MENU

Mundo

Tempestade nos EUA, deixa rastro de destruição.

Tempestade nos EUA, deixa rastro de destruição.

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:10

Pelo menos 29 pessoas já morreram nos Estados Unidos após a violenta passagem da supertempestade Sandy pela Costa Leste dos EUA, segundo as autoridades. Uma pessoa morreu também no Canadá. Os números, porém, não são definitos e devem aumentar, pois as agências internacionais noticiam nesta quarta-feira (31) que a tormenta já matou mais de 30 pessoas só em território norte-americano. 

O estado americano mais afetado pela tormenta foi Nova York, onde 15 pessoas morreram, dez delas na cidade de Nova York, bastante castigada por enchentes e blecautes.
As autoridades temem que o número seja maior, pois os trabalhos de resgate, principalmente na zona costeira, continuavam.

Mais de 8 milhões de lares e comércios, em 18 estados, se encontram sem eletricidade na Costa Leste dos Estados Unidos por causa da supertempestade, informou o governo federal. Os estados mais atingidos são Nova York (2 milhões) e Pensilvânia (1,3 milhão), segundo o Departamento de Energia.As demais mortes foram registradas nos estados de Maryland (2), Connecticut (2), Nova Jersey (3), Pensilvânia (3), Virgínia (2) e Virgínia Ocidental (1), além de uma das tripulantes do veleiro HMS Bounty, que naufragou por causa do furacão.

O governador de Nova Jersey, estado pelo qual Sandy chegou ao continente, disse que o furacão provocou uma "devastação inimaginável" na costa e que os trabalhos para retirar moradores presos pelas inundações continuam.

A Guarda Nacional está ajudando nos trabalhos na região, onde muitas casas foram arrancadas de suas bases e arrastadas pelos ventos e pela água.

Nova York
O presidente Barack Obama, declarou  situação de emergência para todo o estado de Nova York após a passagem de Sandy.
Parte da ilha de Manhattan está inundada, e 500 mil pessoas ficaram sem energia elétrica na cidade de Nova York.

  •  
Rodovia à beira-mar em Rodanthe, Carolina do Norte, danificada nesta terça-feira (30) pela passagem de Sandy (Foto: AP)Rodovia à beira-mar em Rodanthe, Carolina
do Norte, danificada nesta terça-feira (30) pela
passagem de Sandy (Foto: AP)

Perdendo força
Sandy perdeu força nas primeiras horas da manhã desta terça, enquanto prosseguia seu trajeto pelo leste dos Estados Unidos, mas ainda pode provocar fortes ventos e inundações, alertam as autoridades meteorológicas. Entenda o fenômeno.

O Centro Nacional de Furacões informou às 9h GMT (7h do horário brasileiro de verão) que Sandy se deslocava ao sul do estado da Pensilvânia com ventos de 105 km/h e rajadas ainda mais fortes sobre grande parte da Costa Leste.

A supertempestade, rebaixada para tempestade pós-tropical pouco depois de tocar a terra na costa de Nova Jersey na segunda-feira à noite, mas a destruição provocada superou amplamente seu nível na escala Saffir-Simpson dos furacões.

Uma empresa de previsão de desastres estimou que as perdas econômicas poderiam chegar a US$ 20 bilhões, sendo apenas metade desse valor garantida por seguros.

Sandy tocou a terra na noite desta segunda pela costa de Nova Jersey, com ventos de 130 km/h e deslocando-se a 37 km/h.

O olho do fenômeno (a parte central da tempestade) atingiu as proximidades de Atlantic City, de acordo com o boletim do Centro Nacional de Furacões (CNF), com sede em Miami.

As autoridades americanas haviam advertido sobre os riscos "sem precedentes" e ordenaram a saída de centenas de milhares de pessoas em cidades ao longo da faixa costeira da Nova Inglaterra (nordeste) até a Carolina do Norte (sudeste).

O presidente Barack Obama alertou os americanos sobre a ameaça representada por Sandy, ao citar uma "tempestade grande e poderosa' que poderia ter consequências desastrosas.

Tanto Obama como seu rival republicano, Mitt Romney, cancelaram eventos eleitorais.
A passagem da tempestade interrompeu a campanha eleitoral americana, a uma semana das equilibradas eleições de 6 de novembro.

Os dois candidatos têm consciência da importância política de dedicar toda a atenção às consequências da tragédia, pois lembram do que aconteceu com o furacão Katrina em 2005.

A resposta ao Katrina, que devastou Nova Orleans (Louisiana, centro-sul do país), foi encarada como um fracasso das autoridades, lideradas pelo então presidente republicano George W. Bush, o que marcou o restante de seu segundo mandato.

Em sua passagem pelo Caribe, na semana passada, Sandy deixou 67 mortos, milhares de desabrigados e muitos prejuízos. Só no Haiti, foram 51 mortos.

mapa furacao sandy 30/10 (Foto: AP)
 
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame