Times estudam fazer "Clube dos 13 da américa Latina"

Fonte: ESPNAtualizado: sexta-feira, 10 de outubro de 2014 15:28
American Club Association serviria para defender interesses dos clubes americanos
American Club Association serviria para defender interesses dos clubes americanos

Pode estar mais próximo de ocorrer, em um futuro próximo, a criação de uma entidade que defenda o interesse de todas as equipes de futebol da América, a exemplo do que existe na Europa. Os principais times do Brasil e do continente conversam sobre a criação da American Club Association (Associação dos Clubes Americanos), que funcionaria como uma espécie de "Clube dos 13" do continente, mas envolvendo todas as grandes agremiações do continente americano.

O ESPN.com.br teve acesso a detalhes do projeto, ainda mebrionário, idealizado por José Carlos Peres, CEO do G4 - que cuida dos interesses em comum dos quatro grandes paulistas - e autor, por exemplo, do dossiê que ajudou na unificação dos títulos nacionais. Sete times do Brasil já devolveram assinado o termo de adesão, enquanto outros de Argentina, Chile, Estados Unidos, México e Uruguai toparam participar e se empolgaram com a iniciativa.

Para conseguir deixar de ser apenas uma ideia, primeiramente os grandes clubes de São Paulo vão discutir um Código de Ética que, ao ser aprovado pelos quatro, serão posteriormente distribuídos às outras oito agremiações consideradas como principais do Brasil. Corinthians, São Paulo, Santos e Palmeiras querem também estipular um teto salarial a ser cumprido por todos de fato e que será, posteriormente, apresentado aos demais. 

Cinco encontros envolvendo presidentes de Flamengo, Fluminense, Corinthians, São Paulo, Santos, Botafogo, Vasco, Palmeiras, Grêmio, Internacional, Atlético-MG e Cruzeiro já ocorreram nas cidades de São Paulo (três vezes), Porto Alegre e Belo Horizonte. Houve até uma reunião internacional no CT Joaquim Grava, do Corinthians, no ano passado, quando Maradona e Romário marcaram presença.

As discussões, no momento, aguardam as criações das ACA's nacionais. No Brasil, os 12 considerados grandes formariam o grupo dos fundadores, mas outras equipes das Séries A e B também serão convidadas para fazer parte do projeto, só devem antes ser aprovadas por um Conselho de Administração formado por um integrante de cada um dos fundadores. A princípio, a sede provisória da ACA Brasil será em São Paulo. 

Na Argentina, foram convidados Boca Juniors, River Plate, Independiente, Racing Club, San Lorenzo, Estudiantes, Lanús, Newells Old Boys, Vélez Sársfield e Arsenal. Todos os clubes já acenaram de forma positiva à criação de uma ACA local. O mesmo ocorreu no Uruguai, com Nacional, Peñarol e Danúbio. Os dois principais times de Montevidéo, contudo, não gostariam de acabar com o "romantismo" que possui a Copa Libertadores, já que foi colocada em pauta a criação de uma Liga envolvendo América do Sul, Central e do Norte. 

"Paramos as reuniões para cada país fundador ir montando a sua ACA. E daí surgiu a ideia de uma grande liga unindo as três Américas. Depois começará a admissão de clubes não fundadores. No ECA (European Club Association) hoje tem 20 fundadores e mais cerca de 190 não fundadores, ou seja, mais de 210 clubes europeus, com sede na Suíça. Espero que em 2015 seja fundada de vez esta que promete revolucionar o futebol das Américas", disse ao ESPN.com.br José Carlos Peres, idealizador do projeto.

Ainda receberam o termo de adesão para participar da fundação da American Club Association times como Colo-Colo, Universidad de Chile e Universidad Católica (Chile); América, Cruz Azul, Chivas de Guadalajara e Monterrey (México) e DC United, LA Galaxy, Colorado Rapids, Chicago Fire e Houston Dynamo (Estados Unidos). Grande parte deles já acenou de forma positiva ao projeto.

As equipes foram definidas de acordo com pesquisas de torcida e histórico de títulos. Times de Paraguai, Venezuela, Colômbia e demais países entrariam como convidados, e não fundadores.

Modelo seria parecido ao do ECA - European Club Association

O principal espelho para a criação de uma associação envolvendo os clubes da América é a ECA (em português, Associação dos Clubes Europeus), que defende os interesses dos times da Europa, atualmente com sede na Suíça. Os 16 fundadores são Real Madrid, Barcelona, Milan, Juventus, Lyon, Rangers, Manchester United, Chelsea, Bayern de Munique, Ajax, Porto, Olympiacos, Anderlecht, Dínamo Zagreb, Kopenhagem e Birkirkara (Malta).

O presidente da entidade é o ex-jogador e ídolo alemão Rummenigge, mandatário máximo de uma organização que possui atualmente 214 clubes, sendo 105 membros ordinários e 109 membros associados, dos quais ao menos um pertença auma das 53 federações filiadas à Uefa. A ECA foi fundada para substituir o G14 e o Fórum Europeu de Clubes, dissolvidos no início de 2008.

Os vices na presidência são Umberto Gandini, do Milan, enquanto Jiménez, do Real Madrid, e Evgeni Giner, do CSKA Moscou. Arsenal, Juventus, Barcelona, Porto, Lyon, Ajax, Anderlecht, Olympiacos, Sparta Praga, Celtic e Ekranas (Lituânia) formam o restante da diretoria executiva que comanda a Associação de Clubes da Europa nos dias de hoje. A entidade é a única atualmente que representa diretamente a voz dos times europeus.

Confira, abaixo, todos os detalhes para a criação da American Club Association (Associação dos Clubes Americanos):

Integrantes: clubes fundadores e convidados das três Américas.
- Cada clube fundador indicará 1 integrante para o Conselho de Administração;
- O Tribunal de Contas e Arbitragem será eleito pelo Conselho de Administração;
- A Admissão de Clubes não fundadores deverá ser aprovada pelo Conselho de Administração;
- A Diretoria Executiva será eleita pelo Conselho de Administração;

Clubes convidados para serem fundadores:
Brasil: Corinthians, Santos, São Paulo, Palmeiras, Flamengo, Fluminense, Botafogo, Vasco da Gama, Grêmio, Internacional, Atlético Mineiro e Cruzeiro
Argentina: Boca Juniors, River Plate, Independiente, Racing Club, San Lorenzo, Estudiantes, Lanús, Newells Old Boys, Velez Sársfield e Arsenal
Uruguai: Peñarol, Nacional e Danubio
Chile: Colo-Colo, Universidad de Chile e Universidad Católica
México: América, Cruz Azul, Chivas e Monterrey
Estados Unidos: DC United, L.A. Galaxy, Colorado Rapids, Chicago Fire e Houston Dynamo

Objetivos:
1) Salvaguardar e promover os interesses do futebol das Américas, em particular, e clubes de futebol em geral;
2) Ser reconhecido como o único organismo que representa os interesses dos clubes das Américas;
3) Contribuir para o desenvolvimento saudável das competições entre clubes das Américas organizadas pela Conmebol, sendo parte importante nos processos de decisão ligados a ela;
4) Representar os clubes no que se refere às discussões das amplas e necessárias reformas de calendário do futebol;
5) Contribuir para a boa governança do futebol das Américas por meio da participação dos órgãos competentes estabelecidos nas Federações, Confederações e Fifa;
6) Promover o intercâmbio e a internacionalização dos clubes das Américas, em especial, prospectar negócios com os países asiáticos
7) Apoiar e defender os valores esportivos e princípios sobre os quais a FIFA se baseia;
8) Estimular e promover a cooperação entre os clubes, a Conmebol e a Concacaf em matérias relacionadas ao futebol das Américas;
9) Manter contatos, cooperação e negociações com todas as organizçaões relacionadas com o futebol ou quaisquer instituições públicas e privadas, incluindo, em particular, os parceiros sociais relevantes, bem como os clubes de futebol não membros;
10) Fazer todas as ações para prmooção dos objetivos da associação, gerais ou particulares, consideradas ou não incidentais às referidas metas da entidade;
11) Promover união entre as entidades associadas, de forma a estimular a coordenação e articulação de ações conjuntas ou de interesse comum;
12) Promover ações visando agregar valor às marcas, nomes, símbolos e demais direitos e propriedades das entidades associadas;
13) Defender as marcas, nomes, símbolos e demais direitos e propriedades das entidades associadas, em especial, os advindos da lei de direito autoral, contra terceiros que as explorem sem a devida autorização;
14) Promover ações voltadas a desestimular e coibir atos de violência por parte dos torcedores das entidades associadas, propondo e adotando as medidas que julgar pertinentes para este fim;
15) Desenvolver discussões econômicas, financeiras e mercadológicas de interesse comum para as entidades associadas, tais como: prospectar negócios, estabelecer estratégias e negociar contratos e compromissos;
16) Representar as entidades associadas na defesa de seus interesses comuns perante órgãos públicos e privados, conforme o caso;
17) Promover eventos que contribuam para o desenvolvimento das entidades associadas;
18) Promover a cultura, a defesa e conservação do patrimônio histórico e desportivo das Américas;
19) Promover a ética, a paz, a cidadania, os direitos humanos, a democracia e outros valores universais;
20) Contribuir com a promoção e incentivo ao voluntariado:
21) Contribuir para a promoção e o desenvolvimento do desporto continental;
22) Promover o intercâmbio e a internacionalização dos clubes das Américas, em especial, prospectar negócios com os países asiáticos.




Siga-nos

Mais do Guiame