MENU

Saúde

Médicos e nutricionistas ensinam como se preparar para suportar o calor

Médicos e nutricionistas ensinam como se preparar para suportar o calor

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 10:00

RIO - Nem é preciso consultar cientistas para sentir na pele o que eles confirmaram em pesquisas: o planeta continua aquecendo ano após ano, e o calor só aumenta. Com isso nosso corpo sofre e reclama com enjoos, dores de cabeça, queda de pressão arterial, muito suor, coração acelerado e câimbras. Nosso sistema de refrigeração natural, formado por milhões de glândulas sudoríparas, entra em pane. Mas há um jeito de fazer com que ele volte a funcionar, dizem médicos e nutricionistas: hidratação adequada e constante, além de alimentação leve, rica em frutas e saladas. Até a pimenta pode ser uma boa aliada, porque ajuda a preparar o corpo para os dias quentes.

O primeiro efeito do calor é a desidratação, fácil de perceber. Aumento da sede, menor frequência urinária, além de xixi muito amarelo são alguns dos sinais. Se o corpo não for abastecido de água, água de coco e sucos, entre outros líquidos sem álcool (este piora a desidratação), sofrerá hipertermia, situação grave.

- A hidratação sob calor intenso deve ser constante em pequenas porções, de 100ml a 150ml, consumidos em intervalos regulares de 30 minutos, levando-se em conta que a pessoa tenha período ativo de 16 horas e 8 horas de sono. Isso corresponde a 1,6 litro a 2,40 litros; volume que deverá ser aumentado caso realize exercício físico. Se perdeu 1kg na atividade, deverá beber mais 1 litro de líquidos - ensina João Carlos Bouzas Marins, professor no Laboratório de Performance Humana da Universidade Federal de Viçosa.

Pimenta em dias quentes é refresco

Há quem apresente melhor adaptação ao calor, mas isto se deve à aclimatação e, segundo hipótese, a ajustes térmicos determinados geneticamente. As mulheres, por exemplo, suam menos em valores absolutos e tendem a dispor de menor número de glândulas sudoríparas. Além disso, produzem menos calor porque têm menos massa corporal e, geralmente, menor capacidade aeróbica.

- Por causa dessas características, suas glândulas sudoríparas respondem ligeiramente diferente das dos homens. Agora, se a mulher for proporcionalmente bem condicionada como um homem, suará de forma tão eficiente quanto ele - diz Luiz Oswaldo Carneiro Rodrigues, professor titular de fisiologia do exercício da UFMG.

E, quanto mais aclimatados ao calor, mais suamos. Com o suor mais diluído, perdemos menos sais nele, comenta Carneiro. Portanto, suar na medida exata é sinal de saúde, aclimatação e condicionamento físico. Segundo ele, o ideal é que 1 grama de suor seja evaporado para cada quilocaloria (kcal) a ser dissipada. Por exemplo, se a pessoa faz um exercício que gaste 100kcal, 80% disso serão transformados em calor, ou seja, 80kcal. Assim, precisa evaporar 80 gramas de suor para retirar este calor do corpo, explica Carneiro:

- Nem sempre o ambiente favorece. Se estiver muito úmido, o suor escorre em vez de evaporar, o que não é bom. Quanto mais úmido, mais o organismo tenta retirar o calor suando. Fomos selecionados para praticar atividades em ambientes quentes e secos.

Se a hidratação é essencial, uma dieta refrescante ajuda. Dá até para apimentar o prato.

- A pimenta tem função termogênica, ou seja, aumenta o gasto energético, que inclui a produção de calor. Um corpo mais aquecido está melhor preparado para os dias quentes. A malagueta e a dedo de moça têm esta propriedade, muito atribuída à quantidade de capsaicina - diz a nutricionista Patrícia Davidson Haiat, do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional.

Ela lembra que, nesses dias quentes, devemos evitar alimentos gordurosos, como carnes gordas, queijos, molhos à base de creme de leite e maionese, que dificultam a digestão e pioram o desconforto e mal-estar. Também as bebidas alcoólicas e uso excessivo de café e mate aumentam a perda de líquido e a desidratação, dificultando a absorção de nutrientes. Patrícia sugere optar por frutas e saladas porque contêm grande quantidade de água e minerais:

- As melhores frutas para enfrentar o calor são abacaxi, melão e melancia. E entre as verduras prefira as folhas, que, em média, têm 95% de água em sua composição, mais aipo e cenoura.

Pele e cabelos também merecem atenção, lembra Celso Sodré, coordenador do departamento de cabelos e unhas da Sociedade Brasileira de Dermatologia e professor da UFRJ. Com o calor, há maior umidade em dobras, pescoço, axilas, virilhas, glúteos e pés, tudo que bactérias e fungos querem, e há risco de infecções como micoses e foliculite. Além disso, a pele fica oleosa, favorecendo a acne.

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame