O dia que a montanha se mexeu

O dia que a montanha se mexeu

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:04
montanhaDuvido que você já tenha visto uma cena como esta: uma montanha sair de seu lugar, movimentar-se sem qualquer força humana ou sem ajuda de qualquer máquina, e instalar-se num outro lugar. Isto mesmo, uma montanha mover-se “sozinha”… Talvez, além de não ter visto, você até considere isto bem impossível, como eu também considerava.
 
Mas você já deve ter lido o texto em que Jesus diz: “… porque em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e há de passar; e nada vos será impossível ”; (Mateus 17:20) ou outra como “ Em verdade vos digo que, se tiverdes fé e não duvidardes, não só fareis o que foi feito à figueira, mas até se a este monte disserdes: Ergue-te, e precipita-te no mar, assim será feito; (Mateus 21:21). Jesus disse que é possível que as montanhas se mexam e mudem de lugar. Mas será que dá pra acreditar nisso?
 
É certo que não vemos estas cenas acontecendo por aí, e se não vemos, há então duas alternativas: ou não temos fé suficiente para que isso aconteça, ou não entendemos o texto como Jesus desejaria que entendêssemos. Com base neste texto, sempre considerei a minha fé muito pequena, quase inexistente ou, de fato, inexistente. Jesus disse que a fé como grão de mostarda (ou seja, minúscula) já seria suficiente para realizar tal feito, logo, em não acontecendo, eu só podia ainda não ter a tal fé. Sentia-me um incrédulo. Na maioria das vezes que fui tentado, nem coragem de pedir à montanha para se mover eu tinha. Em algumas poucas vezes, pedi para algumas montanhas saírem do lugar, só para fazer um “teste de fé”, para avaliar em que grau minha fé estava. O resultado é que elas nunca se moveram nenhum mísero centímetro sequer. Concluía então que minha fé ainda não havia chegado ao nível suficiente para que eu fizesse alguma coisa importante. A pressão era maior ainda quando lia, em Hebreus 11, que sem fé é impossível agradar a Deus. Será que nunca teria fé suficiente?
 
Mas algumas coisas mudaram em mim quando entendi que fé não é acreditar muito que algo vai acontecer até aquilo realmente acontecer, como acreditar muito que uma montanha vai sair de seu lugar, e ela realmente sair. Isto é otimismo, positivismo, mentalização ou qualquer outra coisa, mas não a fé genuína em Deus e que O agrada. Muito mais do que isto, fé é acreditar muito em Deus, que pode fazer tudo acontecer conforme a Sua boa, perfeita e agradável vontade. E nesta confiança em Deus confio tanto em Seu caráter que quero ser mais parecido com Ele, através do exemplo que nos deu em Jesus. Este “tornar-se” mais parecido com Jesus não é algo instantâneo, é um processo, um caminho, ou muito melhor, O Caminho (como Ele mesmo se definiu), um percurso, ou como o autor da carta aos Hebreus escreveu, uma carreira que nos está proposta para que corramos com perseverança, olhando para o exemplo de Jesus (Hebreus 12.1). O Caminho que precisamos percorrer é o estreito e sutil processo de transformação de humanos descendentes de Adão em humanos plenos descendentes de Cristo, neste Trajeto tudo muda em nós. O caminho da fé é o caminho do negar-se a si mesmo, não viver mais, para que Cristo viva. Além de estreito, o Caminho apresentará alguns obstáculos muito grandes, VERDADEIRAS MONTANHAS.
 
Talvez seja neste pensamento que o Mestre nos orienta a  orar com fé pedindo para que estas montanhas passassem daqui para acolá. Não creio que seja para interferirmos na geografia de um lugar sem qualquer propósito de Deus nisso. As montanhas passam daqui para acolá quando estão obstruindo nossa passagem em direção à semelhança plena com Cristo. Cabe-nos avaliar se há em nossa jornada alguma dessas montanhas, impedindo-nos de prosseguir no Caminho da fé. Milagre de verdade não é fazer com que o Pão de Açúcar, do Rio de Janeiro venha parar em São Paulo, ou que o Monte Sinai seja transportado para a América do Sul. Milagre de verdade é fazer com que características nossas que não fazem parte do caráter de Jesus sejam lançadas para bem longe de nós, para dar lugar às características Dele.
 
Para ajudar na identificação das montanhas que podem nos obstruir no Caminho, apesar de elas serem bem grandes e visíveis (às vezes, ficamos cegos para isso), aqui vai uma lista de algumas das piores montanhas que tenho visto: dificuldade de perdoar, falta de amor ao próximo, ira, inveja, preguiça, vícios (drogas, álcool, cigarro, pornografia, masturbação, jogos, entre outros), gula, orgulho, vaidade, homossexualismo, religiosidade cega e intolerante, mentira, entre muitos outros. Seja lá o que for, estas montanha se moverão se tivermos verdadeira confiança  em Deus. Podemos nos ver livres delas, tudo é possível ao que crê.
 
Mas talvez você esteja aí pensando: “Há muito tempo peço a Deus para me mudar. Há muito tempo luto contra meu temperamento, contra o vício, contra estas montanhas que foram citadas e elas continuam bem à minha frente”. Converso com muitos jovens que me dizem estas frases e afirmam não saber mais o que fazer para se livrar de certos obstáculos no Caminho do caráter de Cristo. O meu conselho para estes é bem simples: Jesus disse que os discípulos não conseguiram expulsar o demônio do jovem possesso por conta da pequena fé que eles tinham (Mateus 17.20), e neste contexto diz que se eles tivessem fé, não só expulsariam demônios, mas qualquer montanha (obstáculo) se moveria diante deles. Sendo assim, o segredo para ver montanhas saindo de nossa frente é aumentar o tamanho da nossa fé.
 
Existem, ao menos, três remédios eficazes para aumentar o tamanho da nossa fé. O primeiro e o segundo estão no próprio texto de Mateus 17:20 e 21, eles tinham uma fé pequena e os remédios indicados por Jesus para resolver o problema eram a oração e o jejum. Pouca oração e pouco jejum resultarão em pouca fé em Deus, pouca fé em Deus resultará em montanhas imóveis diante de nós. Um terceiro remédio que aumenta a nossa fé é Paulo quem nos receita, em Romanos 10:17, “a fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus”. Este coquetel, em uso contínuo, em doses cada vez maiores, nos levará a confiar cada vez mais em Deus e em seu caráter e a ver as montanhas que nos impedem de prosseguir no Caminho da imagem de Cristo sendo formada em nós sendo movimentadas milagrosamente. O segredo é orar por isso, jejuar por isso, ler a Bíblia em busca disso.
 
O foco da nossa busca deve ser este e não apenas bênçãos materiais. Deus não é um gênio da lâmpada que aparece para realizar nossos desejos, Deus tem vontade e quer ver Sua vontade sendo cumprida em nós e através de nós. Para isso, precisamos buscá-Lo, na oração, no jejum e na palavra, para que as montanhas espirituais sejam retiradas com instrumentos espirituais. Ore por isso mais do que por qualquer outra coisa da sua vida, pois este é o propósito pleno de Deus para sua vida: andar no Caminho e ser imagem Dele. Se ainda existem montanhas à nossa frente é porque precisamos orar mais, jejuar mais e estudar mais a palavra de Deus.
 
O meu desejo é que você e eu confiemos em Deus, sem quaisquer dúvidas e busquemos que todos os nossos dias sejam dias de ver montanhas se movendo diante de nós, e indo para muito longe, se possível para o fundo dos mares. Convido você a ver isto acontecer hoje em sua vida. Que hoje seja o dia em que montanhas serão removidas de seu Caminho. Que Deus te abençoe e te faça diariamente mais parecido com Jesus.
 
 
- Jonatas Leonio
 
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame