MENU

Saúde

Alimentação e saúde no trabalho

Alimentação e saúde no trabalho

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:31

Muitas empresas oferecem refeitórios para seus funcionários. São buffets com diversas variedades, muitas vezes com opções tentadoras e gordurosas. Por isso, alerta Juliana Garcia, nutricionista da Clínica Contato, é preciso cautela na hora de preparar o prato.

Uma refeição saudável e nutritiva deve conter uma combinação dos alimentos energéticos - como arroz, macarrão e batata; construtores - como carnes e leguminosas; e principalmente os reguladores - como hortaliças, legumes e frutas. "Os energéticos devem representar 25% da comida, os construtores também 25% e os outros 50% dos alimentos escolhidos devem ser da classe dos reguladores", ensina.

Para quem gosta de massas, que é um carboidrato assim como o arroz, a dica é escolher entre um e outro. Deve-se preferir um molho mais nutritivo e menos gorduroso, como o molho vermelho. E, para quem não consegue resistir a alimentos como batata-frita, carnes gordurosas e frituras, o conselho é limitar o consumo a alguns dias da semana e diminuir a quantidade de carboidratos nesses dias.

A nutricionista orienta evitar a ingestão de líquidos durante as refeições, pois além de "empurrar" o alimento, isso causa uma diluição do meio ácido gástrico necessário para a ação das enzimas digestivas, absorção dos nutrientes e destruição de bactérias nocivas ao nosso organismo. Entretanto, para aqueles que ainda sentem necessidade de tomarem algo, a melhor opção são os sucos naturais ou água, segundo Juliana Garcia.

Os refrigerantes e sucos de máquina devem ser evitados. "O nosso corpo é feito de nutrientes e não de substâncias químicas. Esses produtos são ricos em acidulantes, corantes artificiais, estabilizantes, ou seja, em substâncias que nosso corpo não aceita, portanto são extremamente prejudiciais para a saúde". Eles são ricos em açúcares, o que - com o consumo constante - pode alterar os níveis glicêmicos, aumentar o peso, entre outras complicações, completa Juliana.

"Estudos relatam que a ingestão de refrigerantes à base de cola pode estar associada à excreção de cálcio pela urina, levando posteriormente a um maior risco de osteopenia, osteoporose e fraturas ósseas", ressalta.

Já em relação à sobremesa, o conselho é procurar determinar um dia na semana para consumi-la, para que não se torne um hábito. "Geralmente as sobremesas são riquíssimas em açucares, gordura e calorias", observa.

Sono no trabalho

As refeições devem ser mais freqüentes durante o dia e com uma quantidade menor de comida. Isso ajudará a evitar aquela sonolência depois das refeições, principalmente o almoço, que prejudica seu desempenho no trabalho. Quando comemos muito mais do que nosso organismo precisa, grande parte da energia será utilizada para a digestão, fazendo com que nosso metabolismo fique mais lento, por isso o sono. "As refeições devem ser fracionadas durante o dia em quatro ou cinco porções menores. Isso irá evitar que a pessoa sinta muita fome, coma muito rápido e muito mais do que precisa", ressalta.

E se você é daqueles que, para fugir do sono depois do almoço, recorre ao cafezinho, cuidado. "O café e os chás pretos são ricos em polifenóis, e quando consumidos logo após as refeições, a absorção de nutrientes como o ferro pode ser prejudicada", afirma. O aconselhável é esperar de uma hora à uma hora e meia depois do almoço para tomar um cafezinho.

Postado por: Claudia Moraes

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame