MENU

Geral

8 em cada 10 jovens acusados de homicídio são ligados ao tráfico

8 em cada 10 jovens acusados de homicídio são ligados ao tráfico

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:48

Apesar da pouca idade, eles já praticam crimes de gente grande que assustam até mesmo a polícia. Adolescentes cada vez mais jovens entram no mundo do crime e não hesitam na hora de matar. Eles costumam agir de forma calculada e, segundo a Delegacia para o Adolescente Infrator (DAI), em Salvador, 80% dos assassinatos cometidos por esses adolescentes são motivados pelo envolvimento com o tráfico de drogas.

Nas grandes cidades do interior, a situação não é diferente. Em Itabuna, Sul do estado, por exemplo, os 14 anos do adolescente conhecido como Espertinho já carregam o peso de cinco homicídios. Um deles por engano.

O jovem tinha a intenção de matar um traficante de prenome Rogério, mas acabou alvejando o guarda municipal Tilson Teles, 30 anos, cunhado do traficante. Espertinho,  apreendido anteontem, é apontado pela polícia como integrante do bando do traficante Erick, que cumpre pena no presídio da cidade.

"Eles começam cedo, com 9 ou 10 anos. Quando completam 12 anos, já se tornaram verdadeiros animais e saem matando. É uma realidade assustadora", reforça o titular da Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (DTE), Daniel Pinheiro.

Segundo  o delegado, homicídio e tráfico de entorpecentes são os crimes mais comuns praticados por esses adolescentes. De 2006 até o ano passado, houve um aumento de cerca de 900% na participação de jovens no tráfico de drogas. Em 2011, já foram registrados 83 casos.

Engano  Com 16 anos, G.L.J decidiu executar um traficante de apelido Corante que por duas vezes ameaçou o adolescente. Mas, na hora de executar o plano, o jovem confundiu o alvo e matou, por engano, o estudante Alcides Ferreira da Silva Neto, 17 anos. "Ele era muito parecido e o local estava escuro. Eu virei o rosto para o lado, apontei a arma para o lugar e atirei. Era só para assustar e ele parar de me ameaçar", contou o adolescente, que disse estar arrependido.

Ele contou ainda que foi a primeira vez que usou uma arma de fogo e que comprou o revólver em uma feira por R$ 200. "Não sabia nem manejar uma arma. Consegui o dinheiro porque recebia uma pensão de meu pai. Depois que atirei, enrolei a arma em um saco e joguei no mar".

Morador de Paripe e estudante da 8ª série, o adolescente foi apreendido  anteontem e confessou que cometeu o crime porque em duas vezes que foi visitar a namorada, também moradora do bairro, o traficante o proibiu de passar pelo local.

"Ele falava que não era para eu ir lá e uma vez me botou para correr", disse. O adolescente contou ainda com a ajuda de um mototaxista que o levou até o local do crime e aguardou o jovem executar o crime. Jeferson Henrique Vasconcelos, 18 anos, o mototaxista, está detido na Delegacia de Homicídios, nos Barris.

Menor sendo apreendido na Bahia

A delegada Claudenice Mayo, titular da DAI, trabalha com a hipótese de que uma rixa tenha sido o motivo o crime. "Existem vários bairros  onde tem grupos que não permitem que outros moradores passem pelo local".

O crime aconteceu no início da noite de domingo e provocou a revolta de parentes e amigos da vítima. "Toda a comunidade ficou revoltada. Ele confundiu a vítima com o traficante que tinha ameaçado. Gabriel será encaminhado para o Ministério Público e provavelmente será internado por medida de segurança".

Estatuto  

Após cometer o crime, o adolescente poderá ser internado na Comunidade de Atendimento Socioeducativo (Case), onde não poderá permanecer por muito tempo. "De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), eles (os jovens) só podem ficar internados por, no máximo, três anos. Depois são liberados", diz a delegada.

Hoje, seis adolescentes serão ouvidos no Ministério Público, detidos por policiais militares da 35ª CIPM. Eles são suspeitos de terem participado da tentativa de homicídio que vitimou Emerson dos Santos, 19 anos, em frente à Igreja Universal do Reino de Deus, na avenida Antonio Carlos Magalhães. A polícia suspeita que o crime seja resultado de briga de gangues que marcam encontros através da internet para praticar atos de vandalismo.

Para a titular da DAI, a maioria dos adolescentes que praticam assassinatos tem envolvimento com o tráfico. "Eles veem a violência como uma coisa banal na vida deles e não têm parâmetros para definir o que é legal ou não". Ela diz ainda que geralmente os adolescentes começam como usuários e depois passam a vender a droga.

"Os próprios traficantes recrutam os adolescentes como olheiro ou avião para levar as drogas para clientes. Fizemos um estudo em que comprovamos que 80% dos assassinatos cometidos por esses adolescentes têm relação com o tráfico. Apesar de ter sido feito em 2009, a situação permanece a mesma", finaliza.

Itabuna: testemunhas ouvidas

A delegada Katiana Amorim, titular da 2ª DP de Itabuna, concluiu ontem o inquérito sobre a morte do guarda municipal Tilson Teles, 30 anos, assassinado pelo adolescente conhecido como Espertinho, 14 anos. Ele confessou o crime e disse que matou Tilson "por engano".  

Segundo ele, foi o comparsa Luciano Correia, o Lu, 18 anos, também preso, quem apontou a pessoa errada. Cinco testemunhas foram ouvidas e já foram recolhidas provas suficientes sobre o crime. As testemunhas identificaram o adolescente como autor dos tiros. O inquérito foi encaminhado  à Vara da Infância e da Juventude de Itabuna. Ele deve ser encaminhado para a Comunidade de Atendimento Socioeducativo, em Salvador.

Adolescentes homicidas

2006  27 assassinatos

2007  34 assassinatos

2008  72 assassinatos

2009  80 assassinatos

2010  50 assassinatos

2011 7 assassinatos

Por: Anderson Sotero

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame