Perdoando um estuprador

Rebecca St. James ressalta que nós é quem decidimos se vamos deixar as circunstâncias da vida nos tornarem amargas ou melhores.

Fonte: Guiame, com informações de Ignite Your FaithAtualizado: quarta-feira, 4 de maio de 2016 19:55
Em tempos difíceis de nossas vidas, todos nós precisamos saber que Deus pode se relacionar com a nossa dor. (Foto: Pixabay)
Em tempos difíceis de nossas vidas, todos nós precisamos saber que Deus pode se relacionar com a nossa dor. (Foto: Pixabay)

Dentre as realidades da vida, uma das mais duras é o grande número de meninas que já sofreram abuso sexual.

Uma das perguntas comuns entre essas meninas é: "Por que Deus permitiu que isso acontecesse comigo?" Casos ainda mais difíceis são os que logo após o crime, a menina descobre que está grávida.

Agora, imagine uma menina cristã nesta situação. Ela está envergonhada, com medo, mas o aborto não é uma opção. Toda vez que ela pensa sobre o bebê, ela se lembra do que aconteceu. Ela sente raiva do bebê e daqueles que a machucaram.

No entanto, o bebê não optou por vir ao mundo dessa forma; ele também é uma vítima. Jesus também já sentiu abandonado uma vez, quando ele gritou” "Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?" (Marcos 15:34). Enquanto Jesus estava pendurado na cruz, Deus também sentia dor e perda.

Em tempos difíceis de nossas vidas, todos nós precisamos saber que Deus pode se relacionar com a nossa dor, e que Deus realmente coopera em todas as coisas para o bem daqueles que o amam (Romanos 8:28).

Eu posso até não viver a angústia destas meninas, mas eu sei que diante de qualquer situação, temos a escolha de nos voltarmos para Deus ou nos afastarmos Dele. Algumas garotas que conheci, escolheu se voltar para Deus. Se elas tivessem decidido se prender a sua dor, continuar culpando a Deus, e não perdoar as pessoas que as feriram, elas teriam sido interiormente destruídas.

Nós não sabemos por que certas coisas acontecem em nossa vida, mas sabemos que podemos confiar em Deus. As palavras de Jesus em Mateus 6:14-15 apenas confirmam: “Pois se perdoarem as ofensas uns dos outros, o Pai celestial também lhes perdoará. Mas se não perdoarem uns aos outros, o Pai celestial não lhes perdoará as ofensas".

Perdoar todos os pecados dos outros? Deus diz: Sim. Mesmo se eles nos atacam pelas costas? Sim. Mentindo? Sim. Roubando? Sim. Estuprando? Sim, até mesmo estuprando.

Todos os dias em nossos relacionamentos, precisamos escolher se vamos ou não perdoar. Nós decidimos se vamos deixar que as circunstâncias da vida nos tornem amargas ou melhores. Nós ferimos a Deus quando não perdoamos os outros.

A razão de nosso espírito imperdoável é tão ofensiva a Deus, que mostra o quanto nós subestimamos Seu poder. Apenas o poder de Deus nos permite perdoar. Nós simplesmente não conseguimos fazer isso por conta própria.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame