Enfrente seus medos. Onde está o inimigo?

É preciso conhecer onde estão seus inimigos para poder batalhar contra eles. Medite se há algum medo que te impede de crescer. Peça a Deus que Ele revele a você o real motivo desse medo

Fonte: Não Morda a MaçãAtualizado: sexta-feira, 12 de dezembro de 2014 15:42
medo
medo

medoQuero falar sobre seus medos. Sim, só de pensar neles talvez você já se sinta diminuído.
Todos temos medos a vencer, mas e você, o que tem feito contra seus medos?

Pare e pense, quais são eles?

Não falo do seu medo de baratas voadoras sugadoras de cérebro ou do medo de seu pastor pegar seu celular e ver suas conversas no whats app (vixe!), falo do medo que te paralisa impedindo de prosseguir, de ser alguém melhor, de vencer, de conquistar. O medo da derrota certa, o medo de tentar.

Eu tive muitos medos, muitos mesmo! Já venci muitos deles e atualmente estou batalhando contra um.

Vamos lá. O medo nasce da falta de segurança. Não to falando do maluco marrento de braço cruzado, óculos escuro, de roupa preta que fica na porta de algum lugar, falo de segurança do resultado de seus atos.

Imagine um soldado atravessando o campo de batalha. Subitamente ele ouve o ar sendo cortado por uma bala. Rapidamente ele busca se proteger e fica ali imóvel – “De onde veio o tiro?” – é a primeira pergunta que lhe vem a cabeça. Sem descobrir sua origem, ele tenta dar mais um passo a frente, mas outro tiro lhe sinaliza que é melhor ficar parado. Sem saber de onde veio o tiro, ele fica ali parado, inerte. O medo por sua vida o deixa o torna imóvel! Ele toma coragem mais uma vez e desta vez, sente o sangue quente fluir de sua coxa. A expressão de espanto se afoga em meio a um grito de dor aguda. O soldado atingido volta atrás no lugar que lhe era seguro, gemendo, buscando em sua mochila o kit de primeiros socorros. O medo o aprisiona ali.

Não sei qual é a condição na qual você cresceu, mas eu fui deixado pelos meus pais (longa história que você pode ler aqui no meu testemunho). Minha mãe foi embora para o Chile me deixando com meu pai que, por sua vez, me abandonou com minha madrasta (eu diria boadrasta rsrs). Isso aconteceu quando tinha 14 anos. Creio que essa é a idade onde um adolescente mais precisa de um pai para se afirmar e encontrar a segurança necessária para enfrentar os desafios da vida.
Sabe aquela coisa dos pais dizerem – “Você vai conseguir filho, você é muito bom!” – “Eu tenho orgulho de você filhão!” – “Hey! Não abaixa a cabeça não! Você não perdeu, você aprendeu!” – Pois é, eu não tive! Dessa forma, as coisas me pareciam muito mais difíceis.

Somado ao sentimento de rejeição que possuía (devido ao abandono), eu fui escravizado por uma mentalidade de sobrevivência. Uma mentalidade que me levava sempre a pensar que tudo que eu fizesse, não era bom o suficiente, então por que tentar? E se por acaso eu tentar, já entrava com o sentimento de derrota pra não me decepcionar tanto, por que no meu coração havia a certeza de que as coisas não sairiam bem pra mim. Sim, era horrível!

É assim que o capeta age. Ele busca te escravizar na mente. Pensamentos que te tornam prisioneiro de uma condição medíocre. Ele busca incansavelmente construir fortalezas para aprisionar sua mente com suas mentiras. E quer construir o mais cedo possível. Para isso, muitas vezes ele usa traumas passados. Foi assim comigo.

O medo me aprisionou por muito tempo. Medo de nunca ser alguém na vida, medo de não conseguir entrar na faculdade, medo de não conquistar nada, medo de ninguém gostar de mim, medo de ser mais uma vez rejeitado… medos…

Devido a minha falta de segurança, vivia com milhares de dúvidas e a maioria delas era respondida em minha mente de forma negativa. Então eu ficava paralisado, deixando “a vida me levar”.

Durante muito tempo batalhei socando o ar. Não sabia onde estava a raiz dos medos que me aprisionavam, não sabia de onde vinham os tiros que me paralisavam em uma zona que considerava segura, aliás, eu nem reconhecia que existia um medo que havia me tornado cativo. As vezes “saia do meu posto” e levava um tiro, então, eu retornava onde estava. Talvez você se sinta assim…

MAS…

No amor não há medo; pelo contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor. – 1 João 4:18

Aos poucos o Senhor foi derrubando essas fortalezas que estavam construídas em minha mente e para isso, Ele me mostrou a direção onde meu inimigo estava para que eu pudesse batalhar. Ou seja, Deus começou a me mostrar a raíz de onde esse medo (insegurança) vinha e como o diabo atuava através dela.

Talvez você nem tinha identificado/se tocado que havia um medo que controlava algumas ações suas.

Por exemplo:
1- Inconscientemente eu imaginava que minha vida seria rasa, sem conquistas. Eu não via isso, mas minhas ações (ou falta dela devido ao medo) me conduziam a uma vida assim. Suspeitava que havia algo errado, mas não enxergava “o que” nem o “por que” (Não sabia onde estava o inimigo);

2- Percebi que havia algo errado comigo. Vi que havia uma barreira intransponível na minha frente, mas sentia que estava destinado a viver assim (o medo);

3- Deus me mostrou que isso foi uma fortaleza que o diabo havia construído em minha mente aproveitando-se dos traumas da infância e adolescência (a raíz);

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. – João 8:32

É preciso conhecer onde estão seus inimigos para poder batalhar contra eles. Medite se há algum medo que te impede de crescer. Peça a Deus que Ele revele a você o real motivo desse medo.

Semana que vem vou escrever a respeito do combate a esse medo. Neste eu queria deixar claro que é momento de você olhar nos olhos do medo e sorrir.

Fim de semana abençoado!
Abração!


- Fernando Ortega

 

Siga-nos

Mais do Guiame