Deputados em 'mandato-tampão' nomeiam 81 para trabalhar na ALMG

Deputados em 'mandato-tampão' nomeiam 81 para trabalhar na ALMG

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 10:00

Oitenta e um funcionários foram nomeados para trabalhar com seis deputados suplentes, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), de 4 a 31 de janeiro de 2011. Os parlamentares substituem os deputados estaduais escolhidos pelo governador Antonio Anastasia para ocupar as secretarias de Estado.

Irani Barbosa (PMDB) e Marcelo Queiroz (PTB) contrataram 15 funcionários, cada um. A mulher de Barbosa, Gracinha Barbosa, disse que o marido não ocupa mandato-tampão, pois parlamentar trabalha na ALMG desde fevereiro de 2008. "Ele [Irani Barbosa] foi exonerado e reempossado por decisão da Assembleia", justificou. Ainda segundo Gracinha, os funcionários que acompanham Barbosa, desde então, continuam os mesmos.

Já Queiroz disse à reportagem que readmitiu 13 pessoas que trabalhavam com Bráulio Braz (PTB), e que apenas dois foram contratados: uma para trabalhar nos projetos de lei e outra para fazer atendimento no gabinete. Com relação ao mandato-tampão, Queiroz afirmou "não ter culpa e que está cumprindo o que determina a lei".

Márcio Pimentel (PCdoB), que contratou oito, disse que manteve cinco funcionários e que chamou outros três. "Mesmo com o recesso no plenário, as atividades são realizadas normalmente no gabinete. Preciso deles para desenvolver o que prometi aos meus eleitores", disse Pimentel.

Vanderlei Jangrossi (PP), que ocupa a vaga do vice-governador Alberto Pinto Coelho, nomeou sete funcionários. O assessor de Jangrossi pediu ao G1 que formalizasse as perguntas por e-mail, mas até o fechamento desta reportagem, ele não havia respondido as questões. O deputado estadual Juarez Távora (PV) fez 13 nomeações. A reportagem não conseguiu localizá-lo.

O deputado Vilson da Fetaemg (PSB) teria contratado 23 pessoas, mas a assessoria de imprensa dele informou que foram recolocados 21 profissionais que já atuavam com o titular do mandato, Wander Borges. Desses, de acordo com a assessoria, sete seriam exonerados a partir desta quarta-feira (12).

A assessoria de imprensa da ALMG disse que não tem o cálculo de quanto as contratações impactam nos cofres públicos, mas informou que cada parlamentar tem uma verba de R$ 52.024, por mês, para pagar os funcionários. Os salários, de acordo com a assessoria, serão pagos proporcionalmente pelo período trabalhado em janeiro.

Com relação ao mandato do deputado Irani Barbosa, a ALMG informou que ele substituiu Marcus Pestana, de 2 de fevereiro de 2007 a 9 de outubro de 2008. De 10 de outubro de 2008 a 27 de janeiro de 2010, Barbosa sucedeu o deputado Gustavo Corrêa. Já no período de 28 de janeiro de 2010 a 31 de dezembro de 2010, ele assumiu o mandato por causa da saída da deputada Elbe Brandão. E, finalmente, de 4 de janeiro de 2011 a 31 de janeiro de 2011, Barbosa está no lugar de Lafayette Andrada.

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame