Fé e autoridade

Fé e autoridade

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:31

Marcos 11:20-24

Certa ocasião, Jesus, estando com fome, procurou figos numa figueira e não encontrou. Diante dos seus discípulos, Ele amaldiçoou a figueira, ordenando que nunca mais alguém comece fruto dela. No dia seguinte, retornando pelo mesmo caminho, os discípulos ficaram perplexos ao constatarem que a figueira havia secado. Diante da perplexidade daqueles homens, Jesus enfatizou: "Tende fé em Deus; porque em verdade vos afirmo que se alguém disser a este monte: ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar no seu coração, mas crer que se fará o que diz, assim será com ele" (Mc 11:22-23). Essa afirmação de Jesus é tremenda, mas, sobretudo, desafiadora. Nesse desafio de fé, entendemos que o ponto chave está em "não duvidar no coração". Quando Jesus disse que ninguém mais comeria fruto daquela figueira, suas palavras não foram lançadas ao vento, mas estavam fundamentadas numa convicção de que assim aconteceria. Portanto, antes de qualquer coisa, temos que vencer a dúvida do coração.

Há uma historinha bem engraçada com relação a isto: conta-se que uma mulher estava na igreja ouvindo um eloqüente pastor pregar sobre esta passagem. Ele dizia com intrepidez que as pessoas poderiam mover realmente os montes através da fé.

Aquela mulher ouviu atentamente cada palavra daquele pastor e, no instante da sua pregação, ela mentalizava um barranco bem alto ao lado da sua casa, que impedia do sol entrar no seu quarto, tornando o quarto dela escuro e úmido.

Com a pregação, ela colocou no coração a vontade de afastar aquele barranco de perto da parede de sua casa.

Chegando lá entrou no quarto e relembrou mais uma vez as palavras do eloqüente pastor:

- É a Bíblia que diz, falava ele. É só a gente crer.

A mulher, então, abriu a janela do quarto e por vários minutos fitou aquele barranco, e depois de contemplá-lo por um bom tempo disse a ele: - Hoje você sai daí e nunca mais vai fazer sombra no meu quarto.

Então, ela dobrou os joelhos e começou a repreender aquele barranco, - sai em nome de Jesus, vai para outro lugar... por várias minutos ela ficou ali ajoelhada e mandando o barranco embora.

Depois de um tempo, ela abriu os olhos e viu que o barranco ainda estava lá.

Sem nenhum espanto ela disse: - Sabia que não ia adiantar.

É apenas uma pequena ilustração, mas que tem sentido. Ninguém deve perder tempo orando por coisas que a gente não acredita que irá acontecer. Os caminhos da fé nos levam a entender que a oração só terá valor mediante a plena convicção de que fará diferença.

Quando orarmos, devemos pedir para que Deus faça aquilo que realmente está fora de nosso controle. A fé não rege nas áreas que nós temos comando.

A fé está no exercício praticado pelo homem para dar acesso a manifestação de Deus.

Jesus estava diante do sepulcro de Lázaro, que havia morrido quatro dias atrás, ali aconteceu algo que precisamos pensar.

A primeira atitude de Jesus foi mandar as pessoas que estavam lá , retirarem a pedra da sepultura. Interessante isto! Quem pode ressuscitar um morto não poderia remover também a pedra com uma ordem? Mas isso ele não fez, ele nunca faz o que compete ao homem fazer. Esperou que houvesse obediência a sua ordem (palavra), depois que a pedra foi removida, ninguém mais podia fazer nada, então entrou em ação o poder de Deus.

Lázaro voltou a viver. Há muitas pessoas que querem ter fé para curar e ate ressuscitar mortos, mas a fé que devemos ter é para obedecer o que Deus nos manda fazer.

Se fizermos isto, ordenamos as bênçãos, e elas vêm.

Deus os abençoe!

Rafi Dias é pastor e escritor.

Contato: rafidias@hotmail.com

Siga-nos

Mais do Guiame