamina C) na composição. As temperaturas elevadas e a luz podem estimular a conversão do benzoato de sódio juntamente com o ácido ascórbico em benzeno.

Segundo nutricionistas da equipe do Pro-Teste, o benzeno pode ser encontrado na maioria dos refrigerantes à base de laranja e limão, devido à vitamina C, e também naqueles do tipo light e diet. O açucar inibe a formação de benzeno e a restrição dele na bebida tipo light e diet pode favorecer a sua formação.

Conforme a Pró-Teste, para resolver o problema basta aos fabricantes a substituição do conservante ácido benzóico por outro que não reaja formando benzeno. O órgão irá notificar a Anvisa e o Ministério da Agricultura para que estabeleçam uma legislação proibindo a presença de benzeno nas bebidas, em quantidade superior à permitida na água potável, e de corantes impróprios para as crianças, nos alimentos e bebidas em geral.

Na pesquisa, foram descobertos ainda dois corantes impróprios para as crianças: o amarelo crepúsculo, proibido em países europeus por aumentar a hiperatividade, e o amarelo tartrazina, que pode causar alergias. Em relação à higiene, não foram encontrados microrganismos nos refrigerantes, nem qualquer problema que pudesse comprometê-los.

Quem toma refrigerante com regularidade também está consumindo calorias sem nutrientes. E as crianças podem estar ingerindo corantes que podem provocar alergia e hiperatividade. Finalmente, uma das bebidas tem substâncias que sequer aparecem no rótulo. Em comum, todas têm pouquíssimo valor nutricional e muito sódio - o que favorece a ocorrência de hipertensão.

Na pesquisa do Pro-Teste também foram medidos o teor de açúcar das bebidas para checar se as que se denominam diet, light e zero realmente o são e para verificar se as tradicionais abusam do açúcar. Não foram constatados problemas na denominação, mas todos os refrigerantes têm açúcar demais para que o consumo por crianças seja tolerável.

Ao final do teste no laboratório, os consumidores degustaram as bebidas sem identificação para apontar se eram versões tradicionais, diet, light ou zero. Em vários casos, as pessoas não souberam que versão lhes foi oferecida.

De acordo com a nutricionista Cláudia Montianéle de Castro, do Pro-Teste, não só os refrigerantes diet e light são confundidos no mercado, os alimentos também. Ela esclarece que light é o alimento que apresenta redução mínima de 25% em determinado nutriente comparado com o convencional. Para a nutricionista, é o produto ideal para quem está fazendo dieta para redução de peso.

O diet é recomendado apenas para pessoas diabéticas, pois há restrição de açúcar na composição nutricional. Segundo Cláudia, não é necessariamente menos calórico que o alimento comum, já que é possível acrescentar outro nutriente para compensar a restrição do açúcar.

No refrigerante zero, não há calorias ou há em quantidade insignificante. Porém, tem acréscimo de sódio na composição e não deve ser consumido por pessoas hipertensas. "O mineral eleva a pressão arterial, além de possuir um gosto residual de adoçante maior do que o light."

Consumo de refrigerantes por crianças

A nutricionista recomenda que as crianças evitem consumir os refrigerantes. A bebida prejudica no processo de absorção de cálcio, substância importante para a meninada que ainda está em fase de formação óssea. Os refrigerantes também contribuem para aumentar o índice de sobrepeso e obesidade infantil. "Os refrigerantes diet ou zero não são recomendados para crianças".

Para quem consome o refrigerante em excesso, a nutricionista alerta que a bebida causa obesidade e provoca cáries. Os tipos cola, que contém cafeína e ácido fosfórico, roubam cálcio do organismo, provocando perda de massa óssea ou diminuição da densidade mineral óssea. Além disso, por conter corante caramelo, os tipos cola podem aumentar a resistência à insulina e, consequentemente, o risco de desenvolver diabetes tipo 2.

Segundo a nutricionista, os refrigerantes possuem calorias vazias, ou seja, têm calorias, mas não nutrientes. Por isso, o limite de consumo não deve passar de dois copos por dia. Com base na pesquisa, a Pro-Teste recomenda que a bebida não faça parte da alimentação diária das pessoas. Existem substitutos muito mais saudáveis, como os sucos naturais, bebidas à base de soja, água, água de coco e chá.

Postado por: Felipe Pinheiro

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame