Clubes fazem acordo para não financiar torcidas organizadas

Clubes fazem acordo para não financiar torcidas organizadas

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:05
Clubes fazem acordo para não financiar torcidas organizadasOs quatro principais clubes de futebol de São Paulo acertam com o Ministério Público Estadual a elaboração de um Termo de Compromisso no qual prometem não ajudar suas torcidas organizadas financeiramente.
 
O documento deverá ser assinado em 1° de outubro por representantes de Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo. O tema já foi discutido em duas reuniões com membros dos clubes e da promotoria --o último encontro aconteceu no Ministério Público, anteontem.
 
Além de prever que os clubes não financiem mais as organizadas, a proposta da promotoria tem outro objetivo.
 
A partir deste pacto, o Ministério Público acredita que a identificação dos torcedores que vão aos estádios será facilitada. Isso porque o compromisso prevê que não haverá mais a distribuição de ingressos para os torcedores uniformizados, prática comum nos clubes.
 
O Termo de Compromisso determina que as organizadas terão que adquirir suas entradas de forma convencional, comprando nas bilheterias ou por meio de programas de sócios-torcedores.
 
Nos dois sistemas, o comprador do bilhete precisa se identificar. Quando faz a compra na bilheteria, o torcedor tem seu nome impresso no ingresso. O cartão de sócio-torcedor também contém o nome do associado.
 
Por isso, o Ministério Público acredita que será possível ter registrado o nome de todos que foram ao estádio e identificar e punir pessoas que se envolverem em brigas.
 
No Corinthians, por exemplo, as torcidas organizadas compram bilhetes por meio do programa Fiel Torcedor, que tem cartões nominais.
 
Há, porém, brecha para fraude, já que não existe um controle rígido na entrada dos estádios, onde deveria ser conferida a documentação dos torcedores. Uma pessoa pode entrar facilmente com o cartão de outra.
 
PARADIGMA
A ajuda de clubes a torcidas organizadas é considerada tabu no futebol e, atualmente, em São Paulo, só o Santos admite esse apoio.
 
O Corinthians, antes da gestão de Mário Gobbi --desde fevereiro de 2012-- contribuía com suas principais organizadas. O mesmo ocorre no Palmeiras, que deixou de ajudar as uniformizadas desde que Paulo Nobre assumiu a presidência, em janeiro.
 
O São Paulo afirma não ajudar pelo menos desde que Juvenal Juvêncio assumiu o clube, em 2006.
 
Mesmo assim, os três clubes assinarão o compromisso. O Santos deverá mudar de comportamento.
 
O acordo com o Ministério Público prevê a manutenção dessa conduta mesmo após as mudanças de gestões nos clubes.
 
PENAS PODEM SER AMENIZADAS, DIZ PROCURADOR
O procurador-geral do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), Paulo Schmitt, disse que o termo de compromisso que será assinado não fará com que os clubes deixem de ser denunciados caso seus torcedores arrumem confusão nos estádios.
 
No entanto, Schimitt, que elogiou a atitude, disse que isso pode gerar penas menores nos julgamentos.
 
"Não podemos deixar de denunciar, já que o Estatuto do Torcedor e o CBJD [Código Brasileiro de Justiça Desportiva] preveem a punição ao clube caso torcedor invada o campo, por exemplo. Mas pode ajudar a amenizar a pena."
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame