Vá de Jetro - "Uma verdadeira aula de liderança corporativa"

Vá de Jetro - "Uma verdadeira aula de liderança corporativa"

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:29

Dizem que se conselho fosse bom não se dava, se vendia. Bem, não é assim quando se trata das coisas de Deus. No livro de Provérbios (15:12), vemos a Bíblia nos instruindo que "o caminho do insensato aos seus próprios olhos parece reto, mas o sábio dá ouvidos aos conselhos." Lógico que a gente tem que saber de quem se aconselhar, e ter sempre uma referência confiável e soberana como balizamento. No caso de conselhos espirituais e que digam respeito às nossas condutas como gente, indiscutivelmente, a Bíblia é a maior e mais soberana referência. Já no caso de vida profissional, TAMBÉM. É isso mesmo, não me canso de sustentar quanto a Palavra de Deus pode nos ensinar no desenvolvimento de uma melhor conduta profissional e empresarial, mesmo ela não tendo sido escrita para este fim.

No livro de Êxodus (18), vemos uma verdadeira aula de liderança corporativa, de conselho de administração, de sensibilidade mercadológica. Jetro, sogro de Moisés, dá um baile nas teorias de administração e seus conselhos certamente devem ter deixado Peter Drucker de joelhos, rendido diante de tanta sabedoria. Vamos seguindo os versos do capítulo, e analisando cada situação, e vendo porque Jetro era um conselheiro confiável, e seus conselhos sábios.

7 - Então, saiu Moisés ao encontro do seu sogro, inclinou-se e o beijou; e, indagando pelo bem-estar um do outro, entraram na tenda (Deve existir uma relação de respeito e admiração mútua entre quem aconselha e quem é aconselhado, para que a comunicação flua e o crédito mutuamente depositado abra espaço para o entendimento).

9, 10, 11 - Alegrou-se Jetro de todo o bem que o SENHOR fizera a Israel, livrando-o da mão dos egípcios e disse: Bendito seja o SENHOR... (Um bom conselheiro alegra-se no Senhor, antes de tudo, e lhe tem coração grato)

13 - No dia seguinte, assentou-se Moisés para julgar o povo; e o povo estava em pé diante de Moisés desde a manhã até ao pôr-do-sol (Às vezes, as preocupações e ocupações do líder lhe cerram a visão para as necessidades de seus liderados ou clientes. Nesse caso, é necessário que alguém externo venha para alertar sobre o equívoco).

14 - Vendo, pois, o sogro de Moisés tudo o que ele fazia ao povo, disse: Que é isto que fazes ao povo?... (Um bom conselheiro não teme questionar seu líder nem lhe apontar os erros não vistos, e sempre analisa a situação, prioritariamente, pela perspectiva humana).

15, 16 - Respondeu Moisés a seu sogro: É porque o povo me vem a mim para consultar a Deus;... (Existe uma grande diferença entre fazer o que tem que ser feito, e fazê-lo bem feito. As obrigações de um líder não podem servir de desculpa para justificar seus equívocos, nem ele pode transferir a culpa para terceiros. A responsabilidade é dele).

17, 18, 19 - O sogro de Moisés, porém, lhe disse: Não é bom o que fazes. Sem dúvida, desfalecerás, tanto tu como este povo que está contigo... Ouve, pois, as minhas palavras; eu te aconselharei, e Deus seja contigo; ... (O sábio conselheiro é direto, objetivo, e isola o problema. Não é inconseqüente em apenas apontar o erro, mas alerta para as conseqüências não previstas).

21 - Procura dentre o povo homens capazes, tementes a Deus, homens de verdade, que aborreçam a avareza; põe-nos sobre eles por chefes de mil... (O bom conselheiro está comprometido com a solução, e por vezes ela passa pela delegação de poderes, pela divisão de tarefas, pela confiança no outro).

24 - Moisés atendeu às palavras de seu sogro e fez tudo quanto este lhe dissera. (O bom líder é sensível à razão e ao bom argumento, não deixa que o orgulho ou o enebriamento do poder lhe impeçam de fazer o melhor. O bom líder executa).

27 - Então, se despediu Moisés de seu sogro, e este se foi para a sua terra. (O bom conselheiro não fica se embebedando nos conselhos bem dados, como se seu ego ainda precisasse ser satisfeito. Ele tem consciência de seu dever cumprido, e depois de alcançá-lo, segue em frente).

E você já tem seu conselheiro mais próximo, que te abra os olhos para enxergar teus equívocos e te ajude a caminhar melhor na direção das tuas conquistas profissionais? Se não, pegue a Bíblia e vá de Jetro.

Bênçãos e Sucesso!!!

Paulo Angelim

Conferencista nacional em Vendas e Motivação, autor dos livros "Desenvolvimento profissional: Alcance o sucesso sem vender a alma" e "Morra e Mude".

Contato: www.pauloangelim.com.br

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame