Após demissão, Oswaldo de Oliveira se diz magoado com o Santos e revela atraso de salários

Fonte: Uol EsporteAtualizado: segunda-feira, 20 de outubro de 2014 16:37

O técnico Oswaldo de Oliveira ainda não engoliu sua demissão do Santos. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o treinador admitiu estar magoado com seu ex-clube e revelou que a equipe paulista atrasou o pagamento de salários diversas vezes durante sua passagem.

"Magoado sim, revoltado não. Realmente foi surpreendente, o trabalho vinha sendo desenvolvido, todo mundo sabia que estava acontecendo. Fiquei muito magoado e muito surpreso", afirmou o treinador.

Segundo Oswaldo, o Santos ainda lhe deve três meses de salários e os valores da rescisão contratual. O técnico ainda afirmou que não recebeu em dia os demais vencimentos durante sua permanência no cargo.

"Não, nunca pagaram normalmente, sempre atrasou. Nem o primeiro salário eu recebi em dia no Santos. Dava dois (meses), aí quando chegava no terceiro, eles pagavam um (mês), para você ter uma ideia, o último salário que eu recebi foi em maio e eu saí em setembro. Não falam nada, já pedi, já liguei, dizem que não tem dinheiro", disse Oswaldo.

"[Fiquei] Muito surpreso, claro, porque inclusive um dos argumentos do Santos para que eu fosse para lá era que no Botafogo eu tinha três meses de salários atrasados, e isso no Santos não acontecia. Isso me surpreendeu muito, sim", comentou.

Oswaldo ainda revelou que foi procurado por outras equipes após sua saída do Santos, incluindo sondagens de um clube japonês e dos Emirados Árabes. O treinador, porém, prefere aguardar um pouco mais para definir seu futuro e se esquiva sobre a possibilidade de assumir o Corinthians na próxima temporada.

"Olha, o momento é inadequado para falar essas coisas, o Campeonato Brasileiro está em andamento, eu não acho legal falar desse assunto, tenho uma ligação com o Corinthians, gosto muito, mas isso não quer dizer que eu vá voltar ao Corinthians. O Mano está lá, está fazendo o trabalho, acho que não é adequado falar esse tipo de coisa", afirmou.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame