Greve dos policiais civis ganha adesão e atinge oito Estados; investigações são suspensas

Greve dos policiais civis ganha adesão e atinge oito Estados; investigações são suspensas

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:24

A greve dos policiais civis deflagrada para forçar os deputados federais a votarem a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) - que prevê um piso salarial nacional para a categoria - ganhou a adesão de mais três Estados entre a noite desta quarta-feira (19) e a manhã desta quinta (20): Rio de Janeiro, Goiás e Mato Grosso do Sul.

No total, policiais civis de oito Estados suspenderam as suas atividades (contando com os três Estados que aderiram ao movimento nas últimas horas). Já tinham interrompido as atividades os agentes que trabalham na Bahia, Amazonas, Ceará, Alagoas e Acre, segundo informações da Cobrapol (Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis).

Caso a PEC seja aprovada, policiais civis e militares, bombeiros e agentes penitenciários terão um piso salarial nacional e passarão a receber, em média, R$ 3.500 por mês (nível médio) e R$ 7 mil (nível superior).

A PEC teve o texto original e um dos quatro destaques aprovados em primeiro turno em março. Faltam ser votados três destaques para que a proposição siga a tramitação normal. Em todos os Estados, de acordo com a Cobrapol, os serviços de investigação, entregas de intimações e fornecimento de antecedentes criminais estão suspensos.

Nesta quarta-feira, a proposta de emenda constitucional voltou a ser incluída na pauta do plenário da Câmara. O presidente da Cobrapol, Jânio Bosco Gandra, disse que a pressão feita pelos policiais teve resultados. Ele disse, também, que o retorno da PEC à pauta de votações da Câmara é positivo, mas é necessário garantir que a matéria seja votada e aprovada para que se consolide a vitória da categoria. A confederação também preparou uma contraproposta para viabilizar a aprovação do piso salarial nacional para ser apresentado a todos os líderes partidários.

Pela proposta, a entidade sugere a retirada do texto do valor do piso, que seria regulamentado em lei pelo Executivo num prazo de 60 a 90 dias. Enquanto a regulamentação do piso não fosse encaminhada, a Presidência da República poderia editar um decreto para complementar os salários dos agentes. A Cobrapol informou, ainda, que mais 11 Estados devem aderir à greve até o final da próxima semana, caso a PEC não seja aprovada.

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame