São Paulo abre boa vantagem contra Emelec pela Copa Sul-Americana

Depois de abrir 3 a 0 no primeiro tempo, Tricolor leva dois gols em pouco tempo, sofre pressão, mas consegue construir triunfo de 4 a 2 no Morumbi

Fonte: Globoesporte.comAtualizado: sexta-feira, 31 de outubro de 2014 10:31
Hudson comemora com Ganso, Alan Kardec e Kaká no Morumbi
Hudson comemora com Ganso, Alan Kardec e Kaká no Morumbi

Uma vitória por 4 a 2 não pode ser considerada um mau resultado. Longe disso. Mas diante das circunstâncias, o triunfo do São Paulo sobre o Emelec, por esse placar, no Morumbi, pela partida de ida das quartas de final da Copa Sul-Americana, foi, no mínimo, frustrante. Explica-se: com futebol envolvente e eficiente, o Tricolor terminou o primeiro tempo com triunfo parcial de 3 a 0 (Michel Bastos, Hudson e Alan Kardec). Na volta para a etapa final, um apagão, dois gols sofridos e só mais um gol marcado (Antônio Carlos).

Se com o placar do primeiro tempo o Tricolor poderia perder por 2 a 0 no Equador, na próxima quarta-feira, às 22h (de Brasília), agora esse mesmo placar daria ao Emelec a classificação às semifinais do torneio. Mesmo assim, a situação do São Paulo é boa. Com os 4 a 2, o time brasileiro joga pelo empate ou até derrota por um gol de diferença. Se fizer um gol em Guayaquil, o Emelec terá de fazer três. Se fizer dois, o time equatoriano terá de fazer quatro para ir aos pênaltis ou cinco para avançar direto.

Pelo Brasileirão, o São Paulo volta a campo no domingo, às 17h, contra o Criciúma, fora de casa. O Tricolor é vice-líder, cinco pontos atrás do líder Cruzeiro.

Três vezes Tricolor

O São Paulo começou a partida em ritmo lento. Marcando em cima, o Emelec deu pouco espaço para o time de Muricy. E mais: os equatorianos estavam atentos a qualquer vacilo para encaixar um contra-ataque. Mas a qualidade individual do Tricolor fez a diferença logo aos 12 minutos. Kaká tocou para Maicon, que ajeitou para Michel Bastos bater colocado. Um belo gol. A resposta do Emelec só não foi imediata porque Rogério Ceni fez linda defesa em chute de Herrera. Que susto.

Superior em campo, o São Paulo tinha dificuldade em chegar com perigo à área adversária. E o time equatoriano abusava das faltas. A partida ficou tensa. Quando parecia que o rival ia crescer, o Tricolor acelerou. Ganso achou Kaká na grande área com belo passe. Na sobra, Hudson aumentou a vantagem para 2 a 0, aos 34. Dez minutos depois, um ataque fulminante. Ganso cruzou para Kaká. O camisa 8 ajeitou para Alan Kardec cortar um zagueiro e tocar para o fundo do gol.

Emelec reage e dá trabalho

Muricy Ramalho sacou Maicon no retorno para o segundo tempo para a entrada do zagueiro Antônio Carlos. Assim, Hudson foi para o meio de campo, e Paulo Miranda foi deslocado para a lateral direita. Só que no começo da etapa final só deu Emelec. E o time equatoriano diminuiu aos dois minutos, com Bolaños. Rogério Ceni falhou no lance. Empolgado com o gol, a equipe visitante partiu para a pressão. Deu certo. O segundo saiu aos nove, em chute de Mena, que recebeu bom lançamento.

Irreconhecível, o São Paulo levou vários sustos. Demorou a se encontrar, mas chegou ao quarto gol aos 24 minutos. Hudson aproveitou sobra de escanteio e cruzou para Antônio Carlos marcar de cabeça. Mesmo assim, não deixou de dar espaços para o Emelec, sempre perigoso no contra-ataque. Muitas vezes perdido em campo e totalmente dependente das boas jogadas de Ganso, o Tricolor se segurou e manteve o resultado de 4 a 2.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame