MENU

Saúde

Apnéia: doença provoca noites mal dormidas e dias e sonolência diurna

Apnéia: doença provoca noites mal dormidas e dias e sonolência diurna

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:30

Um pouco de História

A síndrome de apnéia do sono tipo obstrutivo (Saso) seria a causa mais provável da sonolência diurna excessiva do imperador Dom Pedro II (1825-1891). A conclusão é de um estudo feito por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ),  publicado nos Arquivos de Neuro-Psiquiatria. Os estudiosos chegaram a tais conclusões, após realizarem um amplo levantamento bibliográfico em textos, fotos e outros documentos históricos, incluindo diários, cartas e reportagens de jornais e revistas da época.  

De acordo com os pesquisadores, D. Pedro II era bastante obeso e naquela época não havia muita preocupação em controlar a obesidade. A pesquisa aponta que o imperador dormia durante o dia em inúmeras situações, como no teatro e em palestras, o que teria ocorrido com grande freqüência e durante muitos anos.

Naquela época não se conheciam as doenças que levam à sonolência diurna excessiva, uma vez que o conhecimento desse tipo de distúrbio ocorreu na segunda metade do século 20 com o avanço da tecnologia. Havia, portanto, uma causa orgânica para a sonolência excessiva do imperador. Esse achado contraria a versão mais usada na época pelos opositores de D. Pedro II que diziam, e publicavam em inúmeras charges, que ele dormia demais por não se importar com o Brasil.

No mundo de hoje

Sonolência, cansaço, falta de energia durante o dia e nervos à flor da pele. Essas são algumas das conseqüências causadas por noites mal dormidas, uma realidade que afeta muitos brasileiros, por uma razão ou por outra. A Sociedade Brasileira do Sono avaliou cerca de 43 mil pessoas das principais capitais do país e revelou que mais da metade da população (53,9%) não tem um sono restaurador. E 43% apresenta sinais de cansaço no decorrer do dia. O Instituto do Sono, instituição ligada à Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), realizou um levantamento epidemiológico semelhante, denominado Episonos, em 2007, com 1.056 pessoas entre 20 e 80 anos na capital paulista e descobriu que 39,9% da população sofre de insônia e 32,9% tem apnéia.

A insônia e a apnéia são os principais distúrbios que tiram literalmente o sono dos brasileiros. ''A primeira é caracterizada como um sintoma e não uma doença, já que pode estar relacionada a outros fatores, na maioria dos casos psicológicos. A sonolência excessiva diurna também pode ser um indício da própria apnéia'', observa o Prof. Tomomi Harashima, coordenador do Centro de Apnéia Obstrutiva do Sono do CETAO.

A apnéia ocorre quando, no meio da noite, acontecem engasgos e paradas respiratórias, que levam à queda de oxigênio no sangue, fazendo com que o indivíduo acorde diversas vezes. Como conseqüência dessas paradas respiratórias  -  que duram mais de 10 segundos -, o sono passa a não ser restaurador e fica interrompido, fazendo com que o indivíduo apresente sonolência no dia seguinte. Entre os principais fatores que predispõem alguém a ter a apnéia estão o sexo, a obesidade e a constituição crânio-facial. Sua prevalência tanto no Brasil como no exterior é de mais de 6% da população de indivíduos adultos principalmente do sexo masculino. Ela é de quatro a cinco vezes mais comum nos homens, do que nas mulheres. Hoje, é considerada a principal causa de sonolência durante o dia, sendo também responsável por um número considerável de acidentes automotivos.

''Um dos caminhos para se chegar ao diagnóstico da apnéia é o ronco. O ronco sozinho é considerado um distúrbio menor, o maior problema associado é a apnéia. Todos que têm apnéia roncam, mas nem todos que roncam tem apnéia. Se alguém observar que a pessoa tem episódios de paradas respiratórias ou se ela própria queixar-se de sonolência, este pode ser um indicativo da apnéia. Nesses casos, é melhor procurar um especialista'', recomenda o Prof. Tomomi Harashima.

Males de noites mal dormidas

A longo prazo, todos os que apresentam distúrbios de sono apresentarão também reflexos da privação de um sono restaurador. É possível notar alguns sintomas ou problemas decorrentes das noites mal dormidas, sejam eles insônia, apnéia ou outro. Pesquisadores da Universidade de Chicago descobriram que manter os olhos abertos durante a noite está fortemente ligado ao surgimento de diabetes tipo 2. Isso porque, quando os indivíduos acordam no momento em que estão prestes a entrar em sono profundo, o corpo torna-se incapaz de reconhecer sinais normais de insulina, ocasionando aumento nos níveis de açúcar do sangue.

''Quem sofre de apnéia deve se preocupar ainda mais. Há evidências de que a privação do sono promove efeitos indesejáveis ao coração e compromete o endotélio - camada mais interna das artérias. Isso contribui para diminuir a capacidade de dilatação das artérias, facilitando a ocorrência de pressão alta e de outras doenças coronarianas’, alerta o coordenador do Centro de Apnéia Obstrutiva do Sono do CETAO. O sono é um período de relativo repouso para o sistema cardiovascular. Em média, há uma queda da pressão e da freqüência cardíaca de 10% em relação ao período de vigília. O sono é importante não apenas para estar bem no dia seguinte, mas também para a integridade do sistema cardiovascular.

“Hoje, já existe um consenso entre os profissionais de Saúde que tratar a apnéia obstrutiva do sono reduz a progressão da arteriosclerose, o que pode contribuir para a diminuição do risco de ataques cardíacos e derrames cerebrais”, diz o Prof. Tomomi Harashima.

“O tratamento da apnéia abrange mudanças de comportamento por parte do paciente: deixar de beber, fumar e emagrecer. De acordo com cada caso, podemos indicar tratamentos conservadores, como o  uso de aparelhos intra-orais, CPAP,  medicamentos adequados e, em outros casos uma indicação cirúrgica”, explica Harashima.

No Centro de Apnéia Obstrutiva do Sono do CETAO, “firmamos uma parceria com uma grande instituição de saúde para que o paciente seja atendido ao mesmo tempo por dentistas e otorrinolaringologistas. A duração média do tratamento que realizamos é de 4 meses, com resultados positivos de cura e de remissão da apnéia”, destaca o Prof. Tomomi Harashima.

Centro de Apnéia Obstrutiva do Sono do CETAO

Para mais  informações sobre o atendimento no Centro de Apnéia Obstrutiva do Sono do CETAO é preciso entrar em contato pelos telefones (11) 5051 2370/ 5051 6209, ou pelo e-mail: cetao@cetao.com.br .

Serviço:

O CETAO é uma Instituição de Ensino Superior, reconhecida pelo Ministério da Educação, que promove cursos de extensão e especialização em Odontologia. Fundada há 10 anos, está presente em 07 países, ministrando cursos para dentistas no Brasil e no exterior.

CETAO - Centro de Estudos Treinamento e Aperfeiçoamento em Odontologia.

Avenida Indianópolis, 153, Moema. São Paulo.

Tel: (11) 5051 2370/ 5051 6209.

Site: www.cetao.com.br

E-mail: cetao@cetao.com.br

Siga-nos

Mais do Guiame