Bancada do PT escolhe Humberto Costa para líder no Senado

Bancada do PT escolhe Humberto Costa para líder no Senado

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 10:01

Depois de quase três horas de reunião, a bancada do PT no Senado anunciou nesta terça-feira (11) que o senador pernambucano Humberto Costa será o novo líder do partido na Casa.

Ex-ministro da Saúde na gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Costa passará a ocupar as funções a partir de fevereiro, quando a casa retomará os trabalhos e os novos senadores tomarão posse.

Os integrantes da bancada decidiram marcar uma nova reunião, para o próximo dia 27, a fim de discutir as indicações para os demais cargos da mesa do Senado.

A razão para os senadores do PT se reunirem em pleno recesso parlamentar é decorrência da estratégia do partido de iniciar o quanto antes as negociações pelos demais cargos da Mesa e das comissões permanentes da Casa.

Petistas e peemedebistas trabalham para assumir o comando da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a mais importante da casa, que delibera sobre todas as matérias. A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) também está em disputa.

Com uma bancada de 15 senadores, a segunda maior, o PT tem o direito de pleitear o segundo cargo de comando na estrutura do Senado, a primeira vice-presidência. A senadora Marta Suplicy (PT-SP) é cogitada para ocupar o posto, estratégico porque permitira ao PT comandar os trabalhos do Senado na ausência do presidente, que virá do PMDB.

Na atual legislatura, o senador Marconi Perillo (PSDB-GO), eleito governador de Goiás, ocupou o cargo e causou transtornos ao governo.

Com isso, a estratégia do PT é desalojar a oposição da vice-presidência, já que há um acordo para que o atual presidente, José Sarney (PMDB-AP), seja reconduzido ao cargo.

O PMDB continua com a maior bancada no Senado: 19 parlamentares e, justamente por esse fato, os peemedebistas não abrem mão da presidência.

União da bancada

O novo líder do PT, Humberto Costa, terá a missão de comandar a bancada no primeiro ano de legislatura. Ao falar nesta terça pela primeira vez sobre esta missão, Costa disse que irá trabalhar pela união da bancada.

Entre suas prioridades ele citou a reforma tributária e disse que será uma de suas prioridades trabalhar pela viabilização de novas formas de financiamento para a saúde. O petista, no entanto, evitou falar na criação de um novo imposto nos moldes da CPMF.

Sobre o apoio petista à reeleição do atual presidente do Senado, José Sarney, para outros dois anos de mandato, Costa afirmou que o PT vai respeitar o acordo sobre a proporcionalidade das bancadas, que garante ao PMDB o comando do Senado, e apoiar o nome indicado pelo partido.

"Não temos nenhuma restrição aos nomes que vierem a ser apresentados pelo PMDB, até porque todos são senadores", disse Costa.

Questionado sobre a polêmica em torno do reajuste do salário mínimo, Costa disse que o partido vai defender um valor justo que respeite os limites financeiros do governo, mas que também seja bom para o trabalhador. O líder petista, no entanto, evitou associar a discussão do mínimo à disputa por cargos no governo federal.

Uma das primeiras missões de Costa até fevereiro será sondar os demais partidos que compõem a base governista no Senado sobre os possíveis nomes que serão indicados pelo partido para disputar a vice-presidência.

Além de Marta, também pleiteia a vaga o senador Delcídio Amaral. "Vamos levar os nomes aos demais partidos da casa para saber qual deles terá condições de agregar mais aliados na chapa. O que está certo é que o PT quer se ver representado na vice-presidência."

Por: Robson Bonin

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame