Como nascem os nomes dos esmaltes?

Como nascem os nomes dos esmaltes?

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:49

A dúvida surge antes de uma festa: melhor o "Garota Verão" ou o "Preguicinha"? Você pensa melhor e vai de "Pink Vigarista", mas só decide após testar o "Dragão Negro" e o "Macaquinho". Quanta criatividade! E esses são só alguns nomes das centenas de esmaltes que pintam as unhas das brasileiras.   Como nascem os nomes dos esmaltes? Cada marca tem um método, mas no geral, pesquisa e inspiração são complementares. Na Risqué, por exemplo, o processo de criação é voltado para estimular a experiência da consumidora. "Elas esperam nomes que instiguem e tenham um diferencial", explica Gabriela Garcia, diretora executiva da Hypermarcas. Para a Impala, a escolha do nome do esmalte é determinada a partir do tema da coleção, antes mesmo da produção das cores – fica fácil entender porque “Madame” e “Boneca de Luxo” integram a coleção “Muito Luxo”. Na Big Universo é diferente e a nomeação vem só no final: "Nas primeiras coleções, todos os nomes eram ligados à astronomia, mas hoje em dia não tem mais como seguir apenas essa linha e apelamos para a criatividade", conta Clarissa Ezaki, diretora de marketing da marca.E o que não falta é inspiração. “O nome serve para que a mulher pense na atitude que ela quer mostrar, o que ela quer representar para o mundo. É também para deixar a coisa mais divertida”, diz Luciana Laurito, gerente de marketing da Mundial Impala. Ela conta que o “Saia Justa” é um bom exemplo dessa lógica. “É um vermelho mais aberto e chamativo. Foi pensado para que a mulher bata o olho no nome e se identifique com a atitude de quem usa uma peça de roupa mais ousada”, explica.   Além das fábricas e escritórios de marketing, um nome pode surgir no salão de beleza. “Estamos sempre alinhados com insights de consumidoras e manicures”, diz Gabriela, que direciona sua atenção também para o mercado fashion, talvez o maior inspirador de títulos e cores atualmente.    

Siga-nos

Mais do Guiame