MENU

Saúde

Lei antifumo também causa polêmica na Grécia

Lei antifumo também causa polêmica na Grécia

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:30

A lei paulista que proíbe fumar em locais fechados também é coisa de grego. Assim como os habitantes de São Paulo, os gregos estão proibidos de acender um cigarro onde não houver ventilação natural. A nova regra passa a valer a partir do dia primeiro de julho e também tem causado polêmica por lá.

Isso porque mais de 40% da população daquele país é viciada em cigarro, fazendo da Grécia a nação européia com o maior número de fumantes. Uma iniciativa anterior, que bania as tragadas em hospitais, escritórios, restaurantes e lanchonetes acabou fracassando. A ideia era que os proprietários fiscalizassem o consumo, o que não aconteceu.

Na Grécia, o próprio fumante paga a conta pela desobediência: a multa custa salgados 500 euros. Mas a rebeldia também sai caro aos estabelecimentos: caso não cumpram a fiscalização, eles são obrigados a pagar mil euros por flagra e, na terceira autuação, ficam proibidos de vender álcool e tabaco por três meses. Sendo pegos desrespeitando a lei pela quarta vez, perdem definitivamente a licença de funcionamento. Na Grécia, o cigarro mata mais de 20 mil pessoas anualmente e gera 3 bilhões de dólares em despesas anuais aos órgãos de saúde pública.

Na cidade de São Paulo, 20% da população é fumante e, dentre ela, mais de 90% arrepende-se de ter experimentado o cigarro, declarando vontade de abandonar o vício. A lei antifumo já é aplicada com sucesso em outros países da Europa, como Escócia e Irlanda, assim como em algumas cidades dos Estados Unidos, como Nova York. A nova lei não favorece a saúde apenas dos fumantes. "As tragadas passivas também trazem muitos prejuízos", afirma o clínico Alessandro Loyola. Estudos mostram que fumar por tabela dobra o risco de câncer de pulmão, em comparação aos fumantes ativos, aumenta em 40% a chance de um infarto. Há pesquisas que comprovam também o aumento da incidência de catarata e diabete nos fumantes passivos .

Diferenças na lei

Em São Paulo, o fumante não é penalizado caso desobedeça a lei, e sim o proprietário do estabelecimento. O valor da multa, no Estado Paulista, é variável: começa em 782 e pode atingir 3 milhões de reais. Na Grécia, a soma é fixa e não muda mesmo na reincidência.

O fechamento das portas, na Grécia, só acontece após o terceiro flagra de desrespeito à lei. Em São Paulo, isso ocorre na quarta constatação de desobediência e o estabelecimento deve ficar 30 dias fechado contra três meses na Grécia.

A forma de fiscalização, na Grécia, ainda é nebulosa. Sabe-se apenas que o trabalho terá colaboração de agentes públicos. Em São Paulo, mais de 500 fiscais do Procon e da Vigilância Sanitária vão realizar blitze surpresas.

Postado por: Felipe Pinheiro

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame