MENU

Saúde

Campanha ensina população a se prevenir contra câncer de intestino

Campanha ensina população a se prevenir contra câncer de intestino

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:31

A Associação Brasileira de Prevenção do Câncer de Intestino (Abrapreci) e a Associação Brasileira do Câncer (ABCâncer) realizam em março o lançamento oficial da campanha Laços de Esperança - Luta Contra o Câncer, que se estenderá a todo o país.

O Instituto Nacional do Câncer (Inca), ligado ao Ministério da Saúde, estima o surgimento de 12.490 casos de câncer colorretal em homens, no Brasil, em 2008, e de 14.500 em mulheres.

Os números correspondem a um risco de 13 casos novos a cada 100 mil homens e de 15 casos a cada 100 mil mulheres. Por estado, São Paulo lidera a estatística de casos novos em 2008, com 9.890. Seguem-se o Rio de Janeiro (3.890) e o Rio Grande do Sul (3.060).

O presidente da Associação Brasileira de Colite Ulcerativa e Doença de Crohn (ABCD) e primeiro-secretário da Abrapreci, Flávio Steinwurz, disse que a campanha visa a estimular a prevenção de câncer do intestino. Ele explicou que a maioria dos médicos já está consciente da importância da prevenção e solicita de seus pacientes exame de sangue oculto nas fezes e colonoscopia para tentar prevenir a doença. "Agora, nós queremos também que a população possa se integrar e saber como é feita essa prevenção".

O câncer de intestino tem aumentado nos últimos anos. "É causa de milhares de mortes anualmente no Brasil”. Na Região Sudeste, ele aparece em terceiro lugar, chegando, às vezes,  à segunda  causa  de mortalidade no país. "É um câncer bastante prevalente e, normalmente, é o quarto em nível nacional”.

Steinwurz lembrou que o câncer colorretal apresenta uma peculiaridade em relação aos outros tipos da doença, cuja expansão pode ser evitada precocemente. De acordo com o médico, o câncer de intestino consegue ser eliminado antes de se tornar grave. "Você consegue  detectar um pólipo (lesão que aparece na parede do intestino) ainda em estado benigno, retirá-lo por meio de exame de colonoscopia  e impedir que venha a se desenvolver".

É preciso que a população tenha conhecimento dos fatores que podem facilitar o aparecimento de câncer do intestino, como fumo e álcool. Flávio Steinwurz destacou que a doença pode aumentar por questões alimentares. O uso de alimentos com conservantes e corantes artificiais, carnes vermelhas e com falta de fibras aumenta a chance.  

Pessoas com doenças inflamatórias de cólon e reto, com presença de pólipos  em membros da família e com histórico familiar de câncer colorretal e de mama constituem a população de maior risco individual de desenvolver a doença. O presidente da ABCD informou que, em novembro deste ano, São Paulo vai sediar o Fórum Internacional sobre Câncer Colorretal (Ficare), que reunirá especialistas de todo o mundo para discussão e troca de experiências.

Como parte  do trabalho permanente de conscientização dos cidadãos para esse tipo de câncer, a Abrapreci e a ABCâncer levaram em 2008 a várias partes do Brasil e a outros países, como o Canadá, uma exposição com uma réplica gigante do intestino, onde as pessoas passeiam dentro e podem conhecer os problemas que levam à doença.

Siga-nos

Mais do Guiame