MENU

Mundo

Atirador da Noruega admite massacre em julgamento

Atirador alega em julgamento legítima defesa

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:13

O homem de extrema direita acusado de ser o autor de um massacre com bombas e tiros que deixou 77 mrotos na Noruega admitiu nesta segunda-feira (16), diante do júri, que cometeu os atos, embora tenha alegado que não é culpado das acusações criminais por ter agido sob legítima defesa.

Anders Behring Breivik rejeitou a autoridade da Corte que o julga pelos crimes de 22 de julho do ano passado. Ele está preso desde aquele dia, após matar 8 pessoas em um atentado a bomba contra o prédio do governo no centro da capital e, a tiros, mais 69 jovens que estavam reunidos na ilha de Utoeya.

Usando um terno preto e barba fina, Anders sorriu quando os guardas retiraram suas algemas na sala lotada. O homem e 33 anos cumprimentou os promotores e autoridades da Corte.

"Eu não reconheço as Cortes norueguesas porque vocês recebem seu mandato dos partidos políticos da Noruega que apoiam o multiculturalismo" - foram suas primeiras palavras no julgamento. Se condenado, ele poderá pegar 21 anos de prisão. 

Ele permaneceu com uma feição impassível quando o promotor Inga Bejer Engh leu as acusações de terrorismo e homicídio premeditado, com descrições de como cada vítima morreu. Oito foram mortos em um bombardeio no distrito de Oslo do governo e 69 em um massacre de tiro no acampamento da juventude do Partido Trabalhista de esquerda em Utoya, uma ilha fora da capital.

"Admito os atos, mas não a culpa criminosa", disse no tribunal, e disse que agiu em legítima defesa.

Anders também disse que não reconhece a autoridade da juiza Wenche Elisabeth Arntzen, porque ele disse que ela é amiga da irmã do ex-primeiro-ministro norueguês e líder do Partido Trabalhista Gro Harlem Brundtland.

Segundo um repórter da agência France Presse, ele teria ficado emocionado ao assistir à projeção do filme de 12 minutos que divulgou on-line no dia de seus ataques.

Com o rosto corado de emoção, Breivik derramou lágrimas durante a projeção em tela grande do filme, que inclui, sobretudo, fotos e desenhos de fundamentalistas muçulmanos.

O militante anti-islêmico descreveu a si mesmo como escritor, trabalhando atualmente da prisão, quando questionado pelo juiz por sua situação de emprego. Ele disse que os ataques eram necessários para proteger a Noruega de ser tomada pelos muçulmanos. Ele afirma que tinha como alvo a sede do governo em Oslo e o acampamento de jovens para atingir as forças políticas de esquerda, quem ele culpa por permitir a imigração na Noruega.

Defesa

Embora haja um princípio de legítima defesa preventiva na lei norueguesa, ele não se aplica ao caso de Anders, disse Jarl Borgvin Doerre, um jurista, que escreveu um livro sobre o conceito. "É óbvio que não tem nada a ver com legítima defesa preventiva", Doerre disse à agência de notícias Associated Press.

A questão crucial a ser resolvida durante o julgamento de 10 semanas é o estado mental de Anders, que vai decidir se ele será mandado para a prisão ou para tratamento psiquiátrico.

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame