Oração e missões - Parte 2 - A tarefa do intercessor e modelos de oração

Oração e missões - Parte 2 - A tarefa do intercessor e modelos de oração

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:30

II - A tarefa do Intercessor

A oração na obra missionária tem seu papel fundamental, porque cremos que pela invocação apressaremos a definida e concreta vinda do Reino de Deus ao mundo. ( II Pd. 3:12) Cumprir a tarefa de intercessor é pedir como Jesus nos mandou: Venha o teu Reino! Para que o reino se estabeleça na terra é necessário que primeiro se estabeleça nos corações dos homens. Por isso a nossa a nossa tarefa é clamar:

1.  Pela salvação dos perdidos. O Senhor Jesus na sua oração sacerdotal intercedeu: "Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que vierem a crer em mim, por intermédio da sua palavra"(Jo.17:20). Nós somos resposta da sua oração. Como sacerdotes na nova aliança devemos levar aqueles que ainda não creram ao trono da graça divina para que sejam salvos. Orar é expressar o desejo do coração de Deus, "o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade." (I Tm.2:4)

2.  Fazer a retaguarda de oração para os missionários. Somos um exército em combate pelo Reino eterno. Os missionários de campo e de base precisam de cobertura espiritual. A retaguarda são os guerreiros de oração, que dão suporte aos que estão na linha de frente. Em vários textos encontramos o apóstolo Paulo pedindo oração, pois qualificava a obra missionária um combate de toda igreja.

Muitos obreiros têm feito um trabalho sacrificial, com pouco recurso para sobrevivência, penetrando no agreste e no sertão, enfrentando perseguição e privação para levar a semente do Evangelho em campos pioneiros. Eles precisam da retaguarda para se manter firmes no combate.

Aqueles que não seguem para o campo devem estar diante do Trono combatendo em oração o mesmo combate. Ouçamos o clamor deles como fez o apóstolo Paulo: "Rogo-vos irmãos, por nosso Senhor Jesus Cristo e também pelo amor do Espírito, que luteis juntamente comigo nas orações a Deus a meu favor. (Rm.15:30)

3.  Conquistar as cidades, vilas e grupos étnicos pelo poder da oração.  Precisamos orar para que a Igreja Evangélica seja desafiada a plantar igrejas onde há mais carência. Há cidades, vilas e tribos sem uma igreja sequer, por que então, continuar abrindo igrejas em cada esquina das grandes metrópoles, quando há cidades, vilarejos, tribos tão carentes?  Ainda há muitos povos na América Latina, na Ásia, na África sem uma testemunha de Jesus entre eles!

É necessário identificar os lugares estratégicos e dá oportunidade igual para todos. Paulo foi honesto em desejar avançar com o Evangelho para a Europa, pois dizia: "Esforçando-me, deste modo, por pregar o evangelho não onde Cristo já fora anunciado, para não edificar sobre fundamento alheio. (Rm.15:20)

Adotemos um povo, uma cidade, uma tribo, uma vila em oração. Saturemos o clima da cidade com a oração e certamente veremos a chuva serôdia da graça divina descer sobre esta terra!

4.  Clamemos pela ação social da Igreja, para o cumprimento da sua missão é integral. "O Evangelho para todos os homens e para o homem todo" como declara o Pacto de Lausanne. A igreja deve sair às ruas, aos becos e valados e estender as mãos a favor das crianças em situação de risco, dos marginalizados, dos  injustiçados e dos que sofrem.

Ouçamos o clamor dos órfãos e dos meninos de rua. Diz o profeta Jeremias: "Levanta-te, clama de noite no princípio das vigílias; derrama, como água o coração perante o Senhor; levanta a Ele as mãos, pela vida dos teus filhinhos, que desfalecem de fome à entrada de todas as ruas." (Lm.2:19) Clamemos diante do Senhor para que a sua luz possa raiar em cada recanto do  Brasil e ao redor do mundo.

III - Modelos de oração

Devemos nos comprometer a desenvolver um ministério de intercessão missionária no nosso tempo de devoção pessoal, em cultos nos lares e implementar um movimento na igreja local. Sempre em concordância com a liderança local.

A seguir daremos algumas orientações que poderão ajudar nesta tarefa.

1.  Na vida pessoal. Separe 15 minutos por dia para estar diante de Deus em intercessão, munido de informações sobre o movimento missionário ao redor do mundo.

2.Formação de grupos na igreja local. Levante um grupo de intercessores que, se unirão a você para intercessão missionária de forma sistemática e programada.

3.Trios de oração. Convide três pessoas que poderão se encontrar  uma vez por semana, por 15 minutos só para orar. Cada uma separa  três pessoas não crentespara estar apresentando diante de Deus até que seja salva. A escritora Evelyn Christenson chama este tipo de oração, de "Oração Evangelística". Ore e esteja    atento  as  oportunidades que o Senhor  abrirá para a  comunicação do amor de Jesus a essas  pessoas.

4.Eventos de oração. Programe junto a seu pastor retiros de oração, vigílias, concertos de oração, sempre com o alvo de estar em intercessão pela evangelização do Brasil e de todas as nações.

Conclusão: O ministério da oração nos põe em posição de combate, sob a liderança e no poder do Espírito Santo, obteremos resultados em uma dimensão que só a eternidade nos revelará.

Durvalina Barreto Bezerra é teóloga pelo Seminário Betel. Missióloga pelo Centro de Treinamento da WEC-AMEM, na Austrália. Pedagoga formada pela Universidade Federal da Bahia. Mestre em Educação pela Universidade Mackenzie. Vice-presidente da AME - Associação Missão Esperança, integrante da diretoria da Missão Antioquia. Diretora do Seminário Betel Brasileiro em São Paulo e Coordenadora Geral do Ensino do Instituto Bíblico Betel Brasileiro. Professora nos Centros de Preparo Missionário da Missão Juvep - Juventude Evangélica Paraibana, Missão Priscila e Áquila e Jami - Junta Administrativa de Missões. Conferencista internacional.

Seminário Teológico do Betel Brasileiro

Rua São Bento 545, 1ª s/l  São Paulo SP-

Fone: ( 11)  3105.5845 - 3105.5552

www.betelbrasileiro.com.br

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame