Micropontos 'invisíveis' ajudam a identificar produtos roubados

Micropontos 'invisíveis' ajudam a identificar produtos roubados

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:20

Lanterna UV identifica localização do microponto em um carro (Foto: Divulgação) Pontos invisíveis colados em notebooks ou tablets podem carregar informações sobre o dono do aparelho e torná-lo um produto único, que inviabiliza a ação do ladrão, já que o equipamento pode ser rastreado. Os micropontos – ou “datadots”, em inglês – já são utilizados em veículos no Brasil há dois anos, conforme a empresa DNA Security. “Pelos micropontos, a polícia consegue identificar o dono do carro apenas por uma peça encontrada em um desmanche”, explica José Ramalho, consultor da DNA Security.

Utilizando nanotecnologia, até 7 mil micropontos são borrifados com spray em todo o carro de forma aleatória – o que torna o trabalho de remoção impossível, segundo Ramalho. Invisíveis a olho nu, os micropontos são localizados por meio de uma lanterna UV. Cada um deles traz um código único e exclusivo, que pode ser identificado em qualquer parte do mundo. Eles podem carregar dezenas de informações, como dados sobre o cliente, data de fabricação e número de série. Para a leitura das informações é necessário uma lente de aumento especial.

Lanterna localiza diversos micropontos. Ao lado, microponto ampliado com as informações (Foto: Divulgação) “O microponto não substitui o rastreador, ele apenas o complementa. A rastreabilidade existe apenas quando o produto é localizado. A partir do microponto, é possível saber da onde aquela carga vem. A função do microponto é inibir o roubo: não pega esse produto porque ele está todo marcado e vai te entregar”, explica Ramalho. Todo produto marcado pelos micropontos carrega o adesivo “veículo protegido”.

Série ‘CSI’ já citou a tecnologia de micropontos

em mais de um episódio (Foto: Divulgação) Em um episódio da série policial “CSI”, investigadores resolvem o caso de um atropelamento por meio dos micropontos. A partir de vidros encontrados perto da vítima, eles identificaram um microponto que continha informações sobre o carro do atropelador. No episódio, concessionárias começaram a usar os micropontos nos faróis dos veículos após uma sequência de roubos.

Ramalho explica que a tecnologia “datadot” existe em todos os continentes. Nos Estados Unidos, os usuários usam os micropontos para marcar seus bens pessoais, como notebooks, tablets e máquinas fotográfica. "Se um dia você perder seu aparelho, você vai facilmente saber quando aquele produto é seu, porque ele vai carregar uma identificação única. Se encontrarem sua máquina fotografia em Taiwan, eles vão saber se a máquina é sua a partir do microponto”, diz Ramalho.

Transporte de carga

Depois de utilizar a tecnologia em veículos por dois anos, a DNA Security começou a atuar também com transportadoras, para proteger tanto o caminhão quanto a carga. “Quando a mercadoria for transportada, a identificação do microponto constará também na nota fiscal de transporte”, explica.

Ao chegar a uma loja onde há produtos roubados, o microponto consegue identificar que o número marcado na mercadoria se referente à nota fiscal de uma carga roubada. “Depois que o produto é colocado no comércio, é muito difícil identificar sua origem”, diz Ramalho. “Se houvesse um padrão no Brasil de todas as cargas serem marcadas, o funcionário da fiscalização automaticamente iria conseguir bater os números da nota fiscal com o que está registrado no microponto da carga. Hoje, a fiscalização é muito vulnerável”, completa.          

Siga-nos

Mais do Guiame