MENU

Mundo

Na Nigéria, atentados a bomba deixam mais de 70 mortos

Na Nigéria, atentados a bomba deixam mais de 70 mortos

Fonte: Globo.comAtualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:02
Vítimas de explosões de bomba são colocadas em caçamba de picape em Abuja
Vítimas de explosões de bomba são colocadas em caçamba de picape em Abuja

nigéria Dois atentados com bombas deixaram pelo menos 71 mortos e 124 feridos na manhã desta segunda-feira (14) em um terminal rodoviário perto de Abuja, capital da Nigéria, segundo a polícia local.

"Os feridos estão recebendo atendimento em hospitais de Abuja e das redondezas", declarou o porta-voz da polícia, Frank Mba, segundo a France Presse.
As explosões ocorreram por volta das 6h45 (2h45 em Brasília), quando os passageiros subiam nos veículos estacionados no terminal Nyanya Bus Park, 5 km ao sul de Abuja.
Especialistas em segurança suspeitam que a explosão tenha partido de dentro de um veículo, de acordo com o comodoro da Força Aérea Charles Otegbade, diretor das operações de busca e resgate, sem dar mais detalhes, de acordo com a Reuters.
Após o incidente, a confusão tomou conta do lugar, onde os corpos mutilados se amontoavam pelo chão. As causas das explosões ainda são desconhecidas.

A capital da Nigéria é cenário de ataques frequentes do grupo islamita Boko Haram, incluindo um atentado contra um prédio da Organização das Nações Unidas (ONU) que matou 26 pessoas em 2011.
O presidente nigeriano, Goodluck Jonathan, que visitou o local dos ataques, prometeu que o país combaterá a insurreição violenta do grupo.

"Perdemos muitas pessoas", declarou Jonathan no terminal Nyanya. "O Boko Haram é uma página negra na história do nosso desenvolvimento, mas vamos virar a página. O assunto Boko Haram é temporário", completou.
O ataque destacou a vulnerabilidade da capital nigeriana, construída nos anos 1980 no centro geográfico do país para substituir Lagos como sede do governo da maior economia e principal exportador de petróleo da África.
Outros ataques
Militantes do Boko Haram que lutam para estabelecer um Estado islâmico foram em grande parte isolados na remota região nordeste. Eles estiveram particularmente ativos nos últimos meses e têm cada vez mais alvejado civis, que acusam de colaborar com o governo ou as forças de segurança.
No domingo (13), pelo menos 60 pessoas morreram no estado de Bomo. Homens em Kombis, motos e dois veículos blindados abriram fogo contra moradores.
Os insurgentes também teriam saqueado poços de água, cortando o acesso da população. Outras fontes confirmaram o ataque, mas não apresentaram um balanço de vítimas.
No dia 6 de março, 79 pessoas morreram em um ataque de pastores muçulmanos da etnia fulani contra pessoas que participavam de uma reunião no estado de Zamfara, no norte da Nigéria.
Com cerca de 170 milhões de habitantes integrados em mais de 200 grupos tribais, o país mais povoado da África sofre múltiplas tensões por causa de suas profundas diferenças políticas, socioeconômicas, religiosas e territoriais.

 

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame